segunda-feira, novembro 30, 2015

Simpático, Tata divulga primeiras imagens do hatch Zica que Lionel Messi será o embaixador


A Tata deve apresentar na Índia nos próximos dias, o seu hatch Zica. O hatch é hoje o automóvel mais harmônico já produzido pela Tata e mostra uma melhora no design da marca indiana, mas pena que o som de seu nome soa mal por aqui. Após ser flagrado constantemente na Índia, o Zica apareceu em suas primeiras imagens oficiais. Abreviação de "Zippy Car", o Zica será apresentado até o fim desta semana e deve chegar ao mercado indiano no início de 2016, possivelmente ainda em janeiro. Substituto do Indica, o Zica ficará abaixo do Bolt para concorrer mercado com Hyundai i10, Maruti-Suzuki Celerio e Chevrolet Beat (conhecido como Spark). Em termos de visual, o carrinho vai bem e se destaca pelas linhas fluídas e vincos na carroceria. Destaque para os faróis de superfície complexa, grade em colmeia e lanternas compactas. Sob o capô, o Zica será oferecido com motor 1.2 12v de três cilindros a gasolina e um 1.05 movido a Diesel, que poderão ser acoplados a um câmbio manual ou automatizada. A Tata deve apresentar maiores novidades do Zica em breve. A fabricante de origem indiana investiu pela primeira vez em uma campanha de marketing de nível global e aposta todas as fichas no atacante do Barcelona, Lionel Messi, para se tornar mais conhecida. Messi será responsável por promover exclusivamente a imagem dos carros da marca, onde o Zica poderá ser apresentado pelo jogador.


Volkswagen lança versão Comfortline com câmbio manual para Golf Variant no Brasil por R$83.990


Lançada em Maio, a station mais esperada de 2015 no Brasil ganha uma nova versão de entrada. A versão Comfortline ganhou opção de câmbio manual de 6 marchas. Se posicionando como a mais em conta da gama, a Golf Variant teve abate de preço em R$7.000 em seu preço. Enquanto a versão de entrada parte de R$90.990, a com câmbio sai por R$83.990. Com 4,56 metros de comprimento e 2,63m de entre-eixos, com porta-malas que varia de 605 litros de capacidade a 1.620 litros com os bancos traseiros rebatidos. Com a plataforma MQB, a station chega importada do México e não deve ser nacionalizada como o hatch e traz o motor 1.4 TSi de 140cv de potência e torque de 25,5kgfm. Com esse motor ela acelera de 0 a 100km/h em 9,5 segundos e atinge a velocidade máxima de 205km/h. Entre os itens de série dessa versão, estão 7 airbags, freios ABS, alerta de pressão dos pneus, ar-condicionado, assistência de partida em rampa, conjunto elétrico com vidros, travas e espelhos, faróis de neblina com função auxiliar em curvas, sensor de estacionamento dianteiro e traseiro, sistema multimídia com CD/MP3-Player, conexão Bluetooth e entrada USB, sistema start-stop e volante revestido em couro e rodas são de liga leve de 17" polegadas. Opcionalmente, a Golf Variant pode ser equipada com o pacote Elegance e Exclusive. Com essa versão, a Volkswagen pretende aumentar as vendas da Golf Variant, que ficaram na média de 130 unidades mensais nos últimos cinco meses.


Segundo site, Jeep Renegade deve ganhar novo motor 1.8 16v EtorQ Flex no segundo semestre de 2016


Segundo o site Autos Segredos, especialista em desvendar os segredos da indústria nacional, revela que a FCA já procura um substituto do motor 1.8 16v EtorQ Flex que é usado hoje no Jeep Renegade e em breve na Fiat Toro. Com estreia em Março desse ano, é o motor 1.8 16v EtorQ Flex do Renegade seu principal "defeito". Apesar de receber algumas alterações e mais torque e segundo o site, a Jeep queria ter lançado o Renegade já com o novo motor 1.8, mas assim como aconteceu com o 1.0 6v GSE Flex e 1.4 16v Flex da Fiat, os planos atrasaram. O motor 1.8 16v atual deixará de ser oferecido no segundo semestre de 2016, sendo a principal novidade do utilitário compacto da Jeep para o ano que vem. O novo motor 1.8 16v EtorQ Flex deve entregar mais potência e torque, que também deverá ser oferecida na Toro no início de 2017, uma vez que o motor da picape recebeu um novo ajuste para entregar maior potência e torque. Dados sobre o novo motor 1.8 16v Flex ainda são limitados, mas sabe-se que o novo motor poderá finalmente resolver a "anemia" do Renegade em respostas e melhorar consideravelmente o consumo do atual líder do segmento de SUVs Compactos.


