quarta-feira, setembro 30, 2015

LatinNCAP divulga resultado de testes de Renault Duster produzido na Colômbia e de Nissan Tiida Sedan!


O LatinNCAP divulgou dois novos testes realizados com os carros latino-americanos. Dessa vez, os alvos foram o Renault Duster produzido na Colômbia e o Nissan Tiida Sedan. O Nissan Tiida Sedan ainda é fabricado no México, onde a montadora disponibilizou sem custo uma unidade para avaliação ao instituto. O sedã japonês obteve 4 estrelas para proteção de adultos e 2 para crianças. O modelo é vendido agora somente com airbag duplo e cintos com pré-tensionamento. O Latin NCAP diz que isso é fruto do resultado anterior do Nissan, feito sem bolsas infláveis, no qual ele não foi muito bem. Fabricado na Colômbia, a Renault Duster conseguiu 4 estrelas na proteção de adultos e 2 estrelas na proteção de crianças, sendo 5 o máximo. Equipado com airbag apenas para o motorista, o Duster colombiano conseguiu ir bem com louvor, apesar de não contar com os mesmos recursos de segurança do SUV produzido no Brasil. Fabricado e vendido no país vizinho possui apenas um airbag para o motorista e não conta com freios ABS, diferente do modelo vendido no Brasil. O modelo colombiano foi escolhido de acordo com as regras do LatinNCAP, que sempre testa a versão mais básica oferecida na América Latina. O Duster colombiano foi considerado instável mesmo com as 4 estrelas.


Vídeos

  • Renault Duster




  • Nissan Tiida Sedan



Produção, versões, lançamentos estão confirmados. Mas qual motor Diesel a Toyota Hilux deve usar?


Com lançamento marcado para Novembro, a nova geração da Toyota Hilux já teve quase tudo confirmado. A produção em Zacarde, na Argentina, as versões serão as mesmas do modelo atual, segundo a Toyota e o lançamento confirmado para o mês de Novembro. Projetada do zero, a nova geração da Hilux deve conquisar o consumidor que busca uma picape moderna, mas ainda não se sabe qual motorização a picape média usará no Brasil. Até o momento, o 2.7 16v Flex está confirmado com um upgrade de potência e torque, mas o movido a Diesel ainda é desconhecido e tem gerado dúvidas. Com motor Diesel há o novo 2.8 Turbo Diesel, que desenvolve 181cv de potência e torque de 45,8kgfm de força, acoplado com câmbio manual de 6 marchas ou automático, também de 6 velocidades deve melhorar o consumo e a performance. A ideia inicial da Toyota era manter o 3.0 diesel mas recalibrado para desenvolver 200cv de potência. Porém, para se enquadrar nas regras de emissões, a Toyota preferiu adotar o motor novo, que desenvolve 181cv, mas com maior torque. A nova geração deve se destacar por trazer frenagem automática de emergência e piloto automático adaptativo, entre outros sistemas de segurança, a nova Hilux promete chegar não só mais sofisticada, mas também confortável. A proximidade do lançamento da Tailândia para o Brasil se mostra um pouco diferente dessa lógica. Apesar de estar rodando em testes com pouca camuflagem, a Hilux pelo pouco tempo de testes pode ter mantido o 3.0 Turbo Diesel e recalibrado para cerca de 200cv e torque inferior ao 2.8. Agora resta espera e ver até quando essa novela mexicana deve ter um fim.


Para ganhar repercussão no país, Kia deve lançar Rio nas carrocerias hatch e sedã durante Jogos do Rio!


Com a fábrica no México, a Kia do Brasil vê a fábrica como uma válvula de escapa para a produção de seus modelos no mercado brasileiro. Com uma possível melhora em 2016, a Kia deve apresentar no mercado o Rio Hatch e o Rio Sedan no segundo semestre de 2016, mas a marca quer lançá-lo durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro para ganhar mais repercussão no país. Cogitado desde 2009, tanto o hatch como o sedã contam com motor 1.6 16v Flex que desenvolve 128/122cv de potência, com torque de 16,5/16kgfm, acoplado a um câmbio manual de 6 marchas e um automático, também de 6 velocidades. Os preços ficariam na casa dos R$50.000 para o hatch e cerca de R$55.000 para o sedã. , enquanto as versões topo de linha chegariam próximo dos R$70.000. No primeiro caso, o Rio brigaria com Ford New Fiesta, Fiat Punto, Citroën C3 e Peugeot 208, enquanto o Rio Sedan encararia Honda City, Ford New Fiesta Sedan, Chevrolet Cobalt entre outros. Desde a versão básica a Kia oferece ar-condicionado, freios ABS, airbags frontais e laterais, vidros elétricos, faróis de neblina, rodas de liga leve, piloto automático e volante multifuncional estão entre os itens de série. Porém, para o preço ficar mais convidativo no país, o Rio deve perder alguns mimos, assim como aconteceu recentemente com o Picanto. Com o fato dos Jogos Olímpicos serem em Junho, a Kia tem trabalho mais rápido na homologação de ambos para que sejam lançados durante os jogos olímpicos.


