terça-feira, junho 30, 2015

Renault divulga maiores detalhes sobre Sandero R.S. e Oroch em seu site, com lançamento para Julho!


A Renault já dispõe em seu site maiores novidades sobre os seus lançamentos que devem chegar ao Brasil praticamente juntos, em Setembro. A francesa divulgou algumas informações sobre o Sandero R.S. e a picape Oroch, algumas já sabidas, outras, nem tanto. Segundo o site, o Sandero R.S. deve acelerar de 0 a 100km/h em 8 segundos e atingir 202km/h de velocidade máxima. Com motor 2.0 16v Flex que desenvolve 150cv com Etanol, o hatch terá condução rápida e divertida, sempre da rotação ideal do motor. Como havíamos falado anteriormente, o Sandero ainda contará com o sistema RS Drive com três modos de direção: Normal, Sport e Race. A direção será eletrohidráulica e calibrada para ser leve ao estacionar e firme quando aumentar a velocidade. A suspensão terá molas mais rígidas combinadas com absorvedores de choque em poliuretano. A altura do solo foi reduzida em 2,5cm e o eixo traseiro está mais rígido, ao contar com barra estabilizadora. O sistema de freio é a disco nas quatro rodas e calibrado para uso intensivo, com atenção a estabilidade, durabilidade, resistência ao calor e distribuição de frenagem, preparado pela equipe Renault Sport. No caso da Oroch o site apenas divulga que a picape terá suspensão traseiro multilink e capacidade de carga de 650kg, com opção de vir com extensor de caçamba. Revelou que a picape tem boa altura em relação ao solo e excelente ângulo de entrada, enquanto os pneus são de uso misto. Nos itens de série ela deve trazer sensores de estacionamento traseiro e sistema multimídia Media Nav Evolution 2.0, receba atualizações das redes sociais, ouça seus canais de música favoritos e nunca se perca com o GPS integrado. Confira o site Renault - Carros.


Nova geração do Chevrolet Malibu deve ser lançada em 2016 no Brasil, ocupando a laguna deixado pelo... Malibu!


Já faz algum tempo que a Chevrolet sonha em trazer um sedã topo de linha no Brasil para ficar acima do Cruze e competir de frente com o Ford Fusion. Eram três opções que estavam sendo consideradas,entre elas o Malibu, Impala e SS. Destes, sem sombra de dúvida o que mais faria sucesso seria o Malibu por ser mais em conta, mas deveríamos esperar até 2016 pelo sedã. E é isso que deve acontecer. Nós teremos a nova geração do Malibu segundo o jornal Folha de São Paulo, que retorna ao Brasil dentro de um ano. Nos EUA, ele só começa a ser vendido no fim de 2015, com uma carroceria de alta resistência e uma boa redução de peso graças a nova plataforma. Mais moderno, o Malibu tem chances de incomodar o Fusion por aqui, onde o sedã da GM deve chegar em duas motorizações, entre elas uma a gasolina e a outra híbrida, para bater de frente com o Titanium Hybrid. O motor do híbrido seria o 1.8 Ecotec SIDI Atkinson em conjunto com um elétrico permite que a versão híbrida, que desenvolve 182cv, podendo rodar até 88km/h no modo elétrico, tendo consumo médio de 20km/l. Segundo o jornal, assim como o híbrido, a GM deve oferecer o 2.0 Ecotec Turbo SIDI conta com 250cv e 35,5kgfm de força, oferecendo transmissão de 8 velocidades e consumo médio 11,6km/litro. Os preços ficariam na casa dos R$105.000 iniciais.


Fonte: Folha de São Paulo

Versão de entrada do Jeep Renegade perde mimos e deve ter visual simplório, com lançamento em Julho!


A Jeep havia prometido uma versão básica do Renegade, que deveria ter sido lançada em Junho, mas acabou atrasando. O SUV deve ter foco nas vendas diretas, e deve perder algumas perfumarias que está disponíveis na versão Sport. Essa versão não deve receber nomenclatura, sendo chamada apenas de "Renegade 1.8 Flex", oferecida com câmbio manual. No lançamento, a Jeep informava que o preço dessa versão seria de R$66.900, mas fala-se em um aumento de até R$1.000, podendo custar R$67.900. Entre os itens de série que foram perdidos, rodas de liga leve de aro 16" (que são substituídas por rodas de aço, pintadas de preto), faróis de neblina, piloto automático, sensor de estacionamento traseiro entre outros. O sistema de som e comandos no volante passam a ser opcionais na versão de entrada. De resto, o Renegade fica o mesmo que o atual, oferecendo controles de estabilidade e de tração com função assistente de saída em rampa, ar-condicionado e conjunto elétrico. O motor deve ser o pesado 1.8 16v Etor.Q Flex que desenvolve apenas 132/130cv de potência com torque de 19,1/18,6kgfm, acoplado a um câmbio manual de 5 marchas. O lançamento oficial ocorre em Julho e só lá saberemos o que o SUV deve perder na sua lista de itens de série.