Fonte: Autos Segredos

Mitsubishi apresenta nova série especial Outdoor do ASX, que chega com câmbio manual a tração 4x4 por R$97.990


A Mitsubishi está apresentando no mercado brasileiro mais uma série especial do ASX. Com design diferenciado e câmbio manual com tração 4x4, a série especial Outdoor possui uma proposta urbana e off-road, com destaque para o design. Com visual mais aventureiro, o ASX Outdoor ganha novidades como para-choques dianteiro e rodas em alumínio com pneus 16″ ATR (apropriado para 4×4) na cor cinza grafite. Os faróis possuem máscara negra e outros itens como a nova grade dianteira, moldura do farol de neblina, maçaneta das portas, acabamento dos retrovisores externos e o flare das rodas também são na cor cinza grafite. Na traseira, as lanternas ganham lentes escurecidas e o para-choque traseiro ganha dois ganchos na cor do ASX, enquanto o rack de teto, desenvolvido especialmente para a série especial, complementa o visual aventureiro. No interior, a novidade fica por conta dos novos revestimentos dos bancos e detalhes na cor grafite, no centro do painel e o console central. Entre os itens de série, o ASX Outdoor oferece ESP, TCS, Hill Holder e airbag duplo.


O crossover é oferecido nas cores Branco Alpino, Prata Cool, Prata Rhodium, Preto Ônix, Vermelho Mônaco, Laranja Sun Shine e Verde Floresta. O motor é o 2.0 16v que desenvolve 160cv e torque de 20kgfm, acoplado a um câmbio manual de 5 marchas e tração 4x4 com acionamento eletrônico (2WD, 4WD e LOCK). Segundo Reinaldo Muratoni, diretor de engenharia e planejamento da Mitsubishi Brasil, “Realizamos um grande trabalho de desenvolvimento para a recalibração de todo o sistema de suspensão, aperfeiçoando também os amortecedores e molas. Isso fez com o que o ASX Outdoor tenha uma vocação ainda mais off-road. O conjunto ficou mais completo com os pneus ATR de 16”, adequados para quem gosta de enfrentar as trilhas”. “Isso não significa que o veículo seja somente para o uso off-road. Tivemos o cuidado de deixá-lo adequado para todos os tipos de uso, seja no fora de estrada ou passeando com a família pelas cidades e rodovias”.


Preço

  • Mitsubishi ASX Outdoor 2.0 16v 4x4 - R$97.990



Fiat nega, mas primeiras unidades do Tipo chegam ao Brasil no início de 2016 para homologação


A Fiat tenta negar a vinda do sedã Tipo ao mercado brasileiro, mas ao que tudo vem indicando, o sedã médio deve sim vir ao Brasil em 2016 para substituir o Linea. Porém, o Tipo deve chegar ao Brasil importado, assim como o hatch médio que será vendido aqui a partir de 2017, substituindo o Bravo. O flagrante do Tipo no Brasil nos últimos dias era falso, mas não significa que a Fiat tenha desistido dele por aqui. Trabalhando intensamente em 2016, a Fiat pode apresentar quatro grandes novidades em 2016 (o "Mille", Toro, Tipo e o novo Punto). As primeiras unidades do Tipo começam a desembarcar no Brasil em Janeiro para testes de homologação e durabilidade/adaptação. Ainda nenhuma unidade do sedã foi importada ao Brasil, algo que começa nos primeiros meses de 2016e segundo uma fonte ouvida pelo site CARPLACE, o Tipo seria lançado no segundo semestre de 2016 e a produção estaria descartada de início. A confirmação da vinda do Tipo Hatch também foi confirmada para o Brasil, mas não se sabe se o Tipo em carroceria sedã pode ter esse mesmo nome na América do Sul. Por aqui ele pode receber o nome Tempra, enquanto o hatch ficaria com o nome Tipo para resgatar a dupla de médios da marca nos anos 90. Na mecânica, o Tipo será vendido com o motor 1.4 16v Turbo que desenvolve 160cv de potência acoplado a um câmbio manual ou automático de 6 velocidades ou o 1.8 16v Flex que entrega 138/134cv (recebendo uma melhoria na mecânica, assim como a Toro deve receber), acoplado com as mesmas opções de câmbio.