Renault confirma que câmbio automático CVT e tração 4x4 para a Oroch deve ser lançados logo em seguida do início das vendas!


Assim como os SUVs, as picapes nunca estiveram em alta no mercado brasileiro. Dentro de 3 anos o Brasil deve receber três inéditas picapes (Fiat Toro, Renault Alaskan e Mercedes-Benz GLT), além de novas gerações de Fiat Strada, Chevrolet Montana, Volkswagen Saveiro, Toyota Hilux, Mitsubishi L200 e Nissan Frontier e os face-lifts de Ford Ranger e Chevrolet S10. Com uma cartada de mestre, a Renault apresenta a Oroch, que deve ficar no meio termo entre as compactas e as médias, assim como a Fiat Toro. Com o lançamento da francesa, a Renault lançou apenas as versões com câmbio manual e tração 4x2, mas confirmou que deve lançar o câmbio automático CVT de seis velocidades e a tração 4x4 logo em seguida do lançamento nas concessionárias, que acontece no dia 1º de Novembro. A Oroch terá motor 1.6 16v Flex que desenvolve 115/110cv de potência, com torque de 15,5/15,1kgfm, sempre com câmbio manual de 6 marchas, enquanto as versões mais caras vem equipadas com o mesmo motor 2.0 16v Flex do SUV Compacto que desenvolve 148/143cv e torque de 20,9/19,7kgfm, com opção de câmbio manual de 6 marchas. As novidades contemplam apenas o motor 2.0 16v Flex. A meta da Renault é chegar aos 8% de mercado com a Oroch e dar a volta por cima no ranking. Com o lançamento da principal rival apenas em Fevereiro de 2016, a picape francesa tem tudo para conseguir se destacar no mercado e já mostrou que tem bom Custo/Benefício.


Mercedes-Benz confirma produção da GLT na Argentina, produzindo três picapes em Córdoba!


A Mercedes-Benz também deve se arriscar com uma picape média. Peça fundamental para manter seu crescimento, a GLT deve ser apresentada em 2017, mesmo ano em que a fábrica de Córdoba, na Argentina começa a operar. Com produção na Argentina, a GLT chega ao Brasil sem nenhuma taxa de imposto. Durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, a Mercedes-Benz deve usar a mesma plataforma da Nissan Frontier. Com posicionamento premium, a GLT deve ser um legítimo Mercedes-Benz. Enquanto Nissan Frontier e Renault Alaskan deve compartilhar motor, a GLT deve usar motor próprio. A picape deve estrear algumas novidades importantes no mercado como teto solar, janela traseira com abertura elétrica, tampa da caçamba com abertura em 180 graus e suspensão traseira independente. O modelo representará ainda a primeira investida de uma fabricante de luxo alemã no mercado de picapes. Com produção na Argentina e na Espanha, a GLT deve ter capacidade máxima de 70.000 unidades a ser produzida em Córdoba, enquanto 120.000 unidades devem ser produzidas na Espanha. Apesar da Mercedes-Benz negar, a GLT pode usar o motor 2.3 será turbo e bi turbo, desenvolvendo 160cv de potência no primeiro caso e 190cv no potência no segundo. Junto ao bloco 2.3 estará uma transmissão manual de seis velocidades ou automática de sete marchas, com tração dianteira ou nas quatro rodas.


Fiat apresenta teaser da Toro, confirma nome, versões e lançamento para Fevereiro de 2016!


A Fiat apresentou a primeira imagem oficial da Toro, sua picape compacta-média que deve ser apresentada em Fevereiro de 2016. Pronta, a Toro foi flagrada sem nenhuma camuflagem na fábrica de Goiana (PE) onde estava sendo produzida. A Fiat confirmou o nome da picape como Toro, as versões, que serão três no total: a básica Urban, a intermediária Adrenaline e a topo de linha Country. A Fiat disse que a Toro irá inaugurar um novo segmento, chamado de SUPs (Sport Utility Pickup) e deve ser apresentada no início de 2016, mais precisamente em Fevereiro. A marca italiana também confirmou que a picape deve unir robustez e força com conforto e dirigibilidade de SUV. Um dos estopins para a aparição do teaser é o flagra da picape que acabou se tornando um viral em grupos de WhatsApp. Outro é o lançamento da principal rival, a Renault Oroch. Apresentada como conceito no último Salão do Automóvel de São Paulo, a Toro deve usar a mesma plataforma do primo Jeep Renegade, mas a parte traseira ganha reforços para aguentar até 1 tonelada. As dimensões devem ficar na casa dos 4,80 metros de comprimento, 1,60 metro de altura, entre-eixos será de 2,80m e a largura de 1,94m. Ficando no meio termo entre picapes compactas e picapes médias, a Toro terá motor 1.8 16v EtorQ Flex que desenvolve apenas 132/130cv de potência e 19,1/18,6kgfm no primo Jeep Renegade. Segundo o site Autos Segredos, a Toro deve usar esse motor, porém com uma cavalaria extra, que era esperada no Renegade, mas o SUV recebeu apenas um ajuste no torque. Com Etanol, o 1.8 16v deve entregar cerca de 138cv contra os 132cv atuais, ganhando 6cv. Com gasolina, espera-se que tenha 136cv.


