segunda-feira, junho 30, 2014

Fracasso: Peugeot 207 Hoggar deve sair de linha em breve no Brasil!


Lançada em 2010, a Peugeot 207 Hoggar nunca conseguiu o feito de vender 10% do mercado de picapes compactas, liderado por Fiat Strada, Volkswagen Saveiro e Chevrolet Montana. Segundo o CEO da PSA na França, o "comandante" do grupo PSA na França, Maxime Picat, confirmou que a 207 Hoggar deve sair de linha ainda este ano. O fato é que o modelo lançado em 2010 não empolgou o consumidor, que seguia comprando Strada, Saveiro e Montana. Lançada há 4 anos, a Hoggar nunca conquistou um lugar de destaque entre as picapes pequenas. Apenas 747 unidades foram emplacadas em 2013, muito abaixo da expectativa de vender 11 mil unidades e conquistar 10% do segmento em 2010. Com o plano de reformulação da gama, diminuindo de 45 para 26 modelos ao redor do mundo, a Peugeot não confirmou, mas a linha 207 inteira deve sair de linha no máximo em 2 anos. Há poucos dias já se foi o 207 Passion, agora sai a confirmação da saída da 207 Hoggar. O 207 Hatch é o único que deve seguir no mercado brasileiro, vendendo poucas unidades e tentando sobreviver no mercado.

Carros que podem ou poderiam chegar ao Brasil: Mahindra Thar!


Carente de novidades, o segmento de jipes bem que poderia ganhar a companhia dele, o Mahindra Thar. Vendido na Índia como uma das opções mais brutas da Mahindra, o Thar também poderia ser uma boa escolha no Brasil, onde os fãs de jipes ainda existem, vide com o lançamento do novo Troller T4. Na Índia, o Thar é vendido com motor 2.5 turbo Diesel que rende 80CV de potência e um torque de 24,9kgfm de força, sempre com câmbio manual de 5 velocidades e com tração 4x2 e 4x4. Porém a Mahindra no Brasil é uma espécia de "morta-viva". Disse que iria trazer o XUV500 e o Quanto ao Brasil, isso no Salão do Automóvel de São Paulo de 2012, e não traz nenhum carro novo, a mais de 5 anos, sempre com a velha e defasada linha Scorpio, que segue em linha por regime CKD. Não tem planos do Thar vir para o Brasil, mas seria uma boa opção ficando entre o Suzuki Jimny e o Troller T4...


domingo, junho 29, 2014

Retrômobilismo#16: Um dos sucessos da Wilys, a F-75 viveu a fase "Willys" e "Ford"!


Assim como a Rural Willys, a marca Willys-Overland tinha a sua picape, para combater a Chevrolet Brasil e a Ford F100. A picape saiu 5 anos depois da Rural, que era lançada em 1956. Lançada em 1961, a Willys Pickup, ganhou outros nomes no país, como Jeep Pickup e o mais conhecido, Willys F-75. Feita sob a estrutura da Rural, a F-75, tinha entre eixos maior, suspensão recalibrada e chassi com 5 travessas, super reforçado para poder transportar  cargas, era a preferida pelos agricultores. Oferecida pela Willys com caçamba de lata  ou caçamba de madeira (geralmente era o modelo comercial [carroceria tipo plataforma e grades com maior área para cargas]), com versões 4x2 e 4x4.


Fabricada em São Bernado do Campo (SP), na mesma linha de montagem da Rural, a F-75 tinha o mesmo motor da irmã mais velha, o 2.6 V6 que rendia 90CV de potência, acoplado a um câmbio manual de 3 velocidades, tinha visual bem mais moderno que as rivais, que eram mais arredondadas e com visual da década de 40/50. Transportava 750kg de carga e em 1962 foi lançada a versão com chassi longo e com reforços estruturais, que poderia levar até 1.000kg na caçamba. Também em 1962 chegou a F-85, que foi muito usada no Exército, Marinha e pelos Fuzileiros Navais.