Fonte: CARPLACE

Nissan confirma câmbio automático CVT para March e Versa para os Jogos Olímpicos de Rio 2016


Prometidos para o fim de 2015, o câmbio automático CVT da Nissan para seus compactos March e Versa não era mentira. A marca japonesa apenas resolveu adiar o lançamento, que será apresentado junto ao crossover compacto Kicks durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016. Possivelmente, as primeiras unidades estarão disponíveis nas concessionárias a partir de Julho de 2016. O câmbio deve ser importado e chega ao Brasil apenas para ser montado na fábrica de Resende (RJ). Segundo a revista CARRO ONLINE, o câmbio não será uma exclusividade do motor 1.6 16v Flex, podendo também estar disponível no motor 1.0 12v Flex, fazendo companhia ao Kia Picanto como um dos poucos 1.0 realmente automáticos do mercado. A estratégia de apresentar o câmbio durante os Jogos do Rio 2016 é que deve ter uma grande exposição dos automóveis da Nissan, patrocinadora oficial do evento. Com essa opção de câmbio, a Nissan deve perceber um aumento na procura dos compactos March e Versa, vendidos atualmente apenas com câmbio manual de 5 marchas. Ainda não se sabe, mas o câmbio automático e motor 1.6 16v Flex, os preços devem começar na casa dos R$46.000 para o March e cerca de R$50.000 para o Versa.


Fonte: CARRO Online

Bentley convoca recall de 45 unidades do Continental no Brasil com risco de incêndio


A Bentley Cars do Brasil está convocando um recall que envolve 45 unidades de Continental GT (e demais versões esportivos do coupé, como Supersports Conversível, New Continental GT V8, New Continental GTC V8 Conversível, New Continental GT W12 e New Continental GTC W12 Conversível) e do sedã Flying Spur. Os 45 automóveis convocados deverão retornar a uma concessionária da marca inglesa para corrigir uma possível soltura do elemento de fixação do cabo da bateria de 12V. A falha pode impedir que o motor dos carros seja ligado e acarreta sérios riscos de incêndio. Segundo a Bentley, "é a possível que o elemento de fixação do cabo da bateria de 12V solte. Além de impedir que o motor seja ligado pelo motorista, o defeito pode causar um incêndio com risco de danos físicos graves ou fatais aos ocupantes e a terceiros". Como só há uma concessionária no Brasil localizada na cidade de São Paulo (SP), os proprietários da cidade deverão levar suas unidades. Quem mora fora de São Paulo terá um mecânico especializado enviado pela marca, credenciado para fazer o serviço. As unidades afetadas foram produzidas entre 22 de Julho de 2011 a 11 de Fevereiro de 2014. Para mais informações, a Bentley disponibiliza o telefone (11) 3086-8888.


Final dos Chassis

  • Bentley Continental e Flying Spur - SCBFE63W2CC072483 a SCBFG63W1EC095461

Volkswagen adia lançamento do Phaeton mais uma vez para estancar gastos do Diesel Gate


Certamente o Diesel Gate atrasaria algum projeto. E a Volkswagen acabou por atrasar mais uma vez. A nova geração do Phaeton que já estava atrasada, deve atrasar ainda mais. Isso por que a marca preferiu economizar 1 bilhão de euros para estancar os gastos com o dispositivo que deve instalar nos milhares de automóveis e comerciais leves afetados em todo mundo. Segundo o presidente da VW, Matthias Müller, confirmou nesta semana reajustes no ritmo de investimentos da marca para o ano que vem. De acordo com o executivo, 2016 terá 1 bilhão de euros (quase R$4 bilhões) a menos que em 2015 no quesito aplicações. Além da nova geração do Phaeton, a Volkswagen não deve investir em novas fábricas e irá congelar o projeto de expansão. Discutido com o Conselho de Administração do Grupo Volkswagen, a a construção de um centro de design em Wolfsburg e a implantação de uma unidade de pintura no México ficam agora com status de espera. Já a fábrica que atualmente produz o Phaeton, na fábrica de Dresden, na Alemanha, corre o risco de ser fechada. Por outro lado, gastos relacionados ao desenvolvimento de tecnologias alternativas foram elevados, o que deve render avanços importantes na área de híbridos e elétricos. A nova geração do Phaeton está pronta para a produção, mas não será colocado em linha pois custa mais três vezes para ser produzido que um Passat. Custando mais de US$100 mil dólares, o Phaeton é considerado uma anomalia dentro da Volkswagen. O Volkswagen Phaeton foi criado para concorrer com o Mercedes-Benz Classe S e ser capaz de cruzar serenamente a 300km/h. De fato, ele faz isso, mas enquanto a Daimler vende mais de 100.000 Classe S por ano, em 2014 foram fabricados cerca de 4.000 Phateon, grande parte vendida na China, um dos únicos países onde o Phaeton se destacou.