O torque, que entrega 19,1kgfm com Etanol deve entregar um pouco mais de 20kgfm e cerca de 19,5kgfm com Gasolina. O 1.8 16v deve ter apenas câmbio automático, mesmo caso para o futuro 2.0 16v TigerShark Flex, caso for lançado. Confirmado mesmo está o motor 2.0 16v Turbo Diesel de 170cv e torque de 35,7kgfm, associado a um câmbio manual de 6 marchas ou automático de 9 velocidades, sempre com tração 4x4. Desde a versão básica, a Toro deve trazer itens como Alarme antifurto, alerta de limite de velocidade e manutenção programada, apoia-braço com porta objetos, ar-condicionado, auxilio de partida em subida (HSA), banco do motorista com regulagem de altura, bolsa porta-objetos atrás dos bancos dianteiros, chave canivete com telecomando de vidros e portas, cintos de segurança dianteiros com regulagem de altura, cinto de segurança traseiros laterais e central de 3 pontos, computador de bordo (distância, consumo médio, consumo instantâneo e autonomia), direção elétrica Dual Drive, espelhos retrovisores externos elétricos com pisca-alerta lateral, ganchos de fixação de carga no interior da caçamba, grade de proteção do vidro traseiro, Isofix (fixação para assentos infantis), maçanetas e retrovisores externos de cor preta, para-brisa degradê, parassóis com espelhos de cortesia, piloto automático, protetor interno de caçamba, rádio integrado ao painel com MP3, CD, RDS, USB e comando de voz via Bluetooth, revestimento externo nas colunas das portas, rodas de aço aro 16 e pneus 215/60, sistema de áudio com seis alto falantes e antena, tampa traseira da caçamba bipartida, tomada de 12 volts, travas elétricas nas portas e tampa traseira, vidros elétricos nas 4 portas com one-touch e anti-esmagamento, vidros verdes, volante com regulagem de altura e profundidade.


Fiat Egea é o nome oficial do sedã médio da Fiat que deve ser apresentado oficialmente e pode chegar ao Brasil!


A Fiat deve apresentar em breve o Egea, o real substituto do Linea. Antes apresentado como Aegea, o sedã médio apareceu pela primeira vez em imagens do modelo de produção, confirmando o conceito apresentado recentemente. Com estreia marcada para Novembro na Turquia, o vídeo-teaser apresentado pela Fiat mostra um pouco do Egea. Produzido na Turquia pela Tofas, o modelo foi projetado pelo centro de design da FCA na Itália. Mede 4,50 metros de comprimento, 1,78 metros de largura e possui distância entre-eixos de 2,64 metros, enquanto o porta-malas possui capacidade para 510 litros. O sedã aposta em um design mais elaborado e mais classudo, com o típico design italiano. O Egea é chamado pela Fiat de um “modelo global para uma marca global”. O design foi criado pelo centro de estilo da FCA em conjunto com o centro de design da Tofas, que desenvolveram o carro em 3 anos. O interior foi projetado para ser ergonômico e prático. Entre os recursos tecnológicos, o Egea traz sistema multimídia UConnect com tela touch screen de 5″ (um tanto pequena para os padrões atuais), Bluetooth e sistema de navegação GPS TomTom, um dos melhores navegadores, além de câmera de ré. Segundo a Fiat, o Egea deve trazer 4 motores para a Europa: 2 movidos a diesel e outros 2 a gasolina, da família MultiJet II, associados a um câmbio manual ou automático. No Brasil, o Egea pode chegar via importação, sendo o único que seria importada da Europa, com motor 1.4 16v Turbo que desenvolve 160cv, com câmbio manual ou automático de 6 marchas e preços na casa dos R$67.000.


Vídeo-Teaser

Porsche confirma segunda geração do Panamera e versão station do sedã, que deve ser apresentado no Salão de Genebra!