Entre as maiores mudanças estava o para-choque dianteiro reforçado, grades protetoras nos faróis, guincho mecânico, gancho para reboque na traseira e pára-brisa rebatível. Uma capota de lona eliminava o teto e não tinha portas. Também tinha a versão de transporte de pessoas, que podia levar 10 ocupantes, onde alguns foram equipados com metralhadoras, outros com canhões, ganhando um curioso apelido: "cachorro louco", por ser valente e muito bruta nos serviços prestados, foi o modelo mais utilizado nessa área, substituindo as velhas picapes Dodge da segunda guerra mundial, esteve presente em quase todos os exércitos brasileiros.


Sem mudanças, a Willys F-75 permaneceu a mesma até o final de carreira, mas tinha mudanças no ano de 1968, como o motor, mais potente. O novo motor também seguia os passos da Rural, um 3.0 V6 que rendia 110CV de potência, mudança que viria novamente em 1975 com o motor 2.3 de 4 cilindros que rendia novamente, 90CV movido a gasolina era o mesmo motor usado pelo Maverick nos difíceis tempos da crise do petróleo. Em 1980 o modelo usava motor a álcool, o mesmo 2.3 que rendia 90CV. Comprada pela Ford em 1968, a Willys ia saindo do mercado aos poucos, junto a Rural, Jeep Willys e a F75 foram os únicos modelos da Willys que conseguiram permanecer no mercado. Foi rebatizada de Ford F75, como é possível ver na foto abaixo, com placa da Ford.


Sucesso de vendas, de 1963 à 1981 foram vendidas 161.726 unidades, sendo um dos modelos mais vendidos da marca, em seu melhor ano no Brasil, em 1975, foram vendidas 22.216 unidades da picape, colocando em 9º na geral, atrás da Chevrolet C10 por apenas 1.857 unidades. Sucesso de mercado, principalmente no Exército Brasileiro, a Willys-Ford F-75 hoje está nos museus do Exército, ou na mão de colecionadores. Também pudera. É fácil de encontrar a picape, já que vendeu mais de 165.000 unidades desde seu lançamento e por longos 18 anos de produção. Saiu de linha porque a Ford já não achava interessante produzi-la mais, pois existia veículos mais modernos, econômicos  e eficientes.

Foto: Quatro Rodas

Vídeos Automotivos: Test Drive no Volkswagen Tiguan 2.0 TSI!


Fonte: Canal Top Speed

sábado, junho 28, 2014

Retrômobilismo#15: Fábrica Nacional de Motores, a FNM, homenageava o então presidente com o JK!


A Fábrica Nacional de Motores, conhecida como FNM era conhecida por seus caminhões, mas no dia 21 de Abril de 1960, o Brasil conhecia o FNM 2000, que foi batizado em homenagem ao presidente que recém tinha inaugurado Brasília, Juscelino Kubitschek, conhecido como JK. Ficava conhecido então por FNM JK-2000. Apresentado na Europa em 1957 como Alfa Romeo 2000 68 (Na verdade era de fato um Alfa-Romeo, mas com o logo da FNM), era basicamente o mesmo carro, com pequenas mudanças externas e internas. Apesar dos requintes que oferecia, o FNM JK-2000 não teve sucesso. Além disso, desde o lançamento do carro, a FNM enfrentava dificuldades financeiras e administrativas que a levaram quase a falência. Media 4,71m de comprimento, 1,70m de largura, 1,45m de altura e um bom entre-eixos de 2,72m, pesava 1.460kg e tinha um porta-malas de 450 litros.


Fabricado no distrito de Xerém, no município de Duque de Caxias, no estado do Rio de Janeiro, o JK tinha visual imponente e moderno para época, diferente dos rivais Aero-Willys e Simca Chambord. O grande espaço interno tinha padrão de conforto incomum nos rivais, com bancos reclináveis, poderia se transformar até mesmo em uma cama. Com motor 2.0, rendia 95CV de potência, (Depois de algum tempo rendeu 125CV) era um dos mais modernos motores da época, com um torque de 15,9kgfm de força, acoplado ao câmbio manual de 5 velocidades, o primeiro veículo nacional com 5 marchas. Ia de 0 à 100km/h em 18 segundos e tinha velocidade máxima de 155km/h. Fazia cerca de 7km/l na cidade e cerca de 10km/l na estrada.