Genesis prepara sedã G70 para concorrer com BMW Série 3 e demais alemãs até 2018


A Genesis promete tentar brigar com demais marcas de luxo em breve no cenário mundial. Com pretensão de lançar seis automóveis até 2020, a marca de luxo da Hyundai deve apresentar seu primeiro automóvel no próximo dia 09 de Dezembro, o G90. Mas, a marca deve lançar o sedã G70 dentro de alguns anos para brigar com o BMW Série 3. Em ofensiva aos sedãs germânicos, a Genesis terá de brigar com Audi A4 e Mercedes-Benz Classe C. Conforme explica o site Wards Auto, o três volumes é internamente chamado de G70, será equipado com tração traseira e dará origem a pelo menos duas variantes, que inclui o sedã e um crossover, sendo que esse último deve brigar com Audi Q5, Mercedes-Benz GLC e BMW X3. Detalhes ainda são mínimos, mas sabe-se que o G70 deve ser lançado dentro de três anos e a Genesis será formalmente inserida no mercado e apresentará seu primeiro modelo. Gradativamente serão lançados novos carros, sendo seis o número programado para compor todo o portfólio. Os principais mercados para a divisão serão China, Estados Unidos e Europa, além da Coreia do Sul, mas com chances de ser vendido no Brasil após o crescente mercado de luxo mostrar sua força no país. Por aqui, a Genesis pode ser lançada em 2017, seguindo os mesmos passos da DS na Citroën. Primeiramente nas concessionárias da marca "mãe" e logo em seguida ganhando concessionárias próprias.


Renault Oroch tem garantia de recompra e financiamento grátis para alavancar nas vendas


Vendida desde o início de Novembro, a Renault Oroch tem chances de incomodar rivais como Fiat Strada e Volkswagen Saveiro por oferecer uma carroceria com espaço para cinco com dimensões compactas. E, para fazer sucesso, a Renault confirma que a Oroch está sendo vendida com o "Plano Troca Fácil" para os consumidores interessados. Trata-se de uma modalidade de financiamento com parcelas 30% menores que o crédito tradicional, entrada baixa e garantia de recompra do carro usado no final do contrato, para aquisição de um outro modelo 0km. O cliente que faz esta modalidade de crédito tem 2 anos adicionais de garantia total de fábrica, ficando com 5 anos de garantia total, maior tempo no segmento de picapes. Baseada no Duster, a Oroch recebeu reforços no chassi, maior espaço no banco traseiro e a versatilidade de um SUV, além da condução de automóvel. A Oroch é oferecida com motores 1.6 16v Flex que desenvolve 115/110cv de potência, com torque de 15,5/15,1kgfm, sempre com câmbio manual de 6 marchas, enquanto as versões mais caras vem equipadas com o mesmo motor 2.0 16v Flex do SUV Compacto que desenvolve 148/143cv e torque de 20,9/19,7kgfm, com opção de câmbio manual de 6 marchas. As novidades contemplam apenas o motor 2.0 16v Flex. Até o fim desse ano a Renault deve oferecer tração 4x4 e câmbio automático CVT de 6 velocidades, que deve estar presente na picape apenas com motorização 2.0 16v Flex. Todo de linha, a Oroch deve chegar próxima da casa dos R$80.000, muito melhor que pagar quase isso em uma Fiat Strada Cabine Dupla Adventure ou R$5.000 a mais em uma Chevrolet S10 2.5 Ecotec SIDI.


Nova geração? Kia Mohave deve ganhar outro face-lift no primeiro semestre de 2016 na Coréia do Sul