Fonte: CARPLACE

Alfa Romeo volta ao Brasil em 2016 com o Giulia, compartilhando as concessionárias com a Jeep!


Não devemos esperar até 2018 como era previsto. Segundo fontes ao Folha de São Paulo, a Alfa Romeo retorna ao Brasil em 2016 com o Giulia, primeiramente. O sedã, apresentado no último dia 24, teve compartilhar a rede de concessionárias com a Jeep, com ambiente exclusivo. Até 2018 o grupo FCA deve investir 5 bilhões de euros na Alfa Romeo, que deve renovar todo o seu portfólio, saltando das 74.000 unidades em 2013 para cerca de 400.000 unidades por ano em 2018, sendo o Giulia uma parte fundamental desse crescimento. Depois, virão as novas gerações do MiTo e Giulietta, além de um novo sedã de porte maior que o Giulia e um SUV, além do 4C, o mais atual Alfa em linha. A estreia do Giulia ficou marcada pela versão Quadrifoglio Verde (QV), a topo de linha, que carrega visual esportivo e traz sob o capô o inédito motor 3.0 V6 Turbo de 510cv de potência, desenvolvido em parceria com a Ferrari. Segundo a Alfa Romeo, o motor leva o sedã de 0 a 100km/h em 3,9 segundos e tem o "sensacional poder de arrancada", mas o torque não foi divulgado. Em breve deve ser oferecido o motor 2.0 Turbo que deve variar entre 180cv a 250cv de potência, com câmbio automático que pode ser de 7, 8 ou 9 velocidades, com opção de tração integral. Por aqui os preços ficariam na casa dos R$150.000.


Fonte: Folha de São Paulo

Motor 1.4 Ecotec Turbo Flex não deve ser lançado nessa geração do Chevrolet Cruze


Não deve ser dessa vez que a Chevrolet deve lançar o motor 1.4 Ecotec Flex no Brasil. Esperado para o segundo semestre desse ano, o motor era esperado para ser lançado no Cruze Sport6, primeiramente na versão LT, como havia sido dito. O motor, que seria Flex e teria cerca de 150cv quando abastecido com Etanol, seria primeiramente importado. Porém a partir do início de 2017 deve ser produzido em Rosário, na Argentina, ao lado da nova geração do Cruze. Com gasolina, o motor deve entregar cerca de 145cv de potência, com torque superior a 21kgfm de força, com câmbio automático de 6 velocidades. Porém, esse projeto foi abandonado porque não se justifica colocar um novo motor por pouco tempo no mercado. O motor turbo só chegará na linha Cruze com a nova geração, no segundo semestre de 2016. De acordo com o site CARPLACE, o atual Cruze sairá de cena equipado com o mesmo motor 1.8 Ecotec, pois o atual 1.4 Turbo do sedã norte-americano não é dotado de injeção direta, e por isso, não justifica o investimento. Ele passa a ser produzido em Rosário em 2017 e enquanto isso deve vir importado, com injeção direta de combustível e potência e torque maiores, na casa dos 170cv e 26kgfm.


Fonte: CARPLACE

Renault Clio passa a ser produzido na Colômbia e LatinNCAP reduz sua nota de Crash-Test, mas Brasil não é afetado!


