terça-feira, setembro 30, 2014

Volkswagen Polo Hatch e Polo Sedan dão adeus definitivamente ao mercado brasileiro!


É, ele se foi. Um dos melhores compactos que o Brasil teve deu adeus ao nosso mercado depois de 12 anos em linha. Lançado em 2002 primeiramente na configuração Hatch, o Polo foi muito falado em seu lançamento por ter um ótimo conjunto de motor e câmbio, e ter uma das melhores estruturas de carroceria do nosso mercado. Lançado no início de 2003, o Polo Sedan também seguia esse mesmo raciocínio. Com face-lift aplicado em 2007 e logo depois em 2012, o Polo já sentia o peso da idade. No Brasil não teve o mesmo sucesso de outros países por ser um carro caro para a época, e ser um carro caro também nos dias de hoje pelo o que oferece, mas seguia exatamente a mesma forma de fabricar do modelo europeu, tanto que recebeu 4 estrelas no Crash-Test realizado pelo LatinNCAP nesse últimos tempos, melhor que muitos carros mais novos. Tinhas duas opções de motor, a 1.6 8v e a 2.0 8v, ambas Flex que poderiam ser equipadas com câmbio manual de 5 velocidades ou automatizado I-Motion. Sua fabricação em São Bernado do Campo (SP) deve dar espaço a novos modelos, como a nacionalização do Jetta. Seu substituto natural é o Fox. Já o Polo Sedan não deixa substituto natural.


Renault novamente aumenta os preços do Fluence, que agora sai por R$66.890!


Mais caro novamente, o Fluence passa pelo seu segundo aumento de preços nesse ano, e agora não sai por menos de R$66.890, com aumento de R$1.100 na versão mais básica do sedan, a Dynamique. Produzido na Argentina, o Fluence está ficando cada vez mais caro em nosso mercado e a princípio sem nenhum motivo aparente. As versões intermediárias e topo de linha também sofreram aumento de preço e agora estão cerca de R$200 a R$500 mais caras que o modelo anterior. Prestes a mudar, o preço do Fluence deveria diminuir ao invés de ficar mais caro, já que para o Salão do Automóvel a marca francesa prepara novidades visuais para o médio, que deve mudar os faróis, grade, para-choque dianteiro e traseiro, além do interior que também deve receber modificações. A motorização não deve mudar. Falando em motorização, o Fluence conta com o motor 2.0 16v Flex que rende 142/138cv de potência e o 2.0 Turbo que rende 180cv de potência, com câmbio que pode ser manual de 5 velocidades ou automático CVT. Veja como fica a tabela de preços do Fluence.

Preços

  • Fluence 2.0 Dynamique – R$66.890
  • Fluence 2.0 Dynamique CVT – R$71.890
  • Fluence 2.0 GT Line – R$79.990
  • Fluence 2.0 Privilège CVT – R$82.990
  • Fluence 2.0 Turbo GT – R$90.490

Há 1 ano: novo Ford Focus Hatch!


A nova geração do Ford Focus Hatch fez um ano no nosso mercado de vendas. O hatch médio chegou por aqui com a missão de continuar a ser o líder de vendas do seu segmento e tentar barrar o grandioso lançamento do novo Volkswagen Golf, seu maior rival em anos de mercado. Com um bom atraso em relação à Europa, a terceira geração do Focus chegou ao nosso mercado custando mais deveria. Hoje, a versão básica com motor 1.6 16v não sai por menos de R$63.590 e com motor 2.0 não sai por R$77.590, fazendo com que o Golf tenha chances maiores no mercado com seu motor 1.4 TSI que rende 140cv de potência. Com isso o Custo/Benefício que o o Focus Hatch tinha até a última geração se foi por água abaixo. Mesmo assim o médio americano segue sendo líder de vendas do segmento, a frente de Volkswagen Golf e Chevrolet Cruze Sport6 com 15.345 unidades do Focus Hatch vendidas até Agosto. Nesse mesmo período o Golf emplacou 11.941 unidades e o Cruze Sport6 vendeu 11.066 unidades.

Comparativo Nº17: A guerra mundial do século XXI chega ao compactos!


O que você entende por "Guerra Mundial"? Muito sem fala na guerra mundial esse ano, já que completou 100 anos do início da batalha que matou milhares de pessoas e trouxe certas tecnologias para o homem atual, mas isso não assunto para esse blog. Até porque não é isso que iremos abordar no Comparativo número 17. Mas guerra mundial que vive nosso mercado no segmento de compactos ganhou dois novos combatentes nesses últimos meses. Se tratando de 1º ou 2º Guerra Mundial nossos compactos estão cada vez melhores e cada vez mais a briga interna aumenta. Vamos pensar assim. Dos Estados Unidos da América vem dois modelos para o combate: Chevrolet Onix e Ford Ka. Da França vem Peugeot 207 e Renault Sandero. Do Japão vem Nissan March e Toyota Etios Hatch. Da Itália vem o Fiat Palio. Da Coréia do Sul vem o Hyundai HB20 e da Alemanha vem o Volkswagen Gol. É uma dura guerra que começa agora. Cada um tem suas qualidades e seus defeitos e ninguém quer sair da briga derrotado. Quem vencerá? Quem perderá?

Honda apresenta o face-lift do CR-V por completo, que mostra traseira e interior renovados!