Mas então porque não conseguia ter um bom mercado? Simples. O JK-200 era um dos carros mais caros do Brasil na época, mais barato apenas que o Simca Chambord Presidénce. A produção também era pequena, cerca de 500 unidades anuais eram fabricadas, sumia rápido das concessionárias, e não era tão fácil de conseguir uma unidade. Quase sem nenhuma mudança desde então, em 1964, com o golpe militar, pondo fim ao governo de João Goulart, fazia a FNM abandonar o nome JK, deixando apenas o nome FNM 2000. Em 1966 chegava a versão esportiva TIMB, sigla que significava Turismo Internacional Modelo Brasil. Mudanças visuais vinham, como o capô, mais baixo e larga e uma leve alteração na grade frontal. O TIMB vinha com motor que chegava a cerca de 160CV.


Finalmente, em 1968 a Alfa Romeo italiana assumiu o controle acionário da FNM, por 36 milhões de dólares. A partir daí iniciou-se uma nova fase para a fábrica, com perspectivas para a entrada de novos modelos de carros no mercado brasileiro. Mas, apesar das especulações em torno de novos lançamentos, a direção da empresa decidiu apenas melhorar o modelo existente. Assim, surgiu, em fins de 1969, o FNM 2150, quase igual ao modelo 2000. Vinha com o mesmo motor, com cilindrada 2.132cm³, rendia 125CV de potência e um torque de 18,3kgfm de força, ia de 0 à 100km/h em apenas 16 segundos, uma boa marca na época e chegava a 165km/h, trazia mudanças como nova grade, para-choque dianteiro e traseiro, mas mesmo assim era basicamente o mesmo FNM.


Em 1971 era vendido nas versões "normal" e "luxo", com mais mudanças na grade dianteira, com novos frisos deixava o 2150 um pouco mais atual, mas já sentindo os sinais de cansaço no mercado. Tentando atualizar um carro já com 12 anos de fabricação no Brasil e abandonado há algum tempo na Europa, a FNM decidiu lançar, em 1972, um 2150 mais aperfeiçoado. Ao mesmo tempo, intensa campanha publicitária apregoava a atualização do sistema de controle de qualidade – padrão Alfa Romeo – e uma contínua expansão da Rede de concessionárias e de oficinas autorizadas.


A primeira "geração", a JK-2000 jamais ultrapassou a casa das 500 unidades anuais, algo que só mudou em 1968, quando a Alfa Romeo comprava a FNM, e vendeu em 1.209 unidades em 1970, o recorde do sedan. O modelo saía de linha no Brasil em 1973, quando o mercado brasileiro já estava quase que renovado, com Ford Galaxie, Chevrolet Opala e Ford Maverick, vendeu pouco mais de 10.000 unidades nos 13 anos de mercado brasileiro, número bem abaixo dos rivais, como Simca Chambord e principalmente o Aero-Willys, que vendeu cerca de 10x mais que o FNM 2000/2150. Foram 4.356 unidades do 2000 e 7.486 unidades do 2150, totalizando 11.842 unidades. Mas com certeza que o 2000/2150 ajudou e muito no crescimento e evolução do mercado brasileiro, que melhorava e abria espaço para seu sucessor, o Alfa Romeo 2300, esse sim, um Alfa Romeo legítimo.


Há 1 ano: novo Honda Accord!


A nova geração do Accord chegou ao Brasil há 1 ano e trouxe algumas melhorias para o sedan. A primeira dela foi o design, que ficou melhor e mais atual, sem falar na mecânica que melhorou pouco, mas ajudou a deixar o Accord um pouco melhor. Mas o que mais melhorou foi as vendas. O modelo que vendia no máximo 1 unidade mensal ou até mesmo nenhuma unidade por mês, está vendendo uma média de 30 à 40 unidades mensais, números muito poucos, mas que já o colocam na frente de Toyota Camry, Kia Cadenza entre outros sedans rivais do Accord. Isso também se dá graças as melhorias do modelo, que é um dos mais vendidos do Estados Unidos, no Brasil não passa de um modelo secundário no segmento. Isso fez o Accord crescer no mercado brasileiro, deixando de ser um carro com vendas pífias, mas que ainda precisa melhorar e muito. Culpa do preço inicial, de R$119.900 e da Honda, que possui poucas concessionárias pelo país.

