quarta-feira, julho 26, 2017

BMW revela foto do Série 1 Sedan sendo testado no Brasil para adaptação de sistemas, apenas


A BMW revelou a primeira imagem oficial do Série 1 Sedan em testes no Brasil. Já confirmado que não deve ser vendido no Brasil, a marca escolheu o Brasil para servir de testes de infotainment e sistemas eletrônicos. Vendido apenas no mercado asiático, o sedã médio premium está sendo avaliado pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da BMW para sistemas de infotenimento e telemática globais. Os testes sevem para aprimorar sistemas de assistência de condução, monitoramento de informações de trânsito em tempo real, realidade aumentada e captação de informações por meio de antenas. Além disso a marca confirmou que o Centro de Pesquisa está trabalhando no desenvolvimento de dispositivo de reconhecimento de voz em português brasileiro e das conexões de telemática com operadoras de telefonia móvel que operam no Brasil. Os testes ainda servem para a validação de sistemas de navegação e entretenimento BMW ConnectedDrive, que a equipe de engenharia da BMW no Brasil comanda seu desenvolvimento. O Série 1 Sedan tem 4,45 m de comprimento, 1,80 de largura, 1,44 de altura e 2,67 de entre eixos, sendo assim um competidor direto do Audi A3 Sedan, já feito por aqui. O anúncio oficial da BMW deixou bem claro suas intenções no mercado, mas não descarta que uma nova geração do sedã possa ser vendida globalmente, mas aí ele já ganharia certa liberdade, já que a nova geração do Série 3 já teria sido apresentada.


Mercedes-Benz Classe X também ganha uma versão focada para trabalho, a Pure, sem muito luxo


A Mercedes-Benz apresentou as primeiras imagens da versão de trabalho da Classe X, sua primeira picape média. A versão Pure deve trazer design simples, com para-choques, retrovisores e maçanetas sem pintura. As rodas de aço de 17 polegadas trazem apenas uma pequena calota plástica para proteger os parafusos, enquanto o santantônio da caçamba é feito com barras tubulares. Há faróis de dupla parábola e de neblina como na versão intermediária Progressive, mas as lanternas perdem a iluminação de LED. No interior, a versão de acesso conta com plástico rígido e os bancos serão revestidos com tecido. O ar-condicionado digital de duas zonas dá lugar ao climatizador analógico e a central multimídia com comandos táteis no console é substituída por um sistema com menos recursos e tela menor sobre o painel. A versão deve ser vendida com motores 2.0 Turbo a gasolina de 166cv de potência e 24kgfm de torque e o 2.0 Turbo Diesel de 163cv de potência e 40,6kgfm de torque com opção de traçã 4x2 ou 4MATIC integral. Entre os itens de série, a Pure conta com rodas de aço de aro 17”, ar-condicionado, interior preto, sistema de som Audio 20 USB com alto-falantes de duas vias na frente e atrás e faróis halógenos. Com o pacote Pack Plus, a picape vem com Parktronic, um sistema de auxílio ao estacionamento. A versão diesel pode ter transmissão automática de 7 marchas e o sistema de tração 4MATIC. A picape conta com 5,34 metros de comprimento, 3,15 metros de entre-eixos, 1,92 metro de largura, 1,82 metro de altura, 1.042kg de caçamba (que por sua vez possui 1,59 metro de comprimento por 0,47 metro de altura) e capacidade de reboque de 1.650 a 3.500kg.




MINI vai produzir elétricos na fábrica de Oxford, no Reino Unido, mesmo com a saída do país da União Europeia


A BMW Group confirmou que deve produzir as versões elétricas do MINI Cooper na fábrica de Oxford, no Reino Unido, mesmo com o Brexit. Atualmente a fábrica é responsável pela produção de 60% das vendas globais da MINI e por isso tem vantagem sobre a escolha da produção de elétricos mesmo com a delicada saída do Reino Unido do bloco europeu. A decisão da BMW foi como um crédito para o governo britânico, que busca se manter atrativo com investimentos no país mesmo com a saída da união Europeia. No entanto, se as condições não forem favoráveis para a MINI, a marca conta com a planta holandesa da NedCar, em Born, ou a fábrica da BMW em Regensburg, Alemanha. A BMW considera a escolha de risco, já que os motores, bateria e demais componentes eletrônicos dos MINI elétricos devem ser importados da Alemanha, ou seja, sem um livre comércio ou um acordo de compensações tributárias inglesas, será difícil fazer com que os modelos sejam competitivos no continente.