A Honda está apresentando hoje (30/09) o face-lift da atual geração do CR-V, que ganha leves mudanças visuais como novos faróis com LEDs que se ligam com a nova grade frontal, bem como novo para-choque dianteiro e traseiro que trazem mudanças boas mudanças no visual do SUV. Além disso ele também ganha uma leve mudança na lanterna traseira do CR-V, que é interligada a outra por um friso cromado que também une o lugar onde fica a placa. O "novo" CRV traz também novidades mecânicas, como o motor 2.4 que foi retrabalhado para o EUA, que ganha injeção direta de combustível, que possui mais potência e torque.


No interior, o CR-V conta com novo console central com central multimídia com tela de 7 polegadas touch screen, novo ar-condicionado digital e uma série de novos dispositivos eletrônicos, que alertam sobre mudança indevida de faixa, iminência de colisão dianteira, entre outros recursos por meio de câmeras e radares instalados ao redor do carro. Por aqui sua aparição no Salão do Automóvel não deve acontecer, mas ele deve chegar ao nosso mercado no primeiro semestre de 2015, já que vem do México, não deve demorar para chegar em nossas ruas. Pode trazer novidades no motor 2.0 16v Flex que pode adotar injeção direta de combustível, assim como o modelo americano. Preço? Se o atual custa R$98.000, espere algo em torno dos R$103.000.


Enquete: Segundo 50% dos internautas aprovaram as novidades do "novo" Fiat Uno!


Mais uma enquete chega ao fim com outro resultado diferente. Depois de grande parte dos dias que a enquete esteve no ar, a maioria dos internautas tinham votado que gostaram mais das novidades dos rivais do que a do Fiat. Com 20 votos, a pergunta era: Enquete: Você gostou das novidades que a Fiat propôs ao novo Uno?. Depois de 20 dias no ar, o resultado foi que 50% dos internautas gostaram das novidades do "novo" Uno, em especial ao sistema Start&Stop, algo inédito para qualquer nacional no nosso mercado. Já outros 30% gostaram mais das novidades dos rivais como os últimos rivais lançado como Volkswagen Up! em Fevereiro e o novo Ford Ka em Julho, que trouxeram boas novidades para o segmento de até R$40.000. Finalizando com a minoria, com 20% que não aprovaram as mudanças do Fiat Uno, como o design externo e interno, já que o novo sistema que auxilia a redução do consumo é muito bem-vindo a qualquer carro produzido no Brasil. Não deixe de votar nas próximas enquetes. A nova já está no blog.

Curiosidades: Como carros com teto solar panorâmico se comportam em um Crash-Test?


Você já se perguntou como um carro com teto panorâmico se comportaria em um crash-test, ou melhor, em um acidente? Com o teto de vidro, o carro deveria ter uma deformação do habitáculo mais deformada. Isso é um risco ou não? Como não há uma norma específica para veículos com teto solar, a realização do crash-test e os resultados devem obrigatoriamente ser os mesmos para carros equipados ou não com esse acessório, não importando se eles são fixos ou móveis, pequenos como o teto solar ou de grandes dimensões como o teto solar panorâmico, que está presente em grande parte do teto do veículo. No entanto, se o automóvel com um grande teto solar se comporta da mesma maneira em colisões, o mesmo não vale para quando ele faz uma curva em alta velocidade, por exemplo. Como a área ocupada pelo vidro é mais pesada do que a mesma área de alumínio ou aço, o centro de gravidade do veículo é mais elevado, o que piora um pouco sua estabilidade quando comparado ao carro convencional, ou seja, não traz riscos aos ocupantes, pois o vidro que está ali não é qualquer um, é um vidro reforçado, além de trazer luminosidade para o habitáculo, mas claro, isso vale apenas para carros vindo de série.


Fonte: Telhado de Vidro - Quatro Rodas

segunda-feira, setembro 29, 2014

Dupla da Volkswagen sofre em Setembro: Gol e Voyage "despencam" nas vendas!


As vendas não vão nada bem para a dupla Gol e Voyage no Brasil. Com a forte concorrência dos últimos 3 anos fez com que as vendas dos modelos alemães despencasse. Até a última Sexta-Feira (26/09) comprovam a má-fase dos modelos da Volkswagen. O Gol, geralmente o primeiro carro mais vendido do Brasil está nada mais nada menos que em 4º em Setembro, atrás de Fiat Palio, Fiat Strada e Chevrolet Onix, com 11.418 unidades, bem atrás do Fiat Palio que comercializou 14.144 unidades no mesmo período. Já a situação do Voyage é um pouco mais complicada. O sedan compacto da Volks não figura nem entre os 15 carros mais vendidos do mês, sendo que era figura fácil estar entre os 10 mais vendidos. O Voyage figura em 17º no mês, atrás de Palio, Strada, Onix, Gol, HB20, Siena, Uno, Prisma, Saveiro, Fox, Ka, Sandero, Fiesta, Up!, Corolla e Fit, com 5.099 unidades emplacadas. Enquanto isso, Saveiro com auxílio da Cabine Dupla e Fox com face-lift conseguem bons ritmos de vendas e saltam um pouco nas vendas e auxiliam a Volkswagen, assim como o Up! que se mantém estável mesmo com a chegada do novo Ford Ka. É melhor a Volkswagen se mexer e partir para uma nova geração do seu trio de compactos.