Relembre: Comercial do Fiat 147 - Posto!


Fonte: Canal Gustavo Mendonça Vinagre

sexta-feira, junho 27, 2014

Renault divulga a primeira foto oficial do novo Sandero, que será lançado em 4 dias!


A Renault divulgou a primeira foto oficial da nova geração do hatch Sandero, que chega oficialmente ao mercado no próximo dia 1º de Julho, data do seu lançamento. O modelo deve chegar ao Brasil como uma espécia de "Logan Hatch", mas com diferenças visuais, como o novo para-choque dianteiro, que é diferente do Logan, remete maior "esportividade" ao Sandero, deve chegar com duas opções de motor: o 1.0 16V Flex que rende 80/77CV de potência e o 1.6 8V Flex que rende 106/98CV de potência, sempre com câmbio manual de 5 velocidades. Possivelmente no fim do ano chegue a opção com câmbio automatizado de 6 velocidades, tanto para o Sandero como para o Logan. O modelo deve trazer como item de série na versão Dynamique, o sistema multimídia Media Nav 1.2, que possui GPS, câmera de ré, sistema de som e conectividade com celular. Com o mesmo bom espaço interno, a nova geração do Sandero deve chegar ao Brasil com preços na casa dos R$30.000, preços que o colocam como um dos mais competitivos hatchs compactos do mercado nacional, podendo chegar aos R$45.000.

Ford apresenta o novo Focus ST, que poderá chegar ao Brasil!


Como já era de se esperar, a Ford lança hoje o novo Focus ST, que chega ao mercado mundial em breve. O modelo traz o mesmo visual do novo Focus apresentado em 2013, com com aquele ar de "matador de GTI", no qual espera a Ford. O médio possui mudanças visuais como nova frente, com grade e entrada de ar maiores, novo para-choque dianteiro e traseiro, lanternas e claro, o escapamento central, além do interior que segue o mesmo padrão do novo Focus apresentado em 2013. Na motorização, tem novidades, como o novo motor 2.0 TCDi à Diesel que entrega 185CV de potência e um torque de 40,8kgfm de forma, que deve ficar disponível apenas na Europa.


Além dele também tem o conhecido 2.0 Ecoboost que rende 252CV de potência e um ótimo torque de 37,3kgfm de força, acoplado a um câmbio manual de 6 velocidades, que pode atingir uma velocidade máxima de 248km/l e ir de 0 à 100km/h em apenas 6,5 segundos. O consumo, o melhor da marca ST melhora e fica na casa dos 14,7km/l, um recorde histórico para os STs. Outra novidade é a cor cinza escuro "stealth". No Brasil ele pode chegar em 2015, como maior rival do Volkswagen Golf GTI, que custa custa pouco menos que R$99.000, o Focus ST poderia chegar ao mercado brasileiro com preços na casa dos R$110.000 poderá ser uma ótima opção de hot hatch.


Correios começa a testar o elétrico Kangoo Z.E. em Curitiba e Brasília!


A Renault com seus "Zero Emissions" começam a rodar no Brasil ainda de forma discreta. Prova disso é que o Correios começou a testar o Kangoo Z.E., que começam com o programa de mobilidade elétrica no Brasil. A parceria do Correios com a CEB (Companhia Elétrica do Brasil) (Somente no Distrito Federal) começa a valer nos próximos dias em Curitiba (PR) e em Brasília (DF). O teste inicial tem prazo de 4 anos, mas pode ser prorrogado por mais um ano, e pode marcar o início da chegada dos elétricos no país. As reduções da emissão de CO2 nos Correios é uma das ações previstas no Sistema de Gestão Ambiental da empresa, lançado no final de 2013 e composto por ações e metas para diminuir impactos ambientais causados pela estatal, uma meta capaz de reduzir em até 20% até 2020 os números de CO2 que a empresa libera com seus utilitários movidos a combustão. O Renault Kangoo Z.E., importado é o primeiro veículo de carga 100% elétrico a rodar no Brasil, com capacidade de carregar 650kg de carga. O furgão usa motor elétrico que rende 60CV de potência e um torque de 23kgfm de força, com autonomia de 170km.