Apresentado em 2009, o Porsche Panamera já não encanta mais ninguém. O sedã esportivo da marca alemã já passou por um face-lift de meia-vida em 2013 e acaba de ganhar a confirmação da segunda geração. Durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, a nova geração do Panamera deve ser apresentada no primeiro trimestre de 2016, e ao que tudo indica, a sua apresentação acontece no Salão do Automóvel de Genebra, na Suíça. Apresentado como conceito Sport Turismo Concept em 2012, a nova geração do sedã ainda deve trazer uma inédita carroceria station. O novo Panamera deve usar a plataforma MSB do Grupo Volkswagen. Com essa nova plataforma e a adoção de novos materiais, o novo Panamera deve emagrecer 90kg. A gama de motores incluirá opções de seis e oito cilindros turboalimentadas, além da variante híbrida que seguirá em linha no portfólio, porém com maior eficiência e índices menores de emissões. Como é possível ver no conceito apresentado em 2012, a nova geração do Panamera não deve fugir muito do que conhecemos hoje. O Panamera deve ganhar uma traseira mais comum, mais próxima de um sedã, podendo ficar um pouco maior. Para agradar o mercado chinês, a Porsche trabalha em uma carroceria "L" (Longa) do Panamera, com alguns centímetros a mais no comprimento. Já a Shooting Brake deve ser apresentada em 2016 também, mas mais próxima do fim do ano, com as mesmas opções de motores do sedã.


Revista italiana faz projeção de como deve ser a nova geração do Citroën C3, que será apresentado em 2016!


A atual geração do Citroën C3 foi apresentada em 2009 na Europa e chegou ao Brasil em 2012. Depois de seis anos, uma nova geração deve ser apresentada no Velho Continente em 2016, durante o algum Salão do Automóvel europeu, no segundo semestre. Trata-se da terceira geração do C3 que deve se inspirar no conceito de design da C4 Picasso. Segundo a imprensa europeia, a nova geração do C3, carro-chefe da Citroën na Europa, o hatch ganhará visual inspirado em lançamentos que já incorporaram a nova linguagem visual da marca, como o C4 Picasso e o C4 Cactus. Para isso, a revista italiana Quattroruote apresentou uma projeção de como será a nova geração do hatch compacto premium. Mais moderno, o novo C3 deve apostar na personalização e nos recursos tecnológicos, como central multimídia com conectividade de Apple CarPlay e Android Auto. O design deve ficar mais próximo ao face-family da marca para fazer o mesmo sucesso da primeira geração, já que a segunda não foi tão bem sucedida como esperado. No Brasil, o hatch precisa de uma atualização mais forte. As vendas do C3, seu principal modelo no país, caíram 19,82% de seu auge, em 2008, até 2014, enquanto o mercado cresceu 24,6%. Isso também resultou na queda de participação de mercado. Em 2008 a Citroën tinha 2,6% de mercado contra os 1,26% atualmente. O papel da nova geração deve ser agressivo para dar a volta por cima. Aqui, a nova geração chega em 2018.

Projeção: Quattroruote

Enquete: segundo 70% dos internautas, versão básica é fundamental para fazer sucesso!


A Kia trouxe ao mercado brasileiro uma versão mais simples do Picanto para deixá-lo mais competitivo no mercado brasileiro. Com preço de R$39.990, a versão do hatch compacto pode melhorar as vendas do Picanto. E foi feita uma enquete para saber a opinião do consumidor. "Enquete: versões básicas são essenciais para a venda de um veículo?". Segundo 70% dos internautas, disseram que "sim, as versões básicas sempre são bem-vinda". Já outros 30% acreditam que as vendas deveriam ser apenas nas versões topo de linha. O preço é de R$39.990 sem frete, que custa R$2.000 a mais, o que elevaria o preço para R$41.990. A intenção é reposicionar o compacto no mercado, com preços competitivos em relação aos concorrentes. Ele fica com preço bem próximo ao do Ford Ka e Chevrolet Onix, seus rivais diretos. Alguns opcionais foram "capados" do modelo de caixa manual, como faróis de neblina, retrovisores elétricos e vidros elétricos traseiros. Recentemente a chegada do face-lift do Picanto ao mercado brasileiro, ganhou discretas mudanças. O compacto ganha entrada de ar inferior maior, nova grade dianteira, novos faróis de neblina com nova moldura, totalizando um novo para-choque dianteiro, extrator traseiro, alteração da luz de ré e lanterna de neblina completam um novo para-choque traseiro, além de novas rodas de liga leve, novas opções de cores marcam o visual externo.

Quantas unidades o Hyundai Elantra vendeu no Brasil desde 2011 até Agosto de 2015!