Volkswagen confirma a nacionalização do "novo" Jetta que deve começar no início de 2015!


A Volkswagen confirmou hoje, a nacionalização do "novo" Jetta, que deve ganhar face-lift e se tornar nacional ao mesmo tempo. Por aqui o "novo" Jetta "Made in Brazil" deve chegar às nossas ruas ainda no primeiro semestre de 2015, na fábrica de Anchieta, em São Bernado do Campo, no ABC paulista. A produção nacional do Jetta vai complementar a importação atual do México, para que a marca possa atender à demanda do modelo no Brasil. O montante investido para as adequações na linha faz parte dos R$10.000.000 que a empresa vai investir no Brasil até 2018, ou seja, o Jetta virá do México e será fabricado aqui, sendo que possivelmente o modelo a ser fabricado aqui poderá ser a versão Comfortline, enquanto o México produzirá a 2.0 TSI.


Segundo o presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall, “Com mais esse passo, comprovamos nossa qualidade mundial de produção e demonstramos, mais uma vez, a confiança no Brasil e principalmente nos importantes acordos negociados com os Sindicatos dos Trabalhadores”. A produção nacional terá capacidade de fabricar 18.000 unidades por ano do sedan e já recebe nova infraestrutura para se adequar a produção do Jetta. O face-lift muda pouco no Sedan Médio, que deve trazer como novidades itens de série como detector de ponto cego, sistema de aviso de colisão frontal iminente, sensores e monitoramento da distância de obstáculos ao redor, faróis com lâmpadas de xenônio nos fachos alto e baixo, luzes diurnas por LEDs, entre outros itens. Não se sabe se a versão de entrada receberá motor 1.4 TSI Turbo, o mesmo do Golf.


Kia divulga mais fotos do novo Sorento, que mostra seu belo interior e motorizações!


A Kia presentou mais fotos da nova geração do Sorento, a terceira do SUV. Nas fotos podemos ver como fica o modelo europeu, que é basicamente o mesmo do modelo coreano, sem nenhuma diferença. Porém, as fotos do modelo europeu finalmente mostram como ficará o interior da nova geração do SUV que possui um belo design, mais amadurecido e menos "ousado", mas ainda assim muito bonito. Apresentada em Agosto, a nova geração do Sorento traz novidades do novo face-family da Kia com grade dianteira interligada aos faróis e design que segundo alguns internautas, o acham parecido com o Volvo XC60. Está mais confortável, espaçoso e mais silencioso, já que a Kia melhorou o isolamento do ruído interno.


Com 4,78m de comprimento, 1,68m de altura e 2,78m de entre-eixos, o Novo Kia Sorento 2015 é 10 cm mais longo e tem 8 cm a mais na plataforma, dando mais espaço interno. Além disso ele conta com 52,7% de aço de ultra-alta resistência na carroceria, sendo assim mais rígida e segura. Nas motorizações, o Sorento disponibilizará 4 para os europeus. Começando pelo 2.4 16v que rende 174cv de potência, o 3.3 V6 que rende 270cv, além de opções a Diesel, indisponíveis para o Brasil, como o 2.0 que rende 186cv de potência e o 2.2 que rende 202cv de potência, com câmbio manual ou automático, possivelmente de 6 velocidades. Por aqui o novo Sorento chega no segundo semestre de 2015.


Chevrolet nega fim de Captiva, que deve mudar para Equinox! Buick Envision será a inspiração para o modelo da GM!


A Chevrolet em comunicado oficial afirmou que o Captiva não saíra de linha (aham, vai nessa!) e que deve continuar a ser produzido sem data para ser fim determinado. Mas segundo sites mexicanos o fim do Captiva em Novembro como já foi noticiado aqui no Conexão Automotiva, que deve abrir espaço para a nova geração do Chevrolet Equinox, ainda desconhecida mas que deverá ter inspiração no Buick Envision, modelo que foi apresentado recentemente e que mostra como será um pouco dessa nova geração do Equinox, que deve entrar no lugar da Captiva já em 2015 e no Brasil em 2016. Mas é quase certo que o Captiva deixará sim nosso mercado em breve. Isso porque em uma questão de reduzir custos, a Chevrolet deve "enxugar" sua gama de SUVs, ficando praticamente os mesmos modelos para Chevrolet, Buick e Opel, assim como já acontece com Buick Encore e Opel Mokka, praticamente cópia do Chevrolet Trax (aqui Tracker), mudando apenas frente, traseira e interior para diferenciar um pouco de cada marca. No Brasil o atual Captiva é na verdade um Opel Antara que foi escolhido para ser vendido em países sul-americanos, deixando o Chevrolet Equinox para os mercados norte-americanos. Ambos modelos deverão receber uma fusão, ou seja, apenas o nome Captiva deve ser enterrado, entrando em seu lugar o nome Equinox. Confuso, não?


Carros que podem ou poderiam chegar ao Brasil: Kia Venga!