Ford mostra uma foto do sistema multimídia SYNC dos novos Ka e Ka+!


Já virou tradição mostrar o carro aos pontos na Ford. Aconteceu com o EcoSport, New Fiesta, Focus, Fusion, Ranger e agora acontece com o Ka. A foto da vez é a do sistema multimídia SYNC do hatch, além de mostrar um pouco do painel do novo Ka, que lembra bastante o do New Fiesta e do EcoSport. O sistema SYNC deverá ter ainda o AppLink, recurso para acessar aplicativos pelo celular e até controlar o ar-condicionado e navegação, tudo isso por meio de comandos de voz. O modelo chega às lojas entre Julho à Agosto. Desenvolvido com parceria com a Microsoft, o SYNC já equipa mais de 10 milhões de carros da Ford pelo mundo. No Brasil já é possível encontrar em New Fiesta Hatch, New Fiesta Sedan, EcoSport, Focus Hatch, Focus Sedan, Fusion e Edge. O sistema multimídia deve estar presente tanto no hatch Ka, como no sedan Ka+, possivelmente nas versões mais caras, a SE e a SEL. Vale lembrar que o novo Ka deve trazer uma série de inovações para o segmento de compactos, inovações que o deixarão bem moderno frente a concorrência, que está em uma considerável evolução.

Papel de Parede: Jaguar F-Type e Porsche Macan!


(Clique nas imagens para ver em tamanho maior)

Tamanho das Imagens: 1600x1200


quinta-feira, junho 26, 2014

Prestes a ganhar face-lift, Audi lança o RS7 Sportback no Brasil!


Com face-lift previsto para o fim desse ano, a já mostrado por nós há pouco tempo atrás, a Audi lança hoje no Brasil o RS7 Sportback, que chega ao Brasil em sua versão mais apimentada, com motor 4.0 V8 biturbo que rende 560CV de potência e um bruto torque de 71,3kgfm de força, junto com câmbio automático de 8 velocidades, capaz de levar o RS7 de 0 à 100km/h em apenas 3,9 segundos e chegar a velocidade máxima de 305km/h. Com tração integral Quattro, suspensão adaptativa, exclusivos da linha RS, o RS7 traz visual parecido com o S7, mas bem mais apimentado que o A7.


Entre os itens de série, o RS7 conta com rodas de alumínio fundido de 21 polegadas, controle eletrônico de estabilidade com modo esportivo, bancos do tipo concha Alcântara, volante com três raios com base esportiva achatada, som de alta fidelidade com 14 alto-falantes da Bang & Olufsen, navegação com MMI Touch, Audi Music Interface, Audi Connect, Bluetooth e recepção de TV, entre outros itens de série. Pena que o preço é a pior parte de quem sonha com um RS7: no Brasil ele custa caros R$589.360 e se você tiver essa grana toda, espere pelo face-lift, que deve chegar em breve.


Jeep já mostra o primeiro vídeo do novo Cherokee aos brasileiros!


A Jeep apresentou hoje o comercial do novo Cherokee, que chega em breve ao país. Em nova geração, o novo Cherokee deve vir em versão única ao país, com motor 3.2 V6 que rende 270CV de potência e um torque de 32,2kgfm de força, acoplado a um câmbio automático de 9 velocidades, com tração 4x4. Já disponível no site, o novo Cherokee mostra pouco ainda além do vídeo, no qual pega carona na Copa do Mundo e diz que o Brasil virou o centro do mundo não só com a Copa, mas para a Jeep também. Isso porque a marca deve crescer e muito após a chegada do Renegade no início de 2015. A marca também homenageia os 5 anos da morte do cantor Michael Jackson, que faleceu em 2009, com a música "Love Never Felt So Good". A chegada do novo Cherokee é esperada para Agosto, com preços que devem ficar acima dos R$150.000 e deve ter o vídeo abaixo como comercial do SUV no país nos canais pagos.