O LatinNCAP, órgão responsável por testar todos os modelos vendidos na América Latina, baixou a nota do Renault Clio, que saiu da Argentina para ser produzido na Colômbia. O órgão retirou as três estrelas do Clio e o rebaixou a zero, uma vez que na Colômbia ele é vendido sem nenhum item de segurança, como airbag duplo e ABS. Porém, como no Brasil esses itens são obrigatórios, o nosso Clio não sofreu nenhuma alteração e segue com as mesmas notas do teste feito em 2014. Em 2013, o Renault Clio "Mio" havia obtido 0 estrela para sua versão sem airbags para ocupantes. Como resultado do teste de colisão, a Renault se comprometeu a comercializar apenas o modelo com airbags para motoristas e acompanhantes, instalados como padrão para a América Latina. Por causa desse compromisso e teste de produção, o LatinNCAP voltou a avaliar o Renault Clio com airbags para o motorista e acompanhante, quando o veículo obteve 3 estrelas. Após tomar conhecimento do rebaixamento na avaliação do Clio vendido na Colômbia, a Renault se comprometeu a incluir airbags de passageiro e acompanhante em Fevereiro de 2016. Mas, por enquanto, o LatinNCAP mantém a classificação de 0 estrela em relação à proteção dos ocupantes adultos. No Brasil ele deve ser substituído em 2016 pelo Kwid, popular mais moderno e seguro da Renault.


Honda divulga sketches do seu próximo SUV, o BR-V, que deve fazer sua estreia em Agosto na Tailândia!


A Honda está apresentando o primeiro sketch oficial do seu próximo SUV, o BR-V. Com lançamento previsto para o fim de Agosto na Tailândia, o BR-V deve ter capacidade para 7 ocupantes, desenvolvido para o mercado tailandês. Em comunicado da Honda, a japonesa afirma que o BR-V será lançado inicialmente no mercado asiático, sendo o terceiro modelo desenvolvido pela equipe local, o SUV terá três fileiras de assentos e motor 1.5 Turbo de 200cv e cerca de 26kgfm que promete entregar “performance esportiva e ótima eficiência” e poderá ser associado a dois tipos de câmbio como um câmbio manual e a nova transmissão automática de 9 velocidades da ZF. Em seu design, o BR-V deve ser robusto e sofisticado, com uma boa relação de altura do solo e para-choque agressivo. Maiores informações sobre o SUV ainda são muito poucas, mas este pode ser concorrente de Chevrolet TrailBlazer, Toyota Hilux SW4 e Mitsubishi Pajero Dakar. A estreia será no Salão da Indonésia em 20 de agosto e pode chegar ao mercado indiano já em 2016. No Brasil, ainda é uma incógnita, principalmente pelo motivo do preço, que ficaria acima dos R$140.000 que serão cobrados pelo CR-V reestilizado.


Segundo revista AutoPlus, novas gerações de C3 e C4 Hatch chegam em 2016 na Europa, visando conectividade!


Pode até ser muito cedo para nós, mas as novas gerações de C3 e C4 já estão sendo desenvolvidas na Europa para serem lançadas em 2016. Segundo a última edição da revista AutoPlus, que teve contato com fontes ligadas a marca, revelou detalhes das novas gerações de seus veículos na Europa. A revista fez a projeção mais próxima da realidade do C3 e C4, que devem seguir a nova ideologia de design da Citroën, presente em C4 Picasso e C4 Cactus. Além do novo visual, os novos C3 e C4 devem apostar alto na conectividade e em novos recursos tecnológicos. Segundo a publicação, o C3 deve seguir o visual da Citroën, mas aposta alto no design diferenciado para vender, que deve ter uma variado leque de personalização. Além disso, ganhará um sistema de entretenimento mais moderno e com tela sensível ao toque. Caso for lançado em 2016 na Europa, deve chegar ao Brasil em 2018, uma vez que o nosso C3 deve trazer um face-lift no primeiro semestre de 2016. Apesar de não nos interessar muito, a nova geração do C4 deve ter base no novo Peugeot 308 para várias soluções de engenharia e oferta de motores, em especial a linha de motores PureTech. No Brasil, não há chances do C4 Hatch chegar ao Brasil, mas ele pode ditar a futura geração do C4 Lounge, este sim, vendido aqui. Na Europa, o C3 deve ser apresentado em Abril de 2016 e o C4 em Outubro de 2016.


Fonte: AutoPlus

Enquete: segundo internautas, 67% crê na volta dos compactos realmente esportivos ao país!