Uma espécie de Honda Fit da Kia, o Venga é um misto de hatch com minivan compacta, onde ela se encaixa mais no segundo segmento. Na Europa, a motorização varia de 1.4 que rende 77cv e a 1.6 com 128cv, além de opção de câmbio manual de 5 velocidades ou automático de 4 marchas com Start&Stop. A Kia deu hoje um tapa no visual do Venga que traz mudanças no visual como novos para-choque dianteiros e traseiros, nova grade dianteira, novos faróis de neblina com LEDs diurnos incorporados, além de friso cromado na parte traseira, que liga uma lanterna a outra. No interior a mudança fica por conta de nova padronagem de tecidos e materiais, além de detalhes cromados adicionados ao acabamento. Visualmente o Venga é um Fit da Kia e poderia sim chegar ao Brasil se não fosse o alto IPI para modelos importados, que acaba dificultando não só a vinda de novos modelos como a renovação de novos modelos. Se viesse ao Brasil com imposto adicionado, custaria facilmente acima dos R$60.000, sendo que poderia ser cerca de R$10.000 mais em conta, com preços próximos do seu maior rival, o Honda Fit.


domingo, setembro 28, 2014

Vídeos Automotivos: Entrevista com Rafael Borelli sobre o sistema Start&Stop do novo Fiat Uno!


Fonte: Canal Mecânica Online

Vídeos Automotivos: Um pouco mais sobre a engenharia do novo Fiat Uno!


Fonte: Canal Mecânica Online

Vídeos Automotivos: Release do novo Fiat Uno!


Fonte: Canal Mecânica Online

Vídeos Automotivos: Release do novo câmbio Easy-R de Renault Sandero e Logan!


Fonte: Canal Mecânica Online

Vídeos Automotivos: Test Drive no novo Volkswagen Fox Comfortline!


Fonte: Canal Top Speed

Retrômobilismo#50: O quarentão mais querido do Brasil! Volkswagen Passat é a revolução da água!


Lançado em Setembro de 1974, o Passat se tornou o carro mais moderno do nosso mercado na época. Enquanto a maioria de seus irmãos usava motor a ar, o Passat inovava a ter motor refrigerado a água. Primeiramente o Passat foi oferecido apenas na configuração 2 portas e nas versões: L e LS. Com a tendência dos anos 70 de vir com linhas retas, o Passat logo se tornou um sucesso pelo seu belo visual. Na época o Passat foi muito criticado por ser um carro diferente, com motor dianteiro e refrigerado a água. Mas o Passat acabou "não ouvindo" as críticas e logo se tornou um sucesso de vendas como Fusca e Brasília. Em seu lançamento para as concessionárias no Rio de Janeiro em 1974, uma forte tempestade caiu sobre a cidade carioca e muitos concessionários e mecânicos da Volkswagen chamaram o Passat de "anti-Volkswagen". Na verdade, o Passat foi um carro "odiado" pelos concessionários e pelos mecânicos porque tinha praticamente tudo novo. Motor, suspensão e transmissão eram novos.


O motor dianteiro longitudinal, de 4 cilindros inclinados em linha e tinha comando de válvulas no cabeçote. O motor 1.5 rendia 65cv líquidos tinha ótima estabilidade e dirigibilidade, tinha câmbio manual de 4 velocidades. Ia de 0 à 100km/h em 17 segundos com velocidade máxima de 150km/h. Assim como o moderno Alfa Romeo 2300, tinha coluna de direção deformável, que diminuía o impacto em caso de colisão. O radiador era instalado à esquerda do motor, o que exigia ventilador acionado por motor elétrico, outra novidade em carros nacionais, bem como os freios traziam como novidade, duplo circuito atuando na diagonal, outra novidade no nosso mercado. Porém não trazia servo-freio, e era preciso um certo esforço para acionar os freios, o que foi muito reclamado pelos donos, e a Volkswagen acabou colocando em todas as versões em 1974. Também foi disponibilizado nas revendas para comprar e colocar nos modelos 73. A suspensão era do tipo McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira.


A carroceria com 5 portas era lançada em 1975 e trazia visual diferente mas que não deixava o Passat feio. Porém como a preferência nacional do mercado era para modelos com 2 portas, não fez tanto sucesso. Tinha os mesmos 4,18m de comprimento, mudando apenas as colunas traseiras. Em 1976 chegava a versão esportiva TS que se tornaria um clássico dentro da história do Passat. Tinha faróis duplos, uma faixa preta que estava em toda lateral do Passat e tinha a inscrição "TS" que significava Touring Sport. Entre as novidades no interior estavam conta-giros e volante esportivo. Também tinha manômetro de óleo, voltímetro e relógio analógico. Tinha bancos reclináveis, com encosto de cabeça. Mas a principal diferença estava no motor, que era um 1.6 que rendia 80cv de potência que arrancou sorrisos de muitos consumidores, tornou-se referência e fez muito sucesso. Com esse motor ia de 0 à 100km/h em 14 segundos com velocidade máxima de 160km/h. O TS trazia carburador duplo Solex importado da Alemanha, tinha coletor duplo de escapamento que conduzia os gases queimados em dois tubos até quase o meio do carro. Ele fazia 12km/l, sendo um esportivo bem econômico.