A Hyundai já tinha vendido o Elantra no Brasil na década de 90, quando vários automóveis importados chegavam ao país com nenhuma perspectiva de permanecer no mercado. Como não fez sucesso, saiu de cena. Em 2011, o sedã médio voltou ao mercado com propósito de bater de frente com novidades importantes como Volkswagen Jetta, Chevrolet Cruze e a nova geração do Honda Civic. Conseguiu fazer um relativo sucesso no mercado, mas o problema do Elantra é que a CAOA sempre vendeu apenas a versão topo de linha, o que dificultou a vida do sedã médio nos anos seguintes. Atualmente o motor é o 2.0 16v Flex de 178/169cv e 21,5/20kgfm, acoplado a um câmbio automática de 6 velocidades. O sedã é vendido com preço promocional para venda direta de R$79.990, mas seu preço sugerido será de R$85.095. No lançamento, o Elantra contava com 1.8 16v a gasolina que entrega 150cv, o mesmo que equipa hoje o hatch médio i30. Bem equipado, o Hyundai Elantra conta com retrovisores externos com rebatimento elétrico, direção com três modos chamada de Flex Streer e duas novas opções de cores que se unem ao branco, preto e prata: o cinza metálico e o vermelho pérola. Complementam a lista de itens de série os seis airbags, controle de estabilidade e tração, freios a disco nas quatro rodas, bancos de couro, cruise control e ar-condicionado automático dual zone.


Vendas
2011: 2.459
2012: 7.973
2013: 4.197
2014: 3.518
2015: 1.604 (Janeiro a Agosto)

Total: 19.751

terça-feira, setembro 29, 2015

Citroën convoca recall de 627 unidades de C3, C3 Picasso e C3 AirCross com defeito no freio dianteiro!


A Citroën está convocando um recall que atinge os automóveis C3, C3 Picasso e C3 AirCross. O comunicado atinge os modelos fabricados entre 14 de Fevereiro de 2012 a 24 de Abril de 2012, envolvendo 627 unidades do trio. Destes 627 unidades envolvidas da família C3 para substituição dos flexíveis de freio dianteiros, 80 unidades são do C3, 270 unidades da C3 Picasso e 277 unidades do C3 Aircross, Segundo a marca, "ocorreu uma falha no processo de montagem e fixação dos flexíveis de freio dianteiro causando a perda de fluido de freio. Para solucionara marca fará a troca dos flexíveis de freio dianteiros. Ainda segundo o fabricante há risco de diminuição de frenagem do veículo com risco de acidentes e danos físicos aos ocupantes do carro e a terceiros.". Segundo a marca francesa, o tempo médio de reparo é de duas horas. Concessionárias da marca estão liberadas a fazer inspeção e reparo do problema a partir desta terça, sempre de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.  Para mais informações, a Citroën disponibiliza os seguintes meios: o seu 0800 (0800 011 8088) e seu site oficial (www.citroen.com.br), além da rede de concessionárias em todo o país para esclarecimento de dúvidas. Só lembrando que, antes de ir a concessionárias, é preciso o agendamento do atendimento. Confira abaixo as unidades envolvidas no chamado.


Final dos Chassis


Renault lança Oroch no mercado brasileiro para inaugurar novo segmento por R$62.290!


A Renault finalmente está lançando no Brasil a Oroch, picape derivada do Duster que lança um novo segmento no mercado brasileiro. Com um novo padrão de picape, a Oroch estreia o segmento de Picapes Compactas Médias, ou seja, um segmento que não se enquadra nem entre as compactas e nem nas médias. É um predicado de cada segmento. Desenvolvida no Brasil, a Renault promete que a Oroch deve ser global e será vendida em outros mercado mundo afora. Praticamente um Duster com caçamba, a Oroch é o SUV até as portas traseiras. Daí em diante o conjunto é novo, até mesmo no chassi, mais reforçado. Com a proposta de oferecer o conforto de um carro de passeio com amplo espaço para cinco pessoas, facilidade de acesso com as quatro portas e mais a caçamba com capacidade de 683 litros e 650kg de carga. A Renault aposta na robustez e porte não tão exagerado como as das picapes médias para conquistar consumidores dos modelos menores e que dispensam uma picape mais avantajada.


Entre as diferenças em relação ao Duster, a Oroch conta com suspensão traseira do tipo multilink em todas as versões para garantir melhor dinâmica de condução e segurança. O espaço interno, que já era bom no Duster, fica ainda melhor por conta da distância entre-eixos de 2.829mm (150mm maior). Outra diferença está no porte, reflexo dos 360mm a mais no comprimento (4.693mm). O comprimento da caçamba será de 1,35 metro e a largura fica em 1,17 metro. Com o extensor de caçamba, a Renault garante que a Oroch ganha 2 metros a mais no comprimento da caçamba. A Oroch terá motor 1.6 16v Flex que desenvolve 115/110cv de potência, com torque de 15,5/15,1kgfm, sempre com câmbio manual de 6 marchas, enquanto as versões mais caras vem equipadas com o mesmo motor 2.0 16v Flex do SUV Compacto que desenvolve 148/143cv e torque de 20,9/19,7kgfm, com opção de câmbio manual de 6 marchas, mas está prevista para chegar ainda, a tração 4x4 e o câmbio CVT do Fluence, de 6 velocidades.