Para ser esportivo não precisa ter motor 3.0 e desenvolver 500cv de potência de potência. Desde que o mesmo tenha um visual esportivo e um conjunto mecânico mais voltado a esportividade, com mais potência e torque é considerado um "real esportivo". Famosos na década de 90, acabaram morrendo aos poucos com a chegada dos pseudo-aventureiros, mas promete voltar em peso com Renault Sandero R.S. e Volkswagen up! TSI. Futuramente deve ser oferecido o Peugeot 208 GTi. Para saber se isso seria uma nova tendência do mercado, perguntamos ao internautas se ele "acreditava que os compactos realmente esportivos estariam retornando". Após 20 dias de espera, cerca de 67% crê que sim, que os populares/compactos realmente esportivos devem ser oferecidos no Brasil nos próximos anos. Já outros 13% tem a convicção que eles estão retornando, enquanto outros 10% acredita que só deve ser esses três hatchs. Vale lembrar, que para desmentir os 10% que acham que não, a Renault pensa em lançar um motor turbo para o Kwid, sucessor do Clio, enquanto a Chevrolet e a Fiat também querem lançar os motores 1.0 12v Flex Turbo. Já a Ford estuda a possibilidade de trazer o 1.0 Ecoboost, que poderia ser oferecido ao Ka.


Curiosidades: qual o principal problema de uma bateria?


Baterias geralmente não dão muito problema. Só se elas tenham chegado ao fim de vida-útil, quando o carro não roda muito ou quando se deixa um componente elétrico ligado. Fora isso, o maior problema das baterias automotivas chama-se sulfatação. Que nada mais é do que o acumulo de sulfato de chumbo sobre as placas dos elementos acumuladores. A sulfatação ocorre quando a bateria é submetida a um período de descarga muito logo, e sem a devida recarga para realizar a reação inversa e dissolver o sulfato de chumbo. O resultado é a inutilização do elemento acumulador, e logo da bateria, pois a camada de sulfato de chumbo não permite a passagem da corrente elétrica proveniente do alternador, o que impede que a reação de carga ocorra e o sulfato inscrutrado reaja voltando a sua forma de PbO2 e chumbo esponjoso. Muitas vezes é possível fazer a bateria voltar a permitir recarga, contudo em muitos caso o período de descarga foi tão grande que a bateria até admite recarga, mas torna-se incapaz de efetuar o acionamento do motor de partida. Problemas de sulfatação são geralmente atribuídos a alternadores com mau funcionamento, veículos parados por um longo período de tempo sem manutenção, lotes de bateria mau programados, esquecimento de componentes elétricos ligados após o uso do veículo e problemas de fuga de corrente no sistema elétrico do automóvel.


Fonte: CarrosInFoco

segunda-feira, junho 29, 2015

Volkswagen confirma marca de baixo custo para 2018 destinada a mercados emergentes; Brasil deve receber novidade!


O presidente do Grupo Volkswagen, Martin Winterkorn, confirmou que o grupo deve ter mais uma marca, dessa vez de baixo custo, destinada principalmente a mercados emergentes, como os BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), além de outros mercados, como América Latina, Índia, África e Europa Oriental. Ainda sem nome oficial, a marca de baixo custo seria oferecida primeiramente na China, chegando logo em seguida aos demais países. Em declaração ao jornal alemão Bild, Winterkorn afirmou que a nova marca deve estar presente em todos os segmentos de entrada, como hatchs, sedãs e SUVs, “a gama de ‘carros populares’ consistirá de um SUV, um sedã e um hatchback”. O objetivo desta nova divisão do grupo é reduzir os custos internos de produção e melhorar as margens de lucro da empresa. Winterkorn não deu detalhes sobre os padrões de qualidade ou de segurança que esses modelos oferecerão. Isso não decreta o fim dos veículos populares da Volkswagen, que seguem em linha nesses mercados. No mercado chinês, onde o projeto é conhecido como LoVW-Cost, espera-se que os modelos custem entre €8 mil e €11 mil euros (cerca de R$28.000 a R$38.000). Não se sabe como essa marca deve ser ainda mais baixo custo que os modelos da Volkswagen do Brasil e espera-se que essa nova marca chegue até 2020 no país.


Hyundai divulga primeiras imagens oficiais do Creta, que deve ser lançado na Índia dia 21; Brasil pode ser destino!


A Hyundai está apresentando o seu primeiro SUV Compacto, o Creta, baseado no modelo chinês, batizado de ix25. O primeiro mercado onde o SUV sul-coreano deve ser lançado será a Índia, onde ele deve chegar no próximo dia 21 de Julho. Depois de vários flagras e do teaser, ficou claro que o utilitário seria baseado no modelo chinês. Abertamente, a marca divulga que o Creta é “um carro global a ser vendido em países emergentes de todas as regiões”, mas a chegada ao Brasil ainda é incerta. Baseado na plataforma do i20, o Creta fica posicionado abaixo do Tucson (não o que ainda vive no Brasil), divide a mesma plataforma que está presente no HB20. Na Índia ele deve ser vendido em quatro versões, entre elas a Base, S, SX e SXO. A versão topo de linha terá como itens de série, rodas aro 17″ polegadas, maçanetas cromadas, bancos revestidos em couro, 6 airbags, retrovisores rebatíveis eletricamente, câmera de ré, saídas de ar para o banco traseiro, faróis com projeto e luzes diurnas de LEDs.