Em 1978 ganhava a versão LSE que vinha com o mesmos faróis duplos do Passat TS, tinha 4 portas e trazia bons itens de série como ar-condicionado, algo raro na época. Andava menos por ser mais pesado por ter mais equipamentos de série, mas atendeu muito bem os consumidores da época. Tinha encosto de cabeça traseiro, bancos com revestimento mais refinado e apoio de braço central no banco traseiro. A suspensão também era voltada para o conforto nessa versão LSE, mas sem comprometer a estabilidade. No mesmo ano o Passat enfrentava dificuldades em engates de marcha, o que foi rapidamente sanado pela Volkswagen que tornou o Passat novamente um carro ótimo em seu segmento. Ainda em 1978 a Volkswagen lançava a opção de rebater o banco traseiro, que permitia a entrada de amplas bagagens ou objetos maiores, pois já tinha uma ampla tampa do porta-malas, a função lançada pela Volkswagen facilitou e muito a vida do Passat. Em 1979 chegava a primeira mudança visual do Passat, que ganhava novos faróis retangulares, nova grade com friso cromado horizontal, novo para-choque dianteiro e traseiro. As lanternas deixavam de ser vermelhas para ter uma coloração para cada função, exceto a luz de ré.


Na versão TS, a mudança ficava por conta da faixa preta lateral que ficava logo abaixo dos vidros e era bem mais discreta que a do primeiro Passat. Em 1979 ganhava a versão Surf que tinha acabamento despojado, sem calotas, sem frisos cromados, mas tinha como apelo o público jovem e trazia para esta versão, cores vibrantes. Vinha com o mesmo motor 1.5. Em 1980 chegava a opção de motor movido à álcool, primeiramente com o motor 1.5 e logo depois chegava a versão 1.6. Ficava esperto e tinha velocidade final maior e estava mais arisco em ciclo urbano. Com uma das maiores novidades dos anos 80, a Chevrolet lançava o Monza que começou a incomodar e muito as vendas do Passat que começou a sentir o peso da idade. Com isso a Volkswagen se mexeu rápido e trouxe mais novidades no visual do médio, as últimas antes de sair de cena. A Volkswagen mexia novamente na dianteira com novos faróis duplos e retangulares, novos para-choques dianteiro e traseiro, nova grade mais fina, luzes de direção no para-choque dianteiro e refletores na extremidades dos faróis.


Para rivalizar com o Chevrolet Monza, a Volkswagen colocava motor 1.8 na versão esportiva GTS, que substituía a TS que rendia 85cv de potência líquida com gasolina e rendia 92cv com álcool. Saía de cena o motor 1.5 e todas as versões ganhavam o motor 1.6, que perdeu um pouco de originalidade de cada versão. Ganhava a versão de luxo GLS nessa mesma mudança. Em 1984 a Volkswagen arrumava a salada de frutas que as versões do Passat eram e com isso eram renomeadas. A verão básica agora era a Special, seguida pela LS Village, LSE Paddock e a famosa GTS Pointer, que deixavam tristes os donos do TS, já que a versão não era mais oferecida. Por outro lado o GTS Pointer agradou muito por aliar conforto, agilidade e confiabilidade e a impecável estabilidade do Passat Pointer. Essa versão GTS trazia rodas de aro 14, para-brisa com faixa degradê, encosto de cabeça para 4 ocupantes e descansa-braço no banco traseiro. Além disso tinha bancos dianteiros Recaro com regulagem de altura. Opcionalmente poderia ser equipado com  teto solar.


Ficou famoso também o volante "quadro bolas" em função as 4 partes da buzina no volante que já estava na versão esportiva do Gol e vinha do Golf alemão. Em Novembro de 1984 chegava a versão Plus, uma versão mais simples da GTS Pointer que vinha com o mesmo motor 1.8. Em 1985, o Passat ganhava novos retoques na visual ao apresentar novos pára-choques envolventes com plástico injetado, lanternas traseiras frisadas e painel totalmente novo e muito mais elegante, inspirado no do Santana, que incluía termômetro de óleo no console do GTS Pointer. Além disso ganhava câmbio manual de 5 velocidades em todas as versões e dava um fim à versão de 4 portas que nunca foi um sucesso. Em 1986 o Passat ganhava motor 1.6 AP e 1.8 AP. Com isso o motor 1.8 rendia 99cv de potência e melhorava seu desempenho. Ia de 0 à 100km/h em 11 segundos com velocidade máxima de 175km/h.


Mas as vendas do Passat não animavam mais. Com o crescimento da famíla Gol e novos rivais mais modernos como Chevrolet Monza Hatch, Ford Corcel II e Ford Del Rëy entre outras novidades dos anos 80. Em Junho de 1986, um excedente de versões LSE destinadas ao Iraque foi oferecido ao mercado nacional. Apesar de possuir características diferentes do gosto brasileiro dos anos 80, como o estofamento vermelho na maioria das unidades e 4 portas, a aceitação pelo modelo foi muito boa, pois ele contava com itens de conforto como bancos Recaro e ar-condicionado de série, por um bom preço. Sem divulgação, ficando em uma parte mais "escura" das concessionárias da Volkswagen, o Passat acabou saindo de linha em 2 de Dezembro de 1988 após comercializar 676.819 unidades no Brasil, além de 221.010 unidades exportadas, a maioria para a América do Sul e para o Iraque, totalizando 897.829 unidades produzidas. Voltaria ao nosso mercado em 1994 como "Passat alemão" e totalmente diferente. E como entre ambos existe um abismo, preferimos deixar o Passat "Alemão" para depois. Nesse mês o Volkswagen Passat faz aniversário de 40 anos no Brasil.


Fonte: Best Cars - Passat

sábado, setembro 27, 2014

"Novo" Volkswagen Jetta será nacional no primeiro semestre de 2015!