Orgulho de ser brasileiro! Troller lança a nova geração do T4, mas preço fica para depois!


Fundada em 1995, a marca Troller hoje é sinônimo de nacionalidade pura. Oriunda do Brasil, a Troller cresceu e muito desde então. Concessionárias abriram em várias cidades e a marca começou a se popularizar entre os fora-de-estrada, que começaram a gostar do jipe nacional, que se manteve em linha intacto por quase 19 anos, passando apenas por face-lifts. Manteve. Isso porque a nova geração quer mostrar para o mundo que o T4 pode sim ser um veículo brasileiro, aliás a única marca 100% nacional. Graças a Ford que a Troller hoje é o que vemos. Em 2007, a marca brasileira foi comprada pela americana, que aperfeiçoou o jipe e o deixou melhor, aumentou sua fábrica e abriu mais concessionárias.


Nessa nova geração, o T4 quer mostrar que amadureceu e que não é mais um veículo de uma marca que engatinhava. O modelo agora conta com boa parte mecânica da Ranger, como o motor 3.2 Turbo Diesel Duratorq que rende 200CV de potência e um torque de 48kgfm de força, sempre com câmbio manual de 6 velocidades, sistema de tração com as opções 4x2 traseira, 4x4 high (que pode ser selecionável até 120km/h) e 4x4 reduzida, tudo com acionamento eletrônico por uma chave seletora no console.


Entre as 1.700 mudanças no T4, está na carroceria, que agora é feita de compósito, uma mistura de aço e fibra de vidro, mais leve e mais simples de moldar. Fora tudo isso, o novo T4 recebeu uma estrutura tubular metálica interna que forma um tipo de “célula de sobrevivência” para os ocupantes. Além disso ele fica mais atual com lanternas em leds, assim como o visual, que está bem moderno mas sem deixar de lado o jeito parrudo de ser, algo que consagrou o modelo na antiga geração. Ele mede 4,09 metros de comprimento, 1,97 metros de largura, altura de 1,96 metros, distância entre-eixos é de 2,58 metros e pesa 2.140kg. O porta-malas aumentou 40 litros, mas segue limitado com apenas 134 litros.


A distância em relação ao solo, algo de extrema importância para um fora-de-estrada, aumentou na mínima de 20,8cm e máxima de 31,6cm, onde o modo que o ângulo central chegou a 30 graus. Já os ângulos de entrada e saída, que definem a capacidade de superar obstáculos sem raspar os para-choques, são de 51º  e bons 14º atrás, diminuindo a chance de a traseira bater na saída de um rio, por exemplo. Falando em água, o novo T4 tem capacidade de atravessar um rio de até 80cm de profundidade, algo que já foi comprovado em vídeo recentemente mostrado aqui no blog.


De série o novo Troller T4 traz ABS e EBD, mas não traz airbags, que não são obrigatórios neste tipo de carro porque podem ser acionados indevidamente em uso off-road (mas há modelos em que o equipamento é desativável pelo motorista e que deveria ser o caso do T4). Também tem ar-condicionado digital de duas zonas, item de luxo nesse tipo de utilitário, novas rodas de liga leve de aro 17, lanternas em leds, direção hidráulica, computador de bordo, tração 4x4, teto solar panorâmico duplo, vidros e travas elétricas, rádio com CD-Player com entrada USB e Bluetooh com reduzida entre outros.