Na Índia, o Creta é esperado com os motores 1.6 16v VVT a gasolina de 123cv sempre com câmbio manual, o 1.4 CRDi a diesel de 88cv e outro 1.6 16v a gasolina que entrega 128cv, com câmbio manual de 6 marchas ou automático de 7 velocidades. No Brasil, desde 2012, no lançamento do HB20, a Hyundai cogita produzir um SUV Compacto no Brasil para brigar com Ford EcoSport e Renault Duster, mas a concorrência aumentou, o que pode atiçar a Hyundai a trazê-lo ao Brasil, mas o problema seria o local da produção. Não se sabe se o Creta deve ser produzido na fábrica de Anápolis (GO), de onde saem Tucson, ix35, HR e a futura geração do Tucson ou em Piracibaca (SP) que trabalha em capacidade máxima e até o momento não tem previsão de expansão. Caso seja lançado no Brasil, o Creta pode dar um fim ao velho Tucson, que será substituído pela nova geração. Caso vier, o SUV Compacto pode chegar ao Brasil no segundo semestre de 2016.



Representante das stations, nova geração da Audi A4 Avant é revelada e apresenta design moderno e mais tecnológica!


Depois do A4, a marca alemã também apresentou a nova geração da A4 Avant, que segue o mesmo perfil do A4. Se for dar uma rápida olhada, a Audi preservou o design tanto do sedã como da station wagon, que ganhou novidades para deixá-los mais atraentes. A nova A4 Avant traz as mesmas mudanças introduzidas nas últimas gerações de TT e Q7 e que prometem eficiência energética 21% melhor. Segundo a Audi, a station está mais econômica, tecnológica e segura nessa geração. Começando pelas dimensões, que cresceu, a nova A4 Avant agora mede 4,72 metros de comprimento (4,70m do atual) e 2,82 metros de entre-eixos (ante 2,80 metros). A largura também cresceu 2cm, totalizando 1,84 metro, mas o altura foi mantida em 1,42m. O porta-malas leva 505 litros de capacidade. Suas maiores rivais são a BMW Série 3 Touring, Mercedes-Benz Classe C Touring, Volvo V60, entre outras.


No interior, mais familiar, a A4 Avant traz elementos da nova geração do TT ao trazer quadro de instrumentos com tela digital de 12,3" polegadas, que também conta com sistema multimídia de 8" polegadas abriga o sistema de entretenimento, operado através de um controlador rotativo posicionado à frente da alavanca de câmbio. No acabamento do painel, a Avant possui acabamento revestido de couro com detalhes em alumínio. Com a adoção da plataforma MLB, a nova geração da SW perdeu 120kg, consequência da maior dinâmica e performance. Sob o capô, a nova geração da A4 Avant  conta com as mesmas opções do A4 ao ter motores diesel e gasolina, com opção de quatro ou seis cilindros. Entre as opções oferecidas estão o 1.4 TFSI de 150cv, seguido da nova geração do 2.0 TFSI, que desenvolve entre 190cv a 252cv, o 2.0 TDI diesel que entrega entre 150cv a 190cv e o 3.0 TDI, também diesel que entrega 218cv ou 272cv. Exclusivo da Avant, o motor 2.0 TFSI g-tron que desenvolve 170cv movida a gás natural comprimido. Para todos os motores, a opção de câmbio é o manual de 6 marchas, que é cerca de 16kg mais leve.


Ainda há a opção de câmbio S-TRONIC de 7 velocidades, substituindo o atual CVT. Para o motor 3.0 TDI, o câmbio é exclusivo por usar uma transmissão automática de 8 velocidades, que também passou por uma série de "upgrades". Em todas as versões a tração é dianteira, com o sistema Quattro será oferecido como opcional. Com o motor mais manso, o 1.4 TFSI, que substitui o 1.8 TFSI, acelera de 0 a 100km/h em 8,9 segundos e promete consumo de 20,4km/l, cerca de 21% mais eficiente. No caso do 2.0 TFSI, acelera de 0 a 100km/h em 7,3 segundos e consumo médio de 20,8km/l. Nos dois casos os números de aceleração e de consumo levam em conta as versões equipadas com câmbio S-TRONIC e tração dianteira. No Brasil, a nova geração da A4 Avant deve ser lançada no primeiro semestre de 2016, junto ao sedã, vindo com os motores 1.4 TFSI e 2.0 TFSI, sempre com câmbio S-TRONIC, com preços na casa dos R$150.000. Vale lembrar que as versões S4 e RS4 ainda estão sendo testadas. A RS4 Avant deve continuar sendo a única representante da linha RS4 no país.