A Volkswagen deve nacionalizar o Jetta em 2015. O plano de produção do médio já foi aprovado pela direção da Volkswagen na Alemanha, e foi apresentado ao Sindicado dos Metalúrgicos do ABC, que, em assembléia, também aprovaram o projeto. Segundo os sites Valor Econômico e Auto Informe, a Volkswagen deve confirmar a produção do Jetta nessa Segunda-Feira (29/09) no lugar do Polo. A fábrica de Anchieta, em São Bernado do Campo tem capacidade de produzir 20.000 unidades por ano do Jetta. Segundo os sites, a produção do Jetta no Brasil começa no primeiro semestre de 2015 já com o face-lift aplicado recentemente ao sedan, isso porque as peças serão importadas do México, tendo apenas a montagem final do Jetta no Brasil. O que levou a Volkswagen a "nacionalizar" o Jetta é pelo simples motivo que do México o modelo pagará o IPI adicional se ultrapassar as cotas de importação, e para abrir espaço para o Golf, que deve ocupar praticamente toda as cotas mexicanas, junto ao Fusca. Desde Janeiro foram vendidas 5.835 unidades do Jetta. Com face-lift o modelo poderá enfim, voltar a brigar pelo 4º ou até mesmo o 3º do segmento. Bem que poderia vir com motor 1.4 TSI na versão Comfortline, substituindo o velho 2.0 8v Flex...


Há 1 ano: novo Ford Focus Sedan!


Hoje faz um ano do lançamento do novo Ford Focus Sedan. No estranho método da Ford em lançar primeiramente o Focus Sedan e 3 dias depois o Focus Hatch foi para destacar o Sedan, que por aqui sempre teve a imagem apagada. Nessa geração não foi diferente. A Ford tinha como plano, colocar o Focus Sedan entre os 5 mais vendidos do segmento, mas na realidade o Focus Sedan fica atrás de Toyota Corolla, Honda Civic, Chevrolet Cruze, Nissan Sentra e Citroën C4 Lounge, se colocando em 6º no segmento. Mas vale dizer que o Volkswagen Jetta vem tirando vendas do Focus Sedan mês a mês e possivelmente até o encerramento de Setembro cole de vez no Focus Sedan, caindo para 7º se vier a ultrapassar. A média de vendas é de 780 unidades mensais, mas uma boa parte é de vendas jurídicas. Mas o Focus Sedan possui muitos predicados, mas o preço atrapalha e muito as vendas do sedan. Atualmente a versão mais básica do Focus Sedan, a S, sai por R$71.590, se tornando uma das mais caras do segmento. Quem sabe se o preço fosse cerca de R$3.000 à R$5.000 menor, teria um relativo sucesso em nosso mercado.

Hyundai-CAOA oferece taxa zero para 6 modelos neste final de semana!


Com vendas abaixo do esperado para a maioria de seus modelos (exceto ix35 e Tucson que vendem bem em nosso mercado) a Hyundai-CAOA está proporcionando condições especiais para este final de semana. Trata-se de taxa zero com com entrada de 60% do valor do veículo e saldo parcelado em 12 vezes sem juros, sempre seguindo à risca o preço de tabela. Por exemplo, o ix35 que parte de R$98.950, é negociado com taxa de juros zero mediante entrada de 60% e saldo parcelado em 12x de R$3.448 (com impostos inclusos), ou a outra opção para o mesmo modelo é a entrada de 70% e o saldo em 18 parcelas de R$1.746 (com impostos inclusos). A promoção está sendo oferecida para 6 modelos da gama Hyundai-CAOA entre eles modelos nacionais e importados como i30, ix35, Elantra, Equus, SantaFé/Grand SantaFé, Azera. Com preços altos e baixas vendas, a Hyundai-CAOA teve que fazer essa promoção, que apesar de estar disponível apenas para este final de semana, pode encontrar alguns modelos com descontos em algumas concessionárias.

Retrômobilismo#49: "O melhor carro já produzido no país!", assim é caracterizada a história do Alfa Romeo 2300!


O Alfa Romeo 2300 ganhou um título honroso quando foi lançado por aqui quando foi lançado, entre Outubro de 1973 à Março de 1974. Era escolhido o melhor carro já fabricado do Brasil naquela época, se tornando o melhor na frente de outros 48 carros que já tinham sido lançados até então. É um título e tanto. Por aqui ele substituiu o já cansado FNM JK/2000/2150, que saía de linha no mesmo ano de lançamento do 2300. Atualizado com o que tinha de melhor no mercado internacional, o 2300 virou sinônimo de pioneirismo por trazer tecnologias inexistentes no nosso mercado naquela época, sem falar que evoluíamos consequentemente, a passos que assustavam aqueles que gostavam de automobilismo, isso porque nosso mercado apenas de ter menos de 20 anos na época, ia amadurecendo. Com fábrica no distrito de Xerén no município de Duque de Caxias no Rio de Janeiro, o 2300 era fabricado.