Com preços ainda indefinidos, a Troller espera que o modelo fique 15% mais caro que o atual, ou seja, o preço pode ficar entre R$110.000 à R$120.000. Porém, a Troller pode ainda lançar uma versão a gasolina do jipe, com motor 2.5 Flex também da Ford, que rende 175/173CV de potência, motor que pode baixar o preço em até R$25.000, deixando o T4 por R$85.000 na melhor das hipóteses. Porém nada é certo, tudo depende da Ford e da Troller em querer lançar o jipe com essa motorização. Atualmente vende cerca de 85 unidades mensais, número a Troller estima subir para cerca de 150 unidades mensais, com mais concessionárias e quem sabe daqui a pouco tempo chegando a outros países...


Preço

  • Aproximadamente R$115.000



Depois da Toyota, Honda convoca 20.908 donos de Civic e CR-V para Recall!


Depois do recall da Toyota com o Corolla há poucos dias atrás, agora a Honda, com o mesmo sistema de airbag do rival convoca seus donos para o seu recall. Os donos devem ir até uma concessionária para substituir o mecanismo do airbag do passageiro dianteiro. Trata-se do mesmo componente que provocou chamado de modelos Toyota na semana passada. A fabricante dos insufladores da bolsa nos modelos das duas marcas japonesas é a Takata. Segundo a Honda são 20.908 unidades do Civic (2000 à 2002) e CRV (2002 à 2003). Segundo a Honda, "poderá ocorrer a ruptura da estrutura do insuflador caso o mesmo seja acionado em colisão frontal moderada ou severa, possibilitando a projeção de fragmentos na região interna do veículo e, em casos remotos, incêndio"; "em situações extremas" pode haver "danos materiais e lesões graves ou até mesmo fatais aos ocupantes e/ou terceiros". Veja abaixo os modelos que estão envolvidos no recall...



Quantas unidades o Ford New Fiesta Sedan vendeu desde 2010 até Maio de 2014!


A Ford lançou em 2010, o New Fiesta Sedan, primeiro modelo a chegar entre os New Fiesta, já que o hatch só chegou um ano depois. O sedan chegou no mercado competindo contra o Honda City, seu maior rival desde o lançamento, e na época tinha preços parecidos com o do Focus Sedan, o que espantou alguns clientes do modelo. Não fez tanto sucesso, mas em 2013 foi lançado o atual face-lift para o modelo, que ficou de acordo com o visual restante da Ford e estava o mesmo que era produzido lá fora. Produzido no México, o New Fiesta Sedan é oferecido em duas versões no Brasil, sempre com motor 1.6 16V Flex que rende 130/125CV de potência, com câmbio manual de 5 velocidades ou PowerShift de 6 velocidades. Custando mais de R$53.000 atualmente, o modelo pode ganhar uma versão básica e a nacionalização esse ano quando os Fiesta Hatch e Sedan RoCam saírem de linha, possivelmente com motor 1.5 16V, mas ainda incerto...

Vendas

2010: (Vendas junto com o hatch, aproximadamente 6.000 unidades)
2011: 13.074
2012: 10.304
2013: 8.498
2014: 5.415 (De Janeiro à Maio)

Total: 37.291 (Sem contar 2010...)

quarta-feira, junho 25, 2014

Fim de linha: Peugeot 207 Passion já não é mais fabricado em Porto Real!


A Peugeot parece que está desistindo da sua gama de modelos compactos no Brasil. Segundo o Autos Segredos, o 207 Sedan, ex-207 Passion, saiu de cena no Brasil. Segundo o site, o modelo sequer está sendo fabricado em Porto Real, no Rio de Janeiro. Pesquisados pelos Autos Segredos, as concessionárias já confirmam que o modelo saiu de linha e só espera pela queima de estoque. Lançado em Outubro de 2008, o 207 Passion, que contava com motores 1.4 8V que rende 84/82CV e o 1.6 16V que rendia 113/110CV, vinha com opções de câmbio manual e automática. Ultimamente já estava se preparando para o adeus, o sedã era comercializado somente com motorização 1.4 8V e câmbio manual e em versão única, chamada de 207 Passion InConcert. Possivelmente para o seu lugar pode entrar o 301, que será maior, mais atual e mais caro que o 207 Passion, competindo diretamente com Ford New Fiesta Sedan, Honda City e Chevrolet Sonic Sedan. Aproximadamente foram vendidas poucos mais de 80.000 unidades do sedan em 6 anos de mercado.