Audi apresenta a nova geração do sedã A4, que fica mais moderno e pronto para voltar a ser destaque!


A Audi está apresentando oficialmente a nova geração do A4, que fica mais moderno e quer voltar a briga pelo segmento de Sedãs Grandes, depois de ficar meio apagado no segmento. Rival de BMW Série 3, Mercedes-Benz Classe C, Lexus IS, Jaguar XE, Volvo S60 e agora do também recente Alfa Romeo Giulia, o novo A4 não deve ter vida fácil. O novo A4 traz as mesmas mudanças introduzidas nas últimas gerações de TT e Q7, que promete eficiência energética 21% melhor. Segundo a Audi, o sedã está mais econômico, tecnológico e seguro nessa geração. Começando pelas dimensões, que cresceram, o novo A4 agora mede 4,72 metros de comprimento (4,70m do atual) e 2,82 metros de entre-eixos (ante 2,80 metros). A largura também cresceu 2cm, totalizando 1,84 metro, mas o altura foi mantida em 1,42m. O porta-malas do sedã leva 480 litros de capacidade.


No interior, o novo A4 lembra muito a nova geração do TT ao trazer quadro de instrumentos TFT com tela digital de 12,3" polegadas, que também conta com sistema multimídia de 8" polegadas abriga o sistema de entretenimento, operado através de um controlador rotativo posicionado à frente da alavanca de câmbio. No acabamento do painel, o novo A4 possui acabamento revestido de couro com detalhes em alumínio. Com a adoção da plataforma MLB, a nova geração do Audi mais conhecido perdeu 120kg, consequência da maior dinâmica e performance. Sob o capô, o novo A4 conta com motores diesel e gasolina, com opção de quatro ou seis cilindros. Entre as opções oferecidas estão o 1.4 TFSI de 150cv, seguido da nova geração do 2.0 TFSI, que desenvolve entre 190cv a 252cv, o 2.0 TDI diesel que entrega entre 150cv a 190cv e o 3.0 TDI, também diesel que entrega 218cv ou 272cv. Para todos os motores, a opção de câmbio é o manual de 6 marchas, que é cerca de 16kg mais leve. Ainda há a opção de câmbio S-TRONIC de 7 velocidades, substituindo o atual CVT.


Para o motor 3.0 TDI, o câmbio é exclusivo por usar uma transmissão automática de 8 velocidades, que também passou por uma série de "upgrades". Em todas as versões a tração é dianteira, com o sistema Quattro será oferecido como opcional. Com o motor mais manso, o 1.4 TFSI, que substitui o 1.8 TFSI, acelera de 0 a 100km/h em 8,9 segundos e promete consumo de 20,4km/l, cerca de 21% mais eficiente. No caso do 2.0 TFSI, acelera de 0 a 100km/h em 7,3 segundos e consumo médio de 20,8km/l. Nos dois casos os números de aceleração e de consumo levam em conta as versões equipadas com câmbio S-TRONIC e tração dianteira. No Brasil, a nova geração do A4 deve ser lançada no primeiro semestre de 2016, vindo com os motores 1.4 TFSI e 2.0 TFSI, sempre com câmbio S-TRONIC, com preços na casa dos R$140.000. Vale lembrar que as versões S4 e RS4 ainda estão sendo testadas.


Fiat Toro é flagrada com pesada camuflagem em BH, que deve ser lançada até Janeiro de 2016!


