terça-feira, janeiro 31, 2017

Renault Captur deve ser lançado nos dia 14 e 15 de Fevereiro, com preços na faixa dos R$80.000


A Renault confirmou que o próximo lançamento no Brasil deve acontecer nos dias 14 e 15 de Fevereiro. Trata-se da chegada do Captur, seu primeiro grande lançamento de 2017. Posicionado acima do Duster, o Captur foi uma das estrelas da marca para o Salão do Automóvel de São Paulo. As primeiras unidades a ser entregues serão as 400 oferecidas na pré-venda no final de 2016, todas na versão Intense. O Novo Renault Captur vem com LEDs diurnos, rodas de liga leve aro 17 polegadas, ar-condicionado automático, multimídia com navegador GPS, quatro airbags de série, controles de tração e estabilidade, piloto automático, assistente de partida em rampa, chave cartão, retrovisores com rebatimento elétrico, entre outros. A marca francesa ainda informou que o nosso Captur deve ser vendido em duas versões e motorizações: a Zen com motor 1.6 16v Flex que desenvolve 120/118cv de potência acoplado ao câmbio manual de 6 marchas ou automático CVT e a versão Intense com o conhecido conjunto motriz 2.0 16v Flex que desenvolve 148/145cv de potência e torque de 20,9/20,3kgfm, acoplado ao antiquado câmbio automático de 4 velocidades. Para colaborar com o consumo, traz direção elétrica e alternador pilotado, que aproveita desacelerações para recarregar a bateria. Na parte de estilo, investe no uso de duas cores, uma para carroceria e outra para o teto, personalizáveis. Antes cogitada, a suspensão multilink não deve ser oferecida para o utilitário esportivo, que deve ter eixo de torção assim como o Duster. O Captur conta com 4,33 metros de comprimento (21cm a mais que o Captur europeu), 1,81m de largura (4cm a mais), 1,61m de altura (5cm extras) e 2,67 metros de distância entre os eixos (cerca de 7cm a mais). Além disso, o porta-malas também cresceu (387 litros, 10 litros a mais) e o vão livre em relação ao solo saltou para 204mm. Com os bancos traseiros rebatidos, o espaço traseiro salta para 1.200 litros. Preços devem começar na casa dos R$80.000 e ir aos R$95.000.


Fonte: Autos Segredos

Especial Lançamentos 2017 #30: o que esperar da Rolls-Royce para o Brasil neste ano?


Esperado para 2016, o Dawn deve ser a aposta da Rolls-Royce para o Brasil em 2017. A marca de ultra luxo confirmou a chegada do Dawn ao Brasil nesse ano. Considerado o Rolls mais "sexy" atualmente a venda na Europa, o superluxuoso conversível deve fazer sua estreia com preços nas alturas, assim como a maioria dos Rolls-Royce. Considerado pela Rolls-Royce como autêntico conversível de quatro lugares da marca, o Dawn passa a ser a opção mais cara da Rolls-Royce, posto que era do coupé Wraith. Aliás, o Dawn é derivado do Wraith, que conta com portas suicidas. O Dawn divide 80% dos componentes com o Wraith. Há algumas diferenças, como a grade dianteira 45 milímetros mais baixa e o capô 53 milímetros mais longo quando comparado ao coupé. Entre os destaques do Dawn estão o ar-condicionado de quatro zonas e acabamento em várias opções de materiais de primeira qualidade. A capota do Rolls-Royce Dawn pode ser erguida ou abaixada em velocidades de até 50 km/h. O Dawn é movido pelo motor 6.6 V12 que desenvolve 563cv de potência e torque de 79,2kgfm, o mesmo usado no Wraith. Toda esta potência é responsável por mover 1560kg e os 5,28 metros de comprimento, capaz de levar o Dawn a 100km/h em apenas 4,9 segundos e atingir 250km/h de velocidade máxima limitada eletronicamente. Segundo a Rolls-Royce, a marca trabalhou intensamente para reduzir o ruído do vento e melhorar a suavidade ao rodar, tanto que o Dawn é considerado o "conversível mais silencioso do mundo". Preços? Chute algo próximo a R$4.500.000.