O visual trazia tudo que era tendência na época, com linhas retas, traseira alta, ampla área envidraçada entre outros. Trazia também a nova linguagem visual da Alfa, com os conhecidos faróis duplos. O interior tinha personalidade, com volante de três raios, bancos dianteiros individuais reclináveis e opcionalmente com encosto de cabeça. Trazia também conta-giros, manômetro do óleo, levador do para-brisa, apoio de braço central no banco traseiro e cinto de 3 pontos para 4 ocupantes, além de outros opcionais como rádio com antena elétrica, vidros verdes e ar-condicionado. O motor era um 2.3 com duplo comando que rendia 140cv de potência e torque de 21kgfm de força, com câmbio manual de 5 velocidades, o pioneiro nacional a vir com esse câmbio. Ia de 0 à 100km/h em 11,7 segundos e atingia a velocidade máxima de 170km/h, desde que usasse a gasolina azul, que tinha maior octanagem.


Também era um dos únicos nacionais a ter um conceito de estrutura diferenciada, com zonas de deformação na dianteira e na traseira, que absorvia os impactos em caso de colisão. Falando em estrutura, o 2300 trazia grande rigidez e torção da carroceria. Além disso tinha coluna de direção com duas juntas universais e freios a disco nas 4 rodas. Com tudo isso ainda era mais em conta que seus principais rivais como Dodge Dart Gran Sedan, Chevrolet Opala Grand Luxo 4.1, Ford Galaxie e Ford Landau. Com a proibição dos importados em 1976, a Alfa se beneficiou e muito com o 2300 que era a opção mais próxima dos importados da época: tanto que em seu slogan a marca italiana usava "o primeiro importado feito no Brasil!". No mesmo ano, em 1976, no Salão do Automóvel a Alfa Romeo apresentava a versão básica do 2300, que seria caracterizada pela letra "B" ao lado do nome 2300. Na versão mais completa trazia melhorias como acabamento aveludado, nova posição dos comandos no painel e traziam maçanetas embutidas nas portas.


O motor ganhava adaptação a gasolina "amarela", mantendo o mesmo desempenho do modelo que usava gasolina azul. Com isso o motor ganhava 1cv de potência, indo para 141cv e torque de 21,5kgfm de força, ganhando 0,5kgfm. Ganhava suspensão mais macia e silenciosa, graças a novas molas, amortecedores e buchas. Já em 1977 era lançado o 2300 TI (Turismo Internacional) era a versão mais refinada e trazia novidades externas como garra de borracha nos para-choques, frisos cromados e emblema na coluna traseira e na grade. O interior trazia quadro de instrumentos completo com manômetro do óleo e voltímetro, rádio com toca-fitas e revestimento do painel em mogno. O banco traseiro também ganhava dois encostos de cabeça, cinto de 3 pontos e cortinas no vidro de trás. O motor ganhava outro carburador Solex, que aumentava a potência para 149cv e torque de 23kgfm de força, que melhorava para 10,8 segundos o 0 à 100km/h e chegava aos 175km/h.


Em 1978 o 2300 deixava de ser produzido no distrito de Xerém no Rio de Janeiro para ir para Betim (MG). Com outra qualidade de construção, o 2300 ficou melhor ainda e "eliminava" o nível de ruído e a proteção contra a corrosão, mas ainda continuava "caro", ficando apenas mais em conta que a dupla Ford, Galaxie/Landau. Em 1980 o 2300 passava por mais mudanças como para-choque preto que substituíam os para-choques com detalhes cromados. Em 1981 vinha o 2300 a Álcool que rendia 145cv de potência e torque de 23kgfm de força, não teve muito êxito no mercado. Ainda em 1981, o 2300 ganhava direção hidráulica progressiva que tornava a condução mais firme. Dois anos mais tarde o TI tornava-se a única versão do 2300 e já mostrava que seu visual estava cansado. Foi assim que em 1985 a Alfa Romeo deu um tapa no visual do 2300 que trazia novos para-choques dianteiros, nova grade dianteira e lanternas maiores.


O "novo" visual não empolgou em nada os consumidores que já vinham o 2300 como um modelo velho e cansado no mercado. Apesar da leve mudança visual, o modelo já tinha um design superado que não chamava mais a atenção do consumidor. Foi assim que o modelo acabou saindo de linha em Novembro de 1986, encerrando o ciclo da Alfa Romeo no Brasil, marca que só voltaria ao nosso país em 1990 com a volta as importações com o 164. Marcou nosso mercado por ser um clássico da indústria nacional, além de ser um dos melhores carros produzidos em sua época, o 2300 foi inovador em muitos aspectos e um legítimo representante do segmento de luxo sem abrir mão da esportividade. No quesito vendas o Alfa Romeo 2300 nunca foi um sucesso. Nós apenas temos dados de vendas de 3 anos, sendo em 1979 (2.211), 1980 (1.937) e 1981 (806). Estima-se que apenas 24.500 unidades do 2300 foram vendidas em 13 anos de carreira no nosso mercado.


sexta-feira, setembro 26, 2014

Confirmado! Zotye confirma V10, que chega ao mercado brasileiro em 2015!