Fonte: Reuters

Mercedes-Benz Sprinter ganha revisão com preço fixo no Brasil, mas só para pagamentos à vista


A Mercedes-Benz está lançando o programa de revisões com preço fixo para o comercial leve Sprinter no Brasil. Um dos modelos mais icônicos do segmento passa a ser oferecido com a campanha que se estende até dia 31 de janeiro de 2018. As revisões contam com planos para veículos dentro ou fora do período de garantia. Entre as peças envolvidas na campanha estão filtro de ar, filtro de óleo, filtro de combustível, filtro de ar condicionado (quando for aplicável), óleo do motor e mão de obra. Serviços adicionais serão orçados à parte. “Revisão Declarada Sprinter” é o slogan da campanha de comunicação dessa ação, que envolve todos os modelos de vans, furgões e chassis dessa linha de veículos comerciais leves produzidos a partir de 2012. Os preços fixos das revisões somente são válidos para pagamento à vista e revisões realizadas em concessionárias da Mercedes, que oferecem mão de obra especializada e peças originais. Para mais informações, a marca disponibiliza a Central de Relacionamento com o Cliente Mercedes-Benz (0800 970 9090) ou pelo site (www.mercedes-benz.com.br/vans/servicos-e-pecas/revisao-declarada), onde os clientes devem ter maior acesso a campanha.


Volkswagen quer ultrapassar Tesla entre os elétricos dentro de três anos após sua estreia


A família ID quer mostrar força a nível mundial. A intenção da Volkswagen é apresentar a linha nos Estados Unidos, um dos principais mercados em que a linha deve atuar, vendendo mais que a Tesla, em seu país natal! A marca deixou claro em entrevista que não entrou no segmento de elétricos para ser "mais uma" e que faz parte do seu processo de eletrificação, que começa a se concretizar em 2020, que sua linha cumpra o papel que ela espera no mercado. Em entrevista com Herbert Diess, membro de direção da Volkswagen, a montadora possui a capacidade de produzir carros em larga escala e que, por isso, ela deve conseguir superar rapidamente a Tesla em apenas três anos de mercado. A estimativa da marca alemã é que em três anos após seu lançamento, a linha ID atinja a marca de 1 milhão de unidades. As novidades apresentadas até então são o ID Concept, o ID Buzz e o ID Crozz. A marca já patenteou o ID AEROe e o ID Lounge, além de dois sedãs que devem cumprir função essencial na China.


Mercedes-Benz comemora marca de 300.000 unidades produzidas do Classe G em 38 anos de mercado


Em 38 anos de mercado, o Mercedes-Benz Classe G é um dos modelos mais icônicos da marca. Agora, o modelo chegou a marca de 300.000 unidades produzidas. A unidade que comemora o feito saiu da linha de produção de Magna Steyr, em Graz, na Áustria, na versão 500 e com carroceria pintada na cor azul, junto a um acabamento interno na cor preta com costuras brancas constrastantes. Além de ser o exemplar número 300.000, o Mercedes-Benz Classe G azul das imagens é especial pelo fato de ter sido projetado por parte dos fãs do SUV em todo o mundo através de uma votação na página oficial do veículo no Facebook. A unidade conta com motor 4.0 V8 biturbo que desenvolve 426cv de potência e 62,2kgfm de torque. “O Mercedes-Benz Classe G é o melhor veículo off-road. Graças a um processo de evolução contínua, hoje, assim como no passado, o SUV possui a mais recente tecnologia de ponta”, revelou o chefe de produtos do grupo alemão, Gunnar Güthenke. O jipão atingiu seu recorde de vendas em 2016, com quase 20 mil unidades vendidas. Uma nova geração já é desenvolvida e deve estrear até 2019.



Volvo oferece desconto do XC90 Hybrid, até o fim do mês, de R$39.000 e condições de financiamento


A Volvo está lançando uma promoção para o XC90 neste mês de julho. Até o fim desse mês o utilitário esportivo pode ser vendido com desconto de R$39.000 na versão Hybrid e pode ter condições especiais de financiamento. A promoção vale para todas as concessionárias da marca no país e oferece o XC90 com desconto de R$39.000 na versão T8 Hybrid, tabelada em R$468.950 na versão Inscription. Vendida por R$429.950 até o final deste mês. Sabendo do preço do modelo, a Volvo ainda oferece condições de financiamento com taxa zero de juros. No primeiro, as condições incluem o pagamento de 50% desse valor como entrada e o restante parcelado em 18 prestações fixas de R$12.200. No segundo, a entrada sobe para 60%, com 40% divididos em 24 vezes de R$7.300. O XC90 T8 se destaca principalmente por sua mecânica, com o motor 2.0 e-Drive Turbo que desenvolve 320cv de potência e 40,8kgfm de torque junto a um motor elétrico que desenvolve 87cv de potência e 25kgfm de torque. Juntos, o conjunto desenvolver 407cv de potência com 65,3kgfm de torque, acoplado ao câmbio automático de 8 velocidades. A autonomia dos motores é de 835km. Segundo a Volvo, o XC90 T8 acelera de 0 a 100km/h em 5,6 segundos. O consumo é de 15,3km/l na cidade e 15,8km/l na estrada no modo híbrido, segundo o InMetro. A bateria do motor elétrico é de lítio de alta capacidade, com 400V (9,2kWh) com recarga externa, plug-in. Em uma tomada de 220V, a recarga da bateria fica em 2h30. Há três novos modos de condução: Pure, condução econômica para uso urbano que usa só o motor elétrico, com autonomia de 35km; Hybrid, modo padrão, que usa ambos os motores; e Power, condução esportiva. Eles são complementados pelos modos AWD, Off Road e Individual (configurável).