Fiat lança a linha 2015 da Weekend no Brasil por R$45.550!


A Fiat lança hoje a linha 2015 da Palio Weekend, que chega com poucas mudanças no mercado brasileiro. Mas, ainda tem mudanças, como mais itens de série nas três versões da station, a Attractive, Trekking e Adventure. Há também um novo volante, novas cores e detalhes de acabamento em partes como pomo do freio de mão, comandos no painel e maçanetas das portas, além de rodas de liga-leve de 16 polegadas e novo grafismo do cluster, apenas no caso da versão topo de linha.


Entre os itens a mais, a Attractive passa a ter sensor de estacionamento, e tanto a Adventure quanto a Trekking agora possuem o sistema Locker, rodas de liga leve com pintura exclusiva (16” para a Adventure e 14” para a Trekking), faróis biparábola com máscara negra e rede porta-objetos no porta-malas do carro. A versão Adventure passa a ter como opcional o Kit Urban, que possui pintura exclusiva nas rodas de aro 16, pneus urbanos 205/60 R16, faróis escurecidos, e rede no porta-malas. Ah, esquecendo, agora agora se chama apenas Weekend, não mais Palio...


Preços

  • Weekend Attractive 1.4 Flex: R$ 45.550
  • Weekend Trekking 1.6 Flex: R$ 47.600
  • Weekend Adventure 1.8 Flex:  R$ 56.560

Ford apresenta o novo Edge, que deve chegar ao Brasil em 2015!


A Ford apresentou em 2013 o conceito do Edge, que antecipava linhas modernas e que lembram o sedan Fusion. O modelo apresenta um visual totalmente diferente, mas segue com o mesmo jeito "encorpadão", que fez sucesso e continua nessa nova geração. Com a mesma tendência da Ford, o novo Edge segue com o típico visual dos atuais Fords: grade, faróis, visual lateral com as maçanetas na linha de "cintura" do modelo, bem como o interior. Já a traseira foge um pouco da regra, com as lanternas, quem lembram um modelo em especial, o Fusion.


Na mecânica ele seguirá com os atuais 2.0 EcoBoost que rende 245CV e 37,2kgfm de torque, assim como a motorização intermediaria mantém o 3.5 V6 aspirado, que atualmente rende 289CV. Mas os dados do V6 não foram revelados, mas pode esperar por algo próximo dos 295CV ou 300CV e 34,9kgfm do motor atual. A novidade está no topo da gama, equipada com o 2.7 V6 EcoBoost que segundo a Ford, deve gerar mais de 300CV de potência, todos os motores são acoplados a um transmissão automática de 6 marchas. No Brasil é de se esperar sua presença no Salão do Automóvel, com lançamento no primeiro semestre de 2015, pouco tempo depois de ser lançado nos EUA.


Ideias de preços para o novo BMW X3!


A BMW deve lançar ainda neste ano no Brasil, o novo X3, que deve ter um ligeira mudança visual, já que recebeu um face-lift de meia-vida, para ficar mais atual. As maiores mudanças estão na frente, com nova grade, faróis, para-choques dianteiro e traseiro, além das lanternas e detalhes no interior. Futuro nacional, o X3 pode chegar com motor 2.0 16V Turbo que rende 184CV ou 245CV nas versões mais simples até o 3.0 Turbo de 306CV de potência, sempre acoplado a um câmbio automático de 8 velocidades ZF. Atualmente o X3 custa R$214.950, preços que podem subir para R$219.950 quando o novo modelo estrear no Brasil, que ocorre antes do início do Salão do Automóvel, que abre as portas em Outubro. Provavelmente a versão mais cara, deve custar R$289.950. Não tem planos da chegada do motor 2.0 Turbo Diesel, que pode ter 150CV ou 190CV de potência, para concorrer com Jeep Grand Cherokee Diesel e o futuro Land Rover Range Rover Evoque.