Sabemos que o Kia Mohave é um veterano e tanto no mercado. Lançado em 2008, o utilitário esportivo até hoje não recebeu uma segunda geração e sobrevive com pequenas novidades visuais. E deve ganhar mais uma. No início de 2016, o Mohave deve ganhar uma outra mudança no visual para se manter vivo no mercado sul-coreano e nos demais onde é vendido, como o Brasil. Com demanda estável, o Mohave conseguiu sobreviver, enquanto o "primo" Hyundai Veracruz sucumbiu ao SantaFé. Com as leis de emissões cada vez mais rígidas, a Kia deve oferecer o Mohave apenas na Coréia do Sul, Emirados Árabes e alguns mercados da Ásia. Ainda não se sabe se o utilitário continuará a ser vendido na América do Sul. Entre as principais novidades que o Mohave deve ganhar são os LEDs diurnos na dianteira, nova grade frontal, capa dos retrovisores externos e rodas de liga leve devem ser cromados, enquanto as lanternas ganham novo layout e LEDs. Em termos de equipamento será enriquecido com novas funcionalidades como uma central multimídia, de segurança e conveniência, como um sistema de câmeras 360º graus, chamado Around View Monitor e novos bancos de couro marrom. No Brasil o Mohave é vendido apenas com motor diesel e preço na casa dos R$209.900.


Fotos: TheKoreanCar

domingo, novembro 29, 2015

Retrômobilismo #110: um Laika com ainda mais espaço? Claro, a Laika Station Wagon


A soviética Lada chegou ao mercado brasileiro com quatro novidades de uma só vez. A marca começou a oferecer o Laika Sedan, Samara, Niva e Laika SW quase que juntos. Assim como o sedã, a station wagon não tinha um aspecto muito bonito. Em teoria, a Laika SW concorreria com Fiat Elba e Volkswagen Parati na época de seu lançamento, mas na realidade não tinha um confronto direto. Apesar de ser a mais em conta, a Laika Wagon era velha demais para enfrentar as brasileiras, que no Brasil tinham trazido novidades nos últimos anos. Oferecida apenas na carroceria de quatro portas, a Laika Station Wagon media 4,13 metros de comprimento, 1,62m de largura, 1,45m de altura e entre-eixos de 2,42 metros. Mesmo importada, a Laika era 22% mais em conta que a Elba com quatro portas, com quem tinha uma briga maior, já que a líder Parati era vendida apenas com carroceria de 2 portas.


Enquanto o sedã cativava taxistas, a SW chamava a atenção das famílias que tinha um valor limitado para pagar num automóvel que tivesse bom espaço interno a um preço em conta. Com motor dianteiro, eixo cardã, tração traseira, suspensão dianteira independente com freio a disco e traseira com eixo rígido e barra Panhard. O motor que equipava o russo era o 1.6 8v que desenvolvia 72cv de potência e torque de 11,8kgfm, acoplado a um câmbio manual de 5 marchas. Com quase 1.000kg, o Laika acelerava de 0 a 100km/h em cerca de 16 segundos e velocidade máxima de 142km/h. O consumo ficava na casa dos 10,8km/l na média entre cidade e estrada. Apesar do nome Laika, na traseira o nome do russo era estampado pelas siglas "2105", nome do modelo vendido na Rússia. No interior, o Laika se destaca pelo seu volante fino e por oferecer apenas o básico no quadro de instrumentos: velocímetro, voltímetro e marcadores de combustível e temperatura. O volante causa estranheza. Muito fino e grande para os padrões e gostos do consumidor da época e da posição do contato, relatada que era bem incômoda.


 Entre os itens de série, o Laika oferece regulagem dos faróis e cinto de três pontos no banco traseiro como principais diferenciais entre os nacionais. Com mecânica robusta e de fácil acesso, a Laika Wagon era instável. A perua não tinha um bom conjunto de mola, amortecedores e suspensão, que não cantavam a mesma música e passavam uma sensação de instabilidade, diferente do Samara, por exemplo. Mesmo com uma aerodinâmica melhor que o Laika Sedan, a Laika SW era mais pesada e assim consumia mais. Na cidade a Laika fazia 8,89km/l e na estrada, 12,71km/l. O nível de ruído também era um ponto crítico. Em 1992 os preços iam de 6.000 a 12.000 dólares em toda a linha Lada. E nesse ano a Lada já tinha 126 pontos de venda, que ajudaram a marca russa a vender 23.500 unidades em dois anos de mercado. Apesar de custar US$8.565 na época, a Laika SW pecava por ter um projeto velho demais. A posição de dirigir não era das mais cômodas, o painel de instrumentos remetia a automóveis da década de 70, mas encantava ao trazer bancos aveludados e itens de série que os rivais tinham apenas como opcional. Na época, era considerada "imbatível" por oferecer "muito" por pouco.