Mais uma vez um flagra postado no grupo de um Facebook. Dessa vez, o flagra foi feito por Kelvin Augusto, que rodava muito bem camuflagem em Belo Horizonte (MG). Na discussão do grupo, Kelvin disse que a picape da Fiat estava com o "vidro com Insufilm G5 muito preto e no interior não aparecia nada, estava bem camuflado também e os bancos pareciam do Palio e o acabamento das portas também. O interior só dava para ver o volante e a alavanca de câmbio cromada. De resto, o painel e a parte traseira toda camuflada. Para 'não chamar' atenção, a picape usa faróis do Doblò e lanterna da Strada.". A picape rodava muito bem camuflada, mas depois do flagrante, quase que sem nenhuma camuflagem, fica difícil querer esconder algo que já estava a mostra. Segundo Kelvin, só foi possível fazer as fotos depois que o motorista tinha parado para ir ao restaurante. Prevista para ser lançada em Outubro, a picape da Fiat agora só deve ser lançada no início de 2016, possivelmente em Janeiro do próximo ano. A picape deve usar a mesma nomenclatura do Freemont para suas versões, ou seja, Emotion e Precision, que já foram confirmados. A picape deve ter preços iniciais entre os R$70.000 aos R$75.000, ficando mais cara que a Renault Oroch, por exemplo. Seu nome, apesar de ainda não ter sido confirmado, tem grandes chances de ser chamada de "Toro".


Fotos: Kelvin Augusto - Grupo 5º Marcha da Depressão - Facebook

Nos últimos dias de Junho, Renault Duster acelera e ultrapassa Jeep Renegade e Ford EcoSport!


Nos últimos dias de Junho, o Renault Duster, que estava em quarto no segmento de SUVs Compactos, conseguiu ultrapassar de uma só vez os rivais Jeep Renegade e Ford EcoSport, que estavam em 2º e 3º respectivamente. Assim, pela primeira vez em 12 anos, o Ford EcoSport sequer estará no pódio, algo inédito no mercado. O Jeep Renegade, em ascensão no Brasil, já ultrapassou o Eco ainda na primeira quinzena. Na liderança o Honda HR-V aparece isolado do grupo. Fala-se que a Renault vendeu uma boa quantidade do Duster para a Localiza, mas isso ainda não se confirmou, mas leva tudo a crer, apesar das propagandas na televisão e do recente preço menor, dificilmente o Duster conseguiria vender cerca de 800 unidades em apenas um dia. Vendido pelo preço inicial de R$59.990, o Duster é hoje o SUV Compacto mais em conta dos líderes do segmento. O destaque vai para a queda nas vendas do Chevrolet Tracker, que vendido em versão única e por estratosféricos R$90.990 caiu bastante nas vendas com a chegada dos rivais mais novos, o que pode provocar uma queda nos preços do SUV da GM, que já foi ultrapassado pelo Peugeot 2008, que deve vender abaixo da meta da Peugeot, de 1.000 unidades mensais no seu segundo mês de mercado. Confira o ranking abaixo.


Ranking - SUVs Compactos até o dia 27/06
1º Honda HR-V - 4.570
2º Renault Duster - 3.043
3º Jeep Renegade - 2.698
4º Ford EcoSport - 2.346
5º Hyundai Tucson - 1.068
6º Peugeot 2008 - 628
7º Chevrolet Tracker - 455

Volkswagen informa concessionárias do Golf 1.6 16v MSI Flex, que chega junto ao nacionalizado, em Agosto!


A Volkswagen já informa seus concessionários sobre a chegada do Golf com motor 1.6 16v MSI Flex, que deve chegar junto ao modelo nacionalizado, em Agosto. Antes previsto para chegar na versão Trendine, agora quase se confirma que o Golf virá na versão Comfortline com esse motor. Mas isso não significa que uma versão de acesso seja lançada, com preços mais competitivos que o Ford Focus, seu maior rival. A versão 1.6 16v MSI chega ao Brasil com opção de câmbio manual de 5 marchas ou automática de 6 velocidades. Entre as opções de cores, a Volkswagen deve oferecer o Preto Ninja, Branco Puro e Vermelho Tornado (sólidas), bem como Prata Sargas, Prata Tungstênio, Azul Night, Azul Silk e Prata Platinum (metálicas) e a perolizada é o Preto Mystic. O motor desenvolve 120/110cv de potência e torque de 16,8/15,8kgfm. De série o Golf 1.6 MSI deve contar com 7 airbags, controle de cruzeiro, controles de tração e estabilidade, ar condicionado digital Climatic, multimídia Composition Media com tela de 6,5" polegadas e CD/SD/Bluetooth/USB, rodas de liga leve Dover aro 16" com pneus 205/55 R16, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, oito alto-falantes, assistente de partida em rampa, volante em couro, entre outros. A Volkswagen deve oferecer o Golf com pacotes de equipamentos, como o Elegance e Exclusive, que devem elevar os preços em até R$25.000. Falando em preço, o Golf 1.6 MSI deve chegar com preços na casa dos R$67.000.