Honda apresenta novos detalhes do WR-V e confirma lançamento do "SUV" para Março


A Honda está apresentando novas imagens e detalhes do WR-V, que deve ser seu grande lançamento de 2017. Segundo a marca, ele deve ser o seu menor crossover e com base no Fit deve inaugurar o segmento de SUVs Subcompactos. Antecipado no Salão do Automóvel de São Paulo, o modelo ficará entre o Fit e o HR-V. Seu lançamento ocorre em Março, sempre equipado com motor 1.5 16v Flex que desenvolve 116/115cv de potência com torque de 15,4/15,3kgfm acoplado somente com câmbio automático CVT que simula sete velocidades. Ele deve ser produzido em Sumaré (SP) junto a HR-V, Fit, Civic e City. Apesar de a plataforma ser a mesma do Fit, a Honda destaca que a suspensão adota amortecedores com batente hidráulico e diâmetro de cilindro reforçado, barra estabilizadora mais robusta, buchas frontais mais fortes e eixo traseiro derivado do HR-V. O painel é o mesmo do Fit, mas no habitáculo se diferencia por trazer novo tecido dos bancos (preto e prata, preto e laranja ou preto e vermelho, dependendo da cor da carroceria). Vem do monovolume também o sistema de bancos Ultra Seat, que permite diversas configurações de assentos. No design, ele oferece um design mais robusto, com capô elevado e vincos pronunciados. Destaque ainda para a luz diurnas em LED. O para-choque tem aspecto robusto e possui protetor centresal em tonalidade cinza, assim como faróis de neblina. O conjunto inferior se une às saias de rodas e soleiras laterais, terminado na base do protetor traseiro, também com aplique em cinza. Na traseira, as lanternas são herdadas do Fit em sua forma básica, mas com extensão sobre a tampa do porta-malas, quem mantém sua forma original. A vigia traseira adota apliques em preto brilhante, enquanto o teto apresenta barras longitudinais em cor cinza. Ele mede 4,00 metros de comprimento, 2,55 metros de entre-eixos, 1,73 metro de largura e 1,60 metro de altura, além de 363 litros no porta-malas. Em relação ao solo são 17,9cm e possui ângulo de entrada e saída de 21º e 33º. Espere por preços entre R$65.000 a R$80.000.




Toyota Corolla reestilizado desembarca entre o final de Março e o mês de Abril no Brasil


O reestilizado Toyota Corolla deve chegar ao nosso mercado em Março, quando deve completar três anos de mercado. Seu lançamento deve ocorrer entre o final de Março e o início de Abril. A chegada da linha 2018 marca a chegada de maçanetas novas, com acabamento cromado, enquanto os faróis e grade frontais trazem novo desenho, mais agressivo, compondo com o também novo para-choque com linhas mais vincadas, que deixam com aspecto mais esportivo. Atrás, as lanternas recebem luzes de LED e lentes mais escuras. Novas rodas (aro 16″ ou 17″) completam o pacote visual. O design o deixa bem mais moderno e com menos cara de "tiozão", ponto muito criticado do sedã médio, mas que mesmo assim mantém a liderança do segmento de Sedãs Médios. Se o design externo melhorou, a lista de equipamentos passa a ficar mais interessante. Agora, o Corolla traz alerta de mudança involuntária de faixa, sistema pré-colisão e piloto automático adaptativo, que previne ou reduz o impacto numa colisão ao monitorar o tráfego com um laser e uma câmera – tudo como equipamento de série. Na versão brasileira, o Corolla deverá enfim ganhar o aguardado controle de estabilidade (ESP), recurso ainda não oferecido nem mesmo na versão topo de linha Altis. A mecânica não deve trazer novidades, mantendo os mesmos 1.8 16v DualVVT-i e o 2.0 16v DualVVT-i, ambos Flex e equipados apenas com câmbio automático CVT que simula 7 velocidades. Os preços devem ficar entre R$88.000 a R$120.000, enquanto as versões 1.8 para PcD devem ficar entre R$69.000 a R$75.000.


Nova geração do Seat Ibiza vaza em imagens oficiais e apresentação ocorre em questão de horas


Parece que todos nós podemos começar a sentir falta do Ibiza. Vendido no Brasil entre meados de 1995 a 2002, o hatch chega a sua nova geração na Europa com deign bem mais esportivo. Com apresentação marcada ainda para hoje, o hatch compacto premium teve as primeiras imagens vazadas. Irmão do novo Volkswagen Gol/Polo e Skoda Fabia, o novo Seat Ibiza mantém características da antiga geração, porém aprimoradas e com estilo mais esportivo. A dianteira é marcada pelos faróis espichados e com um filete de LED em formato triangular, além de uma nova grade, tomada de ar inferior em forma de trapézio e para-choque com linhas mais limpas. Nas laterais, sobressai os vincos nas extremidades das maçanetas. Já na traseira, há lanternas compactas que invadem a área do porta-malas. No interior, destaque para o volante multifuncional de três raios, painel em dois tons, console central com sistema multimídia com tela sensível ao toque e comandos do ar-condicionado digital e painel de instrumentos analógico, com uma tela TFT ao centro. O hatch espanhol deve ser o primeiro compacto a vir com plataforma MQB-A0 e deve ser o primo distante do nosso novo Volkswagen Gol. A nova geração promete ser mais espaçosa e trazer materiais de melhor qualidade no interior, sem contar a redução de peso pela plataforma MQB. Lançado em 1984, o Ibiza é um dos automóveis mais antigos ainda em produção pela Seat e já vendeu mais de 5,4 milhões de unidades. A chegada da nova geração pode marcar uma nova fase para a Seat e as vendas do hatch começam ainda no primeiro trimestre na Europa. Na mecânica, espere pelo motores 1.0 12v TSI, o 1.5 TSI e os mesmos motores a gasolina devem ser vendidos com opção diesel, TDI. Mais detalhes devem ser revelados em breve.


Fotos: Motofilm

Vaza imagem do McLaren "P14", que deve se chamar 720S e será lançado no Salão de Genebra


Menos de um mês e meio para a apresentação no Salão do Automóvel de Genebra, vazou uma nova imagem do McLaren conhecido internamente como P14 e que deve ser conhecido como 720S. Substituto do 650S, o novo superesportivo foi flagrado com carroceria pintada na cor laranja foi visto durante um evento de pré-apresentação e deixou à mostra todas suas formas. A imagem foi publicada pela conta do Instagram Lamborghiniks, possivelmente em alguma avant-première. O modelo deve contar com o mesmo motor 3.8 V8 biturbo mas entregando 720cv de potência, enquanto sua estrutura deve ser o Monocage II de fibra de carbono, proporcionando uma redução de peso de cerca de 20kg em comparação com o 650S, chegando a aproximadamente 1.280kg seco. Com esse novo conjunto ele deve acelerar de 0 a 100km/h em menos 3 segundos e alcançar uma velocidade máxima acima dos 330km/h. Futuramente ele pode ser equipado com motor 4.0 V8 twinturbo acoplado a um sistema híbrido. As fotos revelaram quase todas as linhas (sim, faltou apenas imagens do interior) e mostram um design mais futurista e de acordo com o novo face-family da marca inglesa. Na dianteira, os faróis estreitos numa moldura triangular são o destaque, com para-choque dianteiro com dias grandes entradas de ar quase circulares. Na lateral não há muitas surpresas e relação aos modelos atuais, assim como a traseira.


Foto: Lamborghiniks

Dodge divulga as primeiras imagens oficiais do Challenger SRT Demon, que estreia no Salão de Nova York


Depois de ter as primeiras imagens vazadas em vídeo publicado pelo ator Vin Diesel em agradecimento a equipe pelo Velozes 8, a Dodge não teve saída: era o momento que começar a mostrar o Challenger SRT Demon, vazado no vídeo de Vin. A marca divulgou uma imagem da traseira da nova versão e dos pneus que serão usados. Na traseira, o destaque fica pelo para-lamas alargados para comportar os novos pneus. Falando neles, os pneus Nitto em medidas 315/40 R 18, o primeiro de arrancadas oferecido em um modelo de produção normal. Com lançamento marcado no Salão do Automóvel de Nova York, a Dodge deve lançar 12 vídeos até seu lançamento. Pelo vídeo oficial sabe-se que a Dodge levou a sério a ideia de reduzir o peso do coupé. Ele deve ser 90,7kg mais leve que o Hellcat, chegando a 2.018kg, o que deve contribuir para seu desempenho ainda mais endemoniado. A verdade é que a versão Demon deve ser oferecida novamente. Usada pelo Challenger nos anos 70, ela apareceu como conceito no Salão de Genebra de 2007, mas nunca tinha voltado as linhas de produção.  Não há muitos detalhes sobre a configuração, mas a promessa é de um carro “mais potente e rápido”. Ou seja, mais potência e melhor dinâmica, com mudanças em transmissões, suspensão, direção, freios e afins. “O Dodge Challenger SRT Demon foi concebido, desenhado e projetado para a subcultura dos entusiastas, que sabem que o décimo de segundo é um carro de distância e meio segundo é a sua reputação”, disse Tim Kuniskis, chefe das marcas de passageiros da FCA. O motor deve ser o mesmo 6.2 V8 HEMI, mas com cerca de 800cv de potência ou até passar disto.


Lamborghini quer lançar um superesportivo popular em meados de 2022, abaixo do Huracán


A Lamborghini deve expandir seu lineup de automóveis. Depois do SUV Urus a ser lançado em 2018 e a versão de produção do híbrido Asterion Concept para 2020, a Lamborghini pode apresentar um novo modelo de entrada. Segundo o site Motoring, os próximos planos da Lamborghini é desenvolver um inédito superesportivo compacto de entrada, ficando abaixo do Huracán. Os detalhes ainda são limitados, mas ao que tudo indica o modelo deve ser o quarto no lineup da marca e um dos mais baratos. A informação foi dada pela própria empresa por meio de Stefano Domenicalli, diretor-executivo. Ele se mostrou bastante otimista com a possibilidade, mas atentou para o fato de que há outras prioridades no momento. “Precisamos ter certeza de que o Urus dará certo para então começarmos a pensar em um quarto modelo”, disse. Entre seus principais concorrentes estão o McLaren 570S e o futuro Ferrari Dino. “Se falarmos de superesportivos, precisamos considerar que a abordagem correta deveria ser modular. Não podemos ter dois modelos com duas unidades de potência, duas transmissões, dois chassis… honestamente, não é viável em termos de negócios”, afirmou Domenicali. Porém o novo compacto pode demorar para ser lançado. Depois do Urus e do possível Asteriorn, o compacto só seria lançado em meados de 2022.


Fonte: Motoring

DS X é flagrado rodando em testes na Europa e será o primeiro utilitário global da marca premium


Com apresentação marcada para o Salão do Automóvel de Genebra, a DS deve apresentar seu primeiro utilitário esportivo global no evento, conhecido como DS X. Apesar de ainda não ser o nome oficial, espera-se que a marca ainda tenha o W e o Y que devem ser lançados em 2019 e 2020 respectivamente. Vale destacar que estes automóveis da DS devem ser as versões premium de Peugeot 2008 (DS W), Peugeot 3008 (DS X) e Peugeot 5008 (DS W). O DS X deve ter a mesma plataforma do primo 3008 e pode contar com a mesma mecânica, mas com exceção dos motores compactos. Um motor híbrido também é planejado, com motor a gasolina com tração dianteira e o motor elétrico de tração traseira, trazendo um automóvel com tração integral bastante interessante. Quando equipado apenas com motor elétrico, o híbrido deve ter autonomia de 50km. O modelo foi flagrado rodando com carroceria definitiva e camuflagem zebrada, indicando a proximidade do seu lançamento. O DS X ainda deve ser o responsável pela volta de uma marca francesa em território norte-americano. Na Europa, ele deve competir no segmento dominado por alemães e terá a plataforma modular EMP2 do Peugeot 3008/5008, ou seja, deve ter cerca de 2,84 metros de entre-eixos. Com lançamento programado para o Salão do Automóvel de Genebra, em Março, na Suíça, ele começa a ser vendido na Europa no início de 2018 e no mesmo ano começa a descobrir novos continentes. O SUV deve ser construído na França na fábrica de Mulhouse. PSA ainda tem planos para um retorno nos EUA nos próximos anos, de modo que o DS X pode aterrissar no futuro distante.


Nova geração do Mercedes-Benz CLS é flagrada rodando em testes e deve estrear no Salão de Frankfurt


A terceira geração do Mercedes-Benz CLS tem chances de ser apresentada no Salão do Automóvel de Frankfurt. O sedã coupé de luxo da marca alemã deve passar por uma grande reestruturação e pode abrir espaço para um futuro CLE. O modelo atual, lançado em 2011, deve abrir espaço para a maior mudança desde o seu lançamento, em 2004. Mesmo camuflado, o sedã se destaca por trazer um design bem mais sexy e mostra que deve ficar ainda maior. Destaque também para a traseira com uma saliência maior que o modelo atual, ajudando para o crescimento do sedã. A nova geração do CLS deve trazer um design próximo ao de Mercedes-Benz Classe S, porém com carroceria bem mais descolada. Ele deve ser feito sobre a mesma plataforma do novo Classe E. Adotar a arquitetura da nova Classe E significa que o modelo de quatro portas também irá adaptar algumas das suas motorizações, provavelmente incluindo uma variante elétrica. Ainda não se tem muitos detalhes sobre sua mecânica, mas tudo leva a crer que ele deva usar o motor 4.0 V8 TwinTurbo na versão AMG com até 605cv de potência na versão S, assim como o Classe E. Nas versões mais civis, o CLS deve contar com motor 2.0 Turbo e 3.0 V6 Turbo como opções, acoplado ao câmbio automático de 9 velocidades. Sabe-se ainda que o sedã deve se manter em linha "sozinho", sem a companhia da CLS Shooting Brake.



Fotos: Motor1

Nova geração do Nissan Juke, que estreia ainda neste ano, deve ter versão e-Power no Salão de Tóquio


A segunda geração do Nissan Juke pode ser apresentada ainda neste ano. O utilitário esportivo compacto de design bastante ousado deve se basear no Gripz Concept. No Salão do Automóvel de Tóquio, em Outubro deste ano, a marca japonesa deve apresentar a motorização conhecida como ePower do Juke, já presença no Note, a inédita versão elétrica com extensor de autonomia, onde a energia da bateria é fornecida por um motor a gasolina. O grande diferencial desta versão e-Power é que apesar do carro ser movido completamente pela energia elétrica, a recarga da bateria fica a cargo de um motor a combustão. No caso, o motor é o 1.2 12v de 3 cilindros que desenvolve 79cv de potência e torque de 10,5kgfm emprestado do March. O motor elétrico é o mesmo do Leaf, que desenvolve 109cv de potência com torque de 25,8kgfm. Embora pareça estranho, frente a modelos híbridos plug-in como o Volt e o Prius, que podem ser recarregados na tomada, o Note não oferece esta opção. Na prática, é um carro elétrico que precisa de gasolina, embora o