Pena que essa mecânica simples e o preço imbatível iam por água abaixo quando o assunto era rede de assistência técnica. Mal adaptados ao solo brasileiro, a russa - assim como a maioria dos outros três russos - sofreu com as condições climáticas, que traziam alguns problemas que muitas vezes eram pequenos, mas enchiam a paciência do proprietário de ir toda hora a uma concessionária para resolver, pois como se tratava de um importado, muitos mecânicos brasileiros não sabiam mexer na SW mesmo tendo uma mecânica simples. A linha Laika vendeu cerca de 33.000 unidades no país, o que não parece ser muito, mas para a época, com os consumidores receosos de modelos e marcas que invadiam o mercado, o Laika pode ser sim considerado um sucesso de vendas, mas vale ressaltar que tudo isso nos três primeiros anos. Saiu de cena no fim de 1995, quando a Lada deixou o país precocemente quando as vendas desabaram, entre 1994 e 1995.


Vídeos Automotivos: Test-Drive com o Chevrolet Classic 1.0 LS



Inscreva-se: Canal Top Speed

Vídeos Automotivos: Drops#04 com a Volkswagen Brasília Dacon



Inscreva-se: Canal Garagem do Bellote

Vídeos Automotivos: Test-Drive da Toyota Hilux SW4 SR



Inscreva-se: Canal Garagem do Bellote

Vídeos Automotivos: Relembre - Mercedes-Benz 560 SEC



Inscreva-se: Canal Garagem do Bellote

Vídeos Automotivos: Bosch comemora 30 anos do Gasoline Systems - GS-LA



Inscreva-se: Canal Mecânica Online

Vídeos Automotivos: Release da nova central multimídia Nissan Multi-App



Inscreva-se: Canal Mecânica Online

Vídeos Automotivos: um pouco sobre as tecnologias da nova geração do Volvo XC90



Inscreva-se: Canal Mecânica Online

Vídeos Automotivos: saiba mais sobre o e-Clutch, acionamento eletrônico da embreagem



Inscreva-se: Canal Mecânica Online

Vídeos Automotivos: Release do novo Peugeot 408



Inscreva-se: Canal Mecânica Online

sábado, novembro 28, 2015

Ford comemora 15 anos de produção do Focus na América Latina e de aniversário no Brasil


A Ford está comemorando 15 anos do lançamento do hatch e sedã médio Focus no Brasil. Lançado em 2000, o substituto da linha Escort chegou como um carro mundial e desde então vendeu mais de 350.000 unidades. Lançado em Outubro de 2000, o Focus chegou com as carrocerias hatch e sedã com os motores 1.8 e 2.0 Zetec, sempre com câmbio manual de 5 marchas. Produzido na Argentina, trazia freios ABS e airbags de série na versão Ghia, e como opcionais na de entrada. Concebido desde o início como carro mundial para suceder o Escort, o Focus tinha formas arrojadas e teve a consultoria do tricampeão de Fórmula 1 Jackie Stewart no acerto de suspensão e direção. Hoje é um dos sinônimos em prazer de dirigir e qualidade construtiva. Em 2008 foi a vez da segunda geração, que chegou ao Brasil atrasada e fez com que a seguinte geração também viesse com atraso. Na segunda geração, o Focus mantinha sua principais características e o design se manteve familiar, o que foi totalmente ao contrário da terceira geração, que revolucionou com linhas que não lembravam em nada, a primeira e segunda geração. A terceira geração chegou em 2013, mas em 2014 o Focus recebia o face-lift de meia-vida no exterior, que foi lançado em 2015 no Brasil e o deixou em pé de igualdade com o que tem lá fora. Confira abaixo a sua linha do tempo no Brasil.



MINI lança da nova geração da Clubman em versão única e motor 2.0 Turbo no Brasil por R$179.950


A MINI trouxe a nova geração da Clubman em tempo recorde para o Brasil. A station do Cooper chega ao mercado brasileiro em pouco mais de dois meses de fazer sua estreia no Salão do Automóvel de Frankfurt, na Alemanha no último mês de Setembro. Junto da nacionalização do Countryman, a Clubman é a principal novidades da marca inglesa para esse ano no Brasil e completa as novidades do Cooper, que deve receber em 2016 apenas novas versões como a Cabrio. Considerada o maior automóvel já produzido pela MINI, a Clubman possui 4,22 metros de comprimento, 1,84m de largura e 1,45m de altura, que resulta num crescimento de 26 milímetros no comprimento, 161mm mais larga e 24mm mais alta que a geração anterior. Vendida em versão única, a Clubman chega na versão S com motor 2.0 16v Turbo que desenvolve 192cv de potência com torque de 28,5kgfm, acoplado a um câmbio automático de 8 velocidades. Com esse motor, a Clubman acelera de 0 a 100km/h em 7,1 segundos e velocidade máxima de 228km/h. Com a função Overboost pode alcançar 30,2kgfm de torque.