Sem dar importância para nota zero no LatinNCAP, face-lift do Chevrolet Onix comemora um ano


Reestilizado há um ano, o Chevrolet Onix, mais conhecido como líder do mercado brasileiro, chega a hora de passar por nossa análise de lançamento. Após um ano, as vendas do hatch aqueceram ainda mais e fizeram com que a distância entre ele e o vice-líder Hyundai HB20 crescesse para a casa das 5.000 unidades. Porém o ponto mais polêmico desse um ano foi o "re"teste do LatiNCAP, que provou que a segurança do Onix é frágil. O hatch zero a proteção de adultos com o novo teste e fez com que o burburinho na internet se instalasse. O líder do mercado com um grande zero na sua segurança. Foi assunto por alguns dias e misteriosamente o assunto morreu. O Onix segue cada vez mais líder e mudanças por parte da GM sequer foram prometidas. No face-lift, o Onix recebeu um novo design dianteiro e mudanças pontuais na traseira e no interior. Para o hatch ainda estreia a versão aventureira Activ, que deve cumprir o papel de versão topo de linha do Onix junto a LTZ. Líder de vendas no Brasil desde 2015, o Onix ganha novos faróis com LEDs diurnos, grade dianteira, novo capô e novo para-choque dianteiro. Na traseira, as principais mudanças devem ficar por conta do novo layout das lanternas e do novo para-choque traseiro. No interior, ele ganha a nova geração do MyLink e alguns detalhes do painel, além de alguns novos itens de série, com a intenção de "recheá-lo". A GM finalmente alterou os painéis das portas, introduzindo puxadores mais ergonômicos e melhor acabamento. O painel foi mantido com poucas alterações, tendo agora dois tons e quadro de instrumentos oferece grafismo diferenciado e econômetro. Os comandos do ar-condicionado também foram modificados. Há porta-óculos no teto, assim como nome Chevrolet no porta-luvas e detalhes em preto brilhante. Novidades mecânicas? Se não fosse alguns ajustes, a GM passaria esse quesito em brancas nuvens.


terça-feira, julho 25, 2017

Volkswagen confirma modelo 100% elétrico para o Brasil em meados de 2020, como modelo de nicho


Parece que o Brasil pode ser um destino da linha de elétricos ID da Volkswagen até 2020. Segundo o presidente da Volkswagen do Brasil e da América Latina, David Powels, revelou que um hatch elétrico deve ser lançado no Brasil em meados de 2019 ou 2020. A identidade desse elétrico não foi revelada, mas segundo o executivo, o modelo deve exercer a função de carro de nicho da Volkswagen, com vendas restritas devido ao seu preço. O modelo deve ter papel de mostrar ao consumidor que a Volkswagen está de olho nos motores elétricos a nível global. Tudo leva a crer que o modelo escolhido seja o modelo de produção do ID Concept. A carroceria do modelo foi projetada tendo como foco o baixo arrasto aerodinâmico, com formas mais “lisas” e maçanetas embutidas nas portas. Além disso, o carro apresenta dianteira mais curta (devido à ausência de um motor a combustão) e teto panorâmico de vidro. Essa nova linguagem deve padronizar todos os futuros automóveis elétricos da VW, apenas. Ele deve ter espaço interno parecido com o do Passat e terá dimensões do Golf, com espaço para 4 ocupantes no modelo conceitual. Construído sobre a plataforma MEB, ele deve conviver com o e-Golf, depois que alguns disseram que iria substituí-lo. Seu motor elétrico de 125kWh desenvolve 170cv de potência e faz com que o ID Concept tenha uma autonomia que possa variar de 400 a 600km. Na forma de conceito, o novo hatchback elétrico está recheado de tecnologias, como volante que se retrai quando o carro está em modo 100% autônomo. Preços? Possivelmente acima dos R$200.000.


Site revela que Renault desenvolve motor 1.3 12v TCe para o Brasil, Flex e com 170cv de potência


A Renault enfim deve aposentar o motor 2.0 16v Flex. Ele ainda deve ganhar uma sobrevida ainda em 2017 e passa a adotar o sobrenome SCe, mas já tem data para ser aposentado: 2019. Em seu lugar deve ser desenvolvido o 1.3 12v TCe Turbo da Renault, que é desenvolvido no nosso mercado já para ser Flex. Com turbo e injeção direta de combustível, o novo motor que é desenvolvido em parceria com a Renault Europa. O motor deve ser conhecido como TCe 170, ou seja, ele deve desenvolver 170cv de potência, que deixaria a Renault em pé de igualdade com Chevrolet e Volkswagen com seus motores 1.4 16v Ecotec e 1.4 TSI. Na Renault o motor deve ser usado em Duster, Captur, Oroch e no substituto do Fluence, que tudo indica ser o Megane Sedan europeu. Na Nissan o motor deve ser usado pelo Kicks e também pela nova geração do Sentra. O motor, que chega em 2019, deve trabalhar com opção de câmbio manual ou automático.



Fonte: Autos Segredos