Oroch Expression 1.6: A lista de itens de série conta com airbag duplo e freios com ABS (antitravamento) obrigatórios, direção hidráulica, travas elétricas, volante com regulagem da altura, ar-condicionado, rodas aro 16 polegadas de liga leve na cor "Alumínio", alerta sonoro de luzes acesas, rádio CD/MP3 (3D Sound by Arkamys) com saída USB e conexão Bluetooth, vidros elétricos, alarme perimétrico, chave com comando de travamento a distância, comando satélite de áudio e celular na coluna de direção, assento do condutor com regulagem de altura, desembaçador do vidro traseiro, travamento automático das portas (a 6km/h), barras no teto, santantônio, protetor de caçamba. Entre os opcionais estão disponíveis retrovisores elétricos com regulagem de altura e faróis de neblina por R$700.


Oroch Dynamique: os mesmos itens de série da Expression, mais a central multimídia com sistema Media NAV Evolution com tela sensível ao toque, faróis de neblina, rodas aro 16 polegadas de liga leve na cor "Cinza Escuro", piloto automático/limitador de velocidade, comando elétrico dos retrovisores,  sensor de estacionamento, volante com acabamento em couro, computador de bordo, indicador de temperatura externa e vidros do motorista com comando one touch. Os opcionais são: bancos em couro, protetor frontal com faróis adicionais, alargador de para-lamas, capota marítima e grade de proteção do vidro traseiro. Com motor 2.0, o único opcional fica por conta do banco de couro sintético (R$1.700) eleva o preço ao máximo de R$72.490.


A Renault também oferece o Kit Outsider: protetor frontal com faróis adicionais, alargados de para-lamas, proteção do vidro traseiro e capota marítima. A meta da Renault é repetir o mesmo sucesso comercial do Duster e ameaçar a quinta posição da Hyundai, para voltar a briga pelo 4º da Ford. Segundo a Renault, a picape estará à venda a partir de 1º de Novembro, e novas versões devem compor a picape, mas que ainda não foram lançadas. A ideia é vender entre 2.000 a 3.000 unidades mensais, número que deve elevar a participação da Renault para a casa dos 8%. Segundo a marca francesa, a cesta de peças, seguro e revisões devem ficar bem próximos aos que são cobrados pelo Duster atualmente. Com 4,69 m de comprimento, 1,82 de largura, 1,69 de altura e 2,82 de entre-eixos, a Oroch deve agradar quem busca uma picape que não é nem muito pequena, nem muito grade e fica a espera da principal rival, a Fiat Toro, para um embate. Ah, a Hyundai também promete entrar na briga com a SantaCruz.


Preços

  • Renault Oroch 1.6 16v Flex Expression - R$62.290
  • Renault Oroch 1.6 16v Flex Dynamique - R$66.790
  • Renault Oroch 2.0 16v Flex Dynamique - R$70.790



Jeep deve lançar versão Limited do Renegade para brigar com Honda HR-V EXL em breve, por R$90.700!


Depois do sucesso comercial do Jeep Renegade, a marca norte-americana estaria a fim de lançar uma nova versão topo de linha do SUV Compacto. Trata-se da Limited, presente em quase todos os SUVs da Jeep, que seria a versão topo de linha e traria alguns itens a mais que a Longitude, atual topo de linha. Vendido apenas com motor 1.8 16v EtorQ Flex, a Limited chegaria para bater de frente com a EXL do Honda HR-V, com preço tabelado em R$90.700, segundo a revista Quatro Rodas. O câmbio seria automático de 6 velocidades e ainda não se sabe quais itens de série viriam na versão topo de linha do Renegade. Entre os itens que podem fazer parte da versão Limited seriam os faróis de xênon e o teto solar panorâmico, itens visto apenas nas versões de motor a diesel. Ainda não se sabe quais outros itens poderiam ser oferecidos. Não se sabe se o motor 1.8 16v EtorQ Flex do Renegade deve ganhar um upgrade como deve acontecer com a Fiat Toro. Na picape italiana, o 1.8 deve entregar cerca de 138cv contra os 132cv atuais, ganhando 6cv com etanol. Com gasolina, espera-se que tenha 136cv. O torque, que entrega 19,1kgfm com etanol deve entregar um pouco mais de 20kgfm e cerca de 19,5kgfm com gasolina, contra os 18,6kgfm atuais, mas seria bem-vindo, uma vez que o único "pecado" do Renegade é o motor 1.8, considerado fraco para seu peso.


Fiat Toro terá motor 1.8 16v EtorQ Flex mais potente com maior cavalaria e torque para suportar peso!