Maior e mais bela, a nova geração da Clubman é produzida sobre a plataforma UKL1, de tração dianteira que pela primeira vez possibilitou que a Clubman tivesse 4 portas ao invés das tradicionais duas, como aconteceu nas últimas gerações, oferecendo maior espaço interno e facilidade no acesso à cabine. Atrás, o porta-malas acomoda entre 360 e 1.250 litros e mantém o sistema de abertura lateral dividida, característico da geração passada. Quem se mantém é a dupla porta do porta-malas, que abre em sentido oposto uma a outra. Entre os itens de série, a versão S oferece  estacionamento elétrico, bancos revestidos em couro, faróis Full LED, abertura das portas sem chave, head-up display, teto solar panorâmico, rodas de 18 polegadas, sistema de navegação com tela LCD de 8,8 polegadas, HD interno de 20 GB, MINI Connected (que permite o uso de apps de streaming de áudio, localização e monitoramento da condução) e MINI Connected XL Journey Mate (que oferece uma combinação de navegação, comunicação e infoentretenimento).


Há ainda ar-condicionado digital de duas zonas, volante John Cooper Works revestido em couro com paddle shifts, bancos com ajuste elétrico e com memória, MINI Driving Modes (que adapta as configurações do carro ao gosto do condutor, como a suspensão adaptativa, por exemplo), entre outros. A nova geração da station inglesa não trouxe a versão de entrada, equipada com motor 1.5 12v Turbo de 3 cilindros que rende 138cv de potência e um torque de 22,4kgfm de força, que o leva de 0 à 100km/h em 7,8 segundos e alcança a velocidades máxima de 210km/h. Sem essa versão o preço realmente ficou salgado. Mas, assim como o Countryman passando a ser produzido na fábrica do Grupo BMW em Araquari (SC), a nova geração da Clubman pode ser produzida no Brasil no fim de 2016, assim como o BMW X4, que também passa a ser produzido no país no ano que vem. A informação vem do Salão do Automóvel de Frankfurt e pode trazer mais um modelo do Grupo BMW a ser produzido aqui, mas não teve confirmação se esse novo modelo da MINI a ser produzido na fábrica seria a Clubman.


Preço

  • MINI Clubman S 2.0 16v Turbo AT8 - R$179.950



Qoros apresenta oficialmente o utilitário 5 no Salão de Guangzhou e vendas são iniciadas no mercado chinês


A Qoros está lançando no mercado chinês o seu primeiro utilitário esportivo, o 5. Depois de ter suas fotos vazadas nos últimos dias, a marca de luxo da Chery foi obrigada a desvendar o seu maior mistério de 2015. Com porte médio, o 5 é derivado do 3 Hatch e 3 Sedan e sua carroceria fabricada em 61% de aço de alta-resistência e 12% de ultra alta-resistência. Com isso o utilitário certamente ganharia cinco estrelas no Crash-Test do EuroNCAP. O design lembra um pouco os irmãos e tem uma certa inspiração no Land Rover Range Rover Evoque, principalmente na dianteira, com os faróis estreitos e esticados. As rodas possuem aro 19 polegadas com pneus 235/50 R19. Faróis e lanternas são Full LED e o teto solar é panorâmico. Com 2,69 metros de eixos-eixos e 1,87m de largura, o 5 oferece bom espaço interno e o acabamento parece ser primoroso e funcional, bem acabado. O modelo conta com central multimídia, cuja tela capacitiva tem 8" polegadas. Ele tem também o QorosCloud para entretenimento e serviços, bem como sistema de som Bose. O utilitário é equipado com o motor 1.6 Turbo que desenvolve 154cv e torque de 23,4kgfm, acoplado a um câmbio automático de dupla embreagem a seco de 6 velocidades, vendido inicialmente apenas com tração dianteira. A intenção da Qoros é oferecer tração 4x4 e desde a versão mais básica é equipado com ESP, TCS, Hill Holder, seis airbags, entre outros, estarão disponíveis. Os preços partem de R$87.330 naquele mercado.