Nova geração do Volkswagen Jetta deve se inspirar no Skoda Octavia e deve ter carroceria em estilo coupé!


A nova geração do Volkswagen Jetta já está a caminho. O sedã do Golf, o Jetta ganhou mais personalidade nessa última geração, que se distanciou do hatch, algo que deve seguir na nova geração. Esperado para 2017, a nova geração do Jetta deve ser maior e deve contar com design próximo de um coupé. Além disso, a nova geração será mais larga que o modelo atual e deve se beneficiar da plataforma MQB, com maior entre-eixos, oferecendo maior espaço interno. A nova geração do Jetta quer ter o Skoda Octavia como base em relação ao espaço interno. Segundo fontes europeias, a nova geração do Jetta deve ter design mais dinâmico, com leve inspiração no Passat. O Jetta deve seguir se beneficiando dos motores TSI, que deve receber a segunda geração desses motores, que devem deixar o sedã médio ainda mais moderno frente a seus rivais, tornando-se mais econômico e eficiente. Segundo a imprensa europeia, a nova geração do Jetta deve chegar no final de 2016, já como modelo 2017, podendo ter como base o conceito NMC Concept, apresentado em Abril de 2014 pela Volkswagen. No Brasil, o Jetta deve ser produzido na fábrica de Anchieta (SP) em breve e para nós a nova geração deve desembarcar em 2017 ou até mesmo em 2018.


Projeção: AutoBild

Estado de São Paulo deve ser o primeiro a ter pontos de recarga para elétricos entre as cidades de São Paulo e Campinas!


O Brasil começa a tomar os primeiros rumos sobre a vinda de carros elétricos ao país. A viabilidade precisa de pontos de recarga, que devem ficar entre as cidades paulistas de São Paulo e Campinas. O ponto de recarga estará localizada na Rodovia dos Bandeirantes, que terá dois eletro-postos para promover o recarregamento mais rápido para carros elétricos. A iniciativa é uma parceria entre a concessionária de energia CPFL e a rede de postos Graal. As estações de recarregamento de baterias serão instaladas nos postos Graal 67 e Posto 56, sendo um em cada sentido da rodovia. Os carregadores podem preencher 80% da carga da bateria em apenas 30 minutos. O plug a ser utilizado primeiramente é o tipo 2, usado por modelos da BMW, Renault e BYD. O tipo 1, usado por Nissan e Mitsubishi, deve ser introduzido até o final de 2015. A estrutura será feita pela CPFL, enquanto a rede Graal custeará a energia elétrica. Através de cadastro, os usuários poderão recarregar seus carros elétricos e híbridos do tipo plug-in de forma gratuita enquanto ficam no estabelecimento. A iniciativa se deu ao crescente número de veículos ecológicos no Brasil, que deve dobrar em 2015 no Brasil, com os incentivos dados no ano passado.


Carros que podem ou poderiam chegar ao Brasil: Mitsubishi Mirage!


Em momentos complicados no mercado brasileiro, a Mitsubishi bem que poderia erguer mais uma fábrica no Brasil para a produção de uma linha de compactos no Brasil. O Mirage, hatch compacto da Mitsubishi poderia ser a solução para colocar a marca japonesa na disputa no concorrido segmento de Hatchs Compactos. Cerca de 15cm menor que um Volkswagen Gol, o Mirage é muito conhecido por ser um carro bem econômico. Vendido no Chile, o Mirage conta com motor 1.2 12v de 3 cilindros que desenvolve 77cv de potência e torque de 10,1kgfm, sempre com câmbio manual de 5 marchas, mas em outros mercados, como nos EUA, o Mirage conta com opção de câmbio automático CVT. Na cidade o pequeno samurai japonês consegue uma média de 15,5km/l e na estrada chega a 23,4km/l, isso graças a seu peso de 820kg, com comprimento de 3,71 metros, 2,45m de entre-eixos, largura de 1,67m e altura de 1,50m. No Chile ele é oferecido em quatro versões, entre elas a VR, GL, GLX e GLS. O hatch estava nos planos da Mitsubishi para ser fabricado no Catalão (GO) em 2014, mas a marca disse que a fábrica goiana não tem capacidade suficiente para produzir o hatch no Brasil e teria que ter uma outra fábrica. Além disso, poderia oferecer o sedã Attrage e futuramente o SUV Compacto que a japonesa pretende lançar. A Mitsubishi está perdendo tempo no Brasil...