A Fiat Toro tem causado uma certa ansiedade no consumidor brasileiro. E em nós, também. Ao que tudo indica, o lançamento deve ocorrer em Janeiro de 2016, uma vez que Dezembro acabaria "queimando" a estreia da picape e seu lançamento pode ficar para o primeiro mês de 2016, apesar de já estar pronta. A picape começa a ser produzida em Goiana (PE) entre os meses de Outubro ou Novembro. E, um dos pontos mais criticados da Toro é o motor 1.8 16v EtorQ Flex que desenvolve apenas 132/130cv de potência e 19,1/18,6kgfm no primo Jeep Renegade. Segundo o site Autos Segredos, a Toro deve usar esse motor, porém com uma cavalaria extra, que era esperada no Renegade, mas o SUV recebeu apenas um ajuste no torque. Com Etanol, o 1.8 16v deve entregar cerca de 138cv contra os 132cv atuais, ganhando 6cv. Com gasolina, espera-se que tenha 136cv. O torque, que entrega 19,1kgfm com Etanol deve entregar um pouco mais de 20kgfm e cerca de 19,5kgfm com Gasolina. Nas versões com motor 1.8 a Fiat deve oferecer apenas câmbio automático de 6 velocidades e tração 4x2. O câmbio manual de 6 marchas e opção de 4x4 deve se oferecida apenas com motor 2.0 Turbo Diesel, além do câmbio automático de 9 velocidades e tração 4x2. A Toro deve ter capacidade de carga de 700kg na Flex e de 1 tonelada na Diesel. Os preços começam na casa dos R$72.000 e chegam aos R$120.000.


Fonte: Autos Segredos

Vindo do México, Kia pode trazer finalmente Cerato Hatch ao mercado, com motor 1.6 16v Flex!


A fábrica da Kia no México deve trazer boas novidades para o mercado brasileiro. Enquanto os últimos anos a Kia trabalhou apenas no face-lift de alguns automóveis já vendidos no país, em 2016 a marca sul-coreana deve se aproveitar da fábrica mexicana para trazer importantes novidades ao Brasil. A primeira delas foi o Rio Hatch e Rio Sedan, que tem chances de serem vendidos a partir de Junho, enquanto o Cerato começa a vir do México mais em conta e no fim de 2016 seria a vez do KX3/Niro. Outro que pode desembarcar no mercado brasileiro é o primo do Hyundai i30, o Cerato Hatch. Bastante cogitado para ser lançado entre o fim de 2013 e o início de 2014, o hatch médio da marca sul-coreana pode desembarcar no Brasil com o mesmo motor 1.6 16v Flex que desenvolve 128/122cv de potência e torque de 16,5/16kgfm como opção de entrada. Na época, foi cogitado também a estreia do motor 2.0 16v a gasolina, que desenvolve 170cv de potência e câmbio automático de 6 velocidades, que poderia chegar ao Cerato, também. Na Coréia do Sul o Cerato conta com motor 1.6 GDi que entrega 140cv de potência. Assim como o Cerato, o Cerato Hatch viria bem equipado ao ter bem equipado, ele conta com sensor de pressão dos pneus, controle de estabilidade, câmera traseira, bancos aquecidos, ar condicionado automático, controle de cruzeiro, faróis HID, assistente de partida em rampas entre outros.


BMW deve lançar o pacote Competition Edition para a versão M6 do Série 6, que chega ao Brasil em 2016!


Durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, a BMW confirmou a vinda do kir Competition Edition para o M6, versão apimentada do Série 6. Apresentado em Frankfurt, o M6 Competition Edition Uma é uma série especial que conta com as cores tradicionais da marca alemã, rodas de liga-leve de 20" polegadas com acabamento escuro, maçanetas cromadas, retrovisores, difusor e aerofólio traseiro de fibra de carbono. Com motor 4.4 V8, o modelo entrega 600cv e torque de 69,3kgfm, acoplado a uma caixa de câmbio de 7 velocidades automática. Segundo a marca o modelo vai de 0 à 100km/h em apenas 4,2 segundos e atinge a velocidade máxima de 305km/h. Diferente do Série 6, a versão M traz pacote de design, como novos para-choques dianteiros e traseiros e novas rodas. O preço do pacote foi definido em 17.100 euros. Entre os itens de série o modelo é equipado com faróis de LED, ar-condicionado automático digital de quatro zonas, sistema de abertura e fechamento automático das portas (incluindo porta-malas), bancos dianteiros esportivos M com aquecimento, ajustes elétricos e memória, volante esportivo M em couro com teclas multifuncionais, borboletas para troca de marchas, freios de alta performance M com discos ventilados nas quatro rodas, ABS, controle eletrônico de estabilidade e tração entre outros. Por aqui os preços devem ficar na casa dos R$600.000 e chega no início de 2016.


Diferentemente dos rivais, nova geração do Audi A4 não terá motor Flex no Brasil; 2.0 TFSI está confirmado!


Durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, os executivos da Audi confirmaram que a nova geração do A4 chega ao Brasil no primeiro trimestre de 2016, com motores 1.4 TFSI e 2.0 TFSI. Diferentemente do A3 Sedan, o A4 não receberá motor Flex no mercado brasileiro. Isso por que "a plataforma dele, MLB, impossibilita o uso de um motor transversal. Só dá para utilizar longitudinal", afirma o gerente de desenvolvimento técnico do novo A4, Victor Oliveras. Porém a potência é a mesma. O 1.4 TFSI desenvolve 150cv de potência e torque de 25,5kgfm e que no A4 acelera de 0 a 100km/h em 8,7 segundos. O único motor que está confirmado para o Brasil é o 2.0 TFSI, que desenvolve entre 190cv a 252cv. Para todos os motores, a opção de câmbio é o manual de 6 marchas, que é cerca de 16kg mais leve. Ainda há a opção de câmbio S-TRONIC de 7 velocidades, substituindo o atual CVT. Com o motor mais manso, o 1.4 TFSI, que substitui o 1.8 TFSI, acelera de 0 a 100km/h em 8,9 segundos e promete consumo de 20,4km/l, cerca de 21% mais eficiente. No caso do 2.0 TFSI, acelera de 0 a 100km/h em 7,3 segundos e consumo médio de 20,8km/l. Nos dois casos os números de aceleração e de consumo levam em conta as versões equipadas com câmbio S-TRONIC e tração dianteira. O lançamento, confirmadíssimo para o primeiro semestre de 2016, deve contar com motor 2.0 TFSI. Com o 1.4 TFSI o lançamento ocorre durante o Salão do Automóvel de São Paulo, para competir com as versões de entrada de BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C.


BRABUS corta o lançamento do Mercedes-Benz GLE e traz ao mercado o GLE AMG 850 por R$4,5 milhões!


A BRABUS cortou o lançamento do Mercedes-Benz GLE Coupé no mercado brasileiro, programado para ser lançado no início de 2016. Para quem é ansioso e tem no bolso a bagatela de R$4.500.000, pode levar para casa o GLE AMG 850 Coupé, que desembarca no mercado brasileiro. Especializada em trabalhar com as versões AMG da Mercedes, a BRABUS apimentou o GLE Coupé com 861cv de potência, contra 593cv originais. A novidade já tem preço para o Brasil antes mesmo da chegada oficial do GLE pela Mercedes-Benz: US$1,1 milhão (R$4.513.740)! Em relação ao GLE 63 S AMG Coupé, o GLE 850 Coupé ganha novo deslocamento do motor, que passou de 5.5 V8 biturbo para 6.0, além da potência absurda, o torque também chegou a 147,8kgfm, contra 77,49kgfm da versão “de fábrica”. No design, as novidades fica por conta das rodas de liga leve exclusivas, com tamanhos que variam de 21" a 23" polegadas, além de spoiler dianteiro, saias laterais e difusor de ar traseiro feitos de fibra de carbono e o logotipo da preparadora no lugar da estrela de três pontas da Mercedes-Benz. O interior, por sua vez, foi revestido com um novo tipo de couro exclusivo da Brabus. Mesmo pesando 2.350kg, o GLE 850 Coupé acelera de 0 a 100km/h em apenas 3,8 segundos e atinge a velocidade máxima de 320km/h.


Preço

  • BRABUS GLE 850 Coupé 6.0 - US$1.100.000



JAC reajusta os preços de J2, J3S, J3S Turim, J5 e J6 no mercado brasileiro a partir desse mês de Setembro!


Depois do SUV Médio T6 tomar a ponta como o JAC mais vendido do país, a JAC tenta se segurar como dá com a alta do Dólar. Para isso, reajustou os preços dos compactos e médios no mercado. Assim, J2, J3S, J3S Turin, J5 e J6 passam a custar mais. O popular J2 passou de R$36.990 para R$39.990 com motor 1.5 16v Flex, enquanto o J3S passou de R$41.590 para R$42.990 e chega aos R$47.990 na versão topo de linha do hatch compacto. O sedã compacto na sua versão esportiva, o J3S Turin passou de R$43.490 para R$44.990 e chega a R$49.990 na versão topo de linha. O J5, que recentemente passou por um face-lift, passou de R$58.990 para R$62.990 na versão topo de linha, enquanto a J6 começa em caros R$69.990. Modelos como o T6 e T8 não sofreram reajuste de preços por serem os mais rentáveis da marca chinesa, uma vez que o T6 começa em R$69.990 e o T8 continua custando R$91.990. As demais versões também passaram por reajuste e ficam mais caras. Ainda não se sabe o conteúdo das versões topo de linha, como anunciamos recentemente. Sabe-se que modelos como J5 e J6 receberam bancos de couro e central multimídia. Já J2, J3S e J3S Turin devem ter recebido apenas bancos de couro.