Terceira geração do Hyundai i30 já está sendo testada na Europa e deve ser apresentada em 2016


Surpreendentemente a Hyundai já está com a terceira geração do i30 pronta. O hatch médio deve chegar a sua terceira geração em menos de 10 anos de mercado e tem grandes chances de ser apresentado já em 2016. O hatch médio foi flagrado com pouca camuflagem rodando na Europa, já mostrando um pouco de sua carroceria. A atual geração, apresentada em 2011 e reestilizada em 2014 deve deixar de ser produzida nos próximos meses nas três fábricas de onde é produzido. A terceira geração foi flagrada pelo site CarPIX e desvendado pelo site TheKoreanCar.com, foi flagrado na Alemanha. Ainda se tinha dúvida sobre o hatch camuflado, mas a mesma entrada de ar, grade hexagonal, os mesmos retrovisores externos e do capô levemente mais longo, percebeu-se que a nova geração do i30 deve ser mais do que nunca um "Elantra Hatch". Ambos podem ganhar a mesma dianteira e devem compartilhar ainda mais componentes que as últimas gerações de ambos. A nova geração do hatch deve ter faróis mais afilados e com estilo mais esportivo. Além disso, o novo i30 será mais baixo e largo que a atual geração. O design deve seguir a tendência da "Escultura Fluída 2.0", com linhas menos ousadas e mais clássicas, mas ainda assim belas. Os motores poderão ser desde o 1.6, passando por um 1.8 e um 2.0, dependendo do mercado será oferecido com gasolina e diesel, além do câmbio, que poderá ser manual de 6 marchas e automático de 7 velocidades de dupla embreagem. No Brasil, a nova geração do i30 é esperada para 2017.


Fotos: CarPIX e TheKoreanCar

Nova geração do Honda Civic pode vir com câmbio manual de 6 marchas no motor 1.5 16v i-VTEC


A décima geração do Honda Civic pode enfim voltar a conquistar os seus consumidores pelo seu belo design e por ser a geração que mais teve mudanças nos últimos anos. Além da nova plataforma, o Civic ganhou o moderno 1.5 16v i-VTEC Turbo, que pode ser uma das maiores novidades do sedã médio nesse geração. Nos EUA, essa versão está sendo vendida apenas com câmbio automático CVT de 7 velocidades. Porém, a Honda confirmou que deve oferecer no início de 2016 a versão com câmbio manual de 6 marchas para essa motorização. Segundo o site CivicX.com, o sedã médio deve receber a nova opção de câmbio no primeiro semestre de 2016, já como linha 2017. O novo motor 1.5 16v VTEC Turbo que desenvolve 176cv e torque de 22,4kgfm com gasolina. Mais esperto, a montadora estima que o novo motor possa ser de 5 a 10% mais econômico que os atuais aspirados vendidos por aqui. Aqui, terá injeção flex e poderá render até números melhores com etanol. Para os EUA, essa deve ser a principal novidade do Civic no ano que vem, já que tudo foi apresentado no lançamento. No Brasil, o câmbio manual de 6 marchas pode ser oferecido para com produção restrita, já que é sabido que é o câmbio automático que deve ser mais vendido nessa faixa de preços de R$80.000, já que a versão de entrada terá o motor 2.0 16v FlexOne com opção manual e automático.


Fonte: CivicX.com

Mercedes-Benz pode se aventurar no segmento de utilitário elétricos com o ELA, variante elétrica do GLA


A Mercedes-Benz pode se aventurar no mundo dos automóveis elétricos em breve. A marca germânica pode começar apresentando o ELA, variante elétrica do GLA, que ganharia novidades visuais além de novo nome. Segundo a revista Auto Bild, o GLA terá um equivalente com propulsão 100% elétrica com outra designação, com o nome ELA (E, de elétrico), podendo abrir uma nova nomenclatura para os utilitários (caso venham a ser lançados, ainda teria o ELC, ELE e o ELS, para os respectivos GLC, GLE e GLS). No entanto, antes do ELA, a Mercedes deve lançar, de acordo com a publicação germânica, o ELC (versão elétrica do GLC) e com chegada programada para 2018. Sobre o primeiro, a revelação é de que o propulsor elétrico teria apenas 101cv, mas um grande pacote de baterias e preço a partir de €40.000. Tanto o ELC como o ELA devem receber novidades visuais como nova grade dianteira, novo para-choque com entradas de ar menores e estilo mais aerodinâmico, assim como as rodas de liga leve, que ganhariam pneus de baixo atrito. Para o ELA, o motor elétrico deve ser um pouco menor graças ao peso reduzido, visto que o GLC terá mecânica capaz de desenvolver 101cv. É preciso saber do torque e do câmbio antes de sair justificando...


Projeção: AutoBild