A chinesa Zotye confirmou que em 2015 deverá lançar mais modelos para nosso mercado. Depois de Logic e Hunter que deve chegar ainda neste ano, o V10 deve ganhar nossas ruas em 2015, se tornando rival de Effa ULC Minivan, Rely Link entre outros. Em alguns países ele é comercializado com motor 1.2 que rende 85cv de potência, sempre com câmbio manual de 5 velocidades. Leva 8 ocupantes e pode se tornar uma opção interessante ao mercado, assim como seus rivais, por exemplo o Custo/Benefício. O V10 deve contar com itens necessários como direção hidráulica, vidros e travas elétricos, ABS, Airbag e possivelmente Som com CD, USB e Auxiliar. Preços? Um pouco abaixo dos R$40.000. A Zotye pretende ter 30 pontos de venda até o início de 2015, sendo que sua estréia no Brasil deve acontecer em Novembro, vendendo o popular Logic e o SUV Compacto. Também há planos para uma fábrica a partir de 2016, localizada próxima a cidade de Colatina, no estado de Espírito Santo. Já a distribuição e rede de peças deve ficar próximo a capital, ou seja, próximo ou em Vitória.


Sucesso: Novo Ford Ka já consta entre os 15 carros mais vendidos de Setembro!


Com propagandas indo ao ar no início dessa semana, a nova geração do Ford Ka já é um sucesso de vendas. Antes mesmo do início da divulgação em TV e Internet, o novo Ka já constava entre os 25 carros mais vendidos do país em Setembro. Até ontem (25/09) o compacto global da Ford já tinha vendido 6.023 unidades, se tornando já em seu primeiro mês de vendas, o Ford mais vendido do Brasil, ultrapassando pesos pesados como New Fiesta e EcoSport. Aliás, falando em New Fiesta, o modelo tem tido dificuldades para estar no "TopTen" depois da chegada do Ka, que caiu para 13º isso com as vendas somadas. Separados, ambos devem ficar bem mais longe dos 10 mais vendidos do Brasil. Bom, apenas entre os automóveis, o Ka já está em 9º, mas no geral (Automóveis + Comercial Leve) cai para 11º, apenas um modelo a sua frente. A expectativa da Ford é de vender cerca de 10.000 unidades, mas com esse início de vendas deve ficar claro que ele pode chances de vender mais que isso e pode até brigar por um lugar ao pódio. Veja abaixo os resultados parciais até o dia 25/09.

1º Fiat Palio - 13.412
2º Fiat Strada - 12.134
3º Chevrolet Onix - 11.446
4º Volkswagen Gol - 10.898
5º Hyundai HB20 - 8.439
6º Fiat Siena/Grand Siena - 8.086
7º Fiat Uno - 7.680
8º Chevrolet Prisma - 7.257
9º Volkswagen Saveiro - 6.754
10º Volkswagen Fox - 6.604 (Sem CrossFox)
11º Ford Ka - 6.023
12º Renault Sandero - 5.769
13º Ford Festa - 5.583
14º Volkswagen up! - 5.357
15º Toyota Corolla - 5.231

Hyundai apresenta a van H350, a nova rival da Mercedes-Benz Sprinter, que pode chegar ao Brasil!


A Hyundai está apresentando nestes últimos dias as primeiras fotos oficiais do novo furgão da marca coreana. Depois do H1 que possui um visual mais parecendo uma Mercedes-Benz Vito, a H350 é um Furgão/Van e concorre diretamente com modelos consagrados como Mercedes-Benz Sprinter e Renault Master. Os faróis e as lanternas trazem LEDs e traz exatamente a identidade visual da Hyundai atual. Com visual moderno e bonito a H350 quer tentar tirar o posto da Sprinter, de furgão/van mais vendida do mundo. Para isso ela segue a mesma receita da Sprinter ao oferecer 3 tipos de carroceria: Furgão, Passageiros e Chassi que pode servir como um VUC.


No interior, o H350 mostra acabamento bem cuidado e bons itens de série, algo raro em uma segmento de transporte, que variam de acordo com a versão. Entre os destaques estão o volante multifuncional, vidros elétricos, sistema de áudio com entrada para CD, MP3, USB, iPod, Bluetooth, entre outros. Também pode ser equipado com sistema multimídia com navegação GPS e ar-condicionado. O motor é o mesmo para todas versões, mas traz diferenças. Na Europa e na Ásia ela deve oferecer motor 2.5 CRDI à Diesel que rende 150cv e torque de 38kgfm de força ou 170cv e 43kgfm de torque, sempre com tração traseira e câmbio manual de 6 velocidades. No Brasil a H350 pode até chegar para ser uma rival para a líder Master e para a Sprinter, com possível fabricação nacional em Anápolis (GO).


Mahindra lança Scorpio M.O.V. que ganha novo motor a Diesel por R$97.700!


Quando foi que você viu a última notícia sobre a Mahindra? Faz um tempinho. Aqui no Conexão Automotiva, a última foi em Junho, ou seja, a Mahindra é uma marca muito discreta no Brasil (até demais!). Tanto que hoje a Mahindra está lançando novidades para o Scorpio SUV, que passa a ser chamado de Scorpio M.O.V. e traz como principal diferença o novo motor Diesel que agora rende 120cv de potência e torque de 29,5kgfm de força, sempre com câmbio manual de 5 velocidades que segundo a Mahindra a troca de motores foi para atender as novas regras do Euro V. Entre os itens de série, o Scorpio M.O.V. vem com freios ABS, airbag duplo, ar-condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, farol de neblina, piloto automático e bancos de couro, além da tração 4x4 com reduzida. Com 40 concessionárias pelo Brasil a expectativa da indiana Mahindra é vender cerca de 30 unidades mensais em 2014, aumentando esse número para 80 unidades ao mês em 2015.


Preço

  • Mahindra Scorpio M.O.V. 2.2 Diesel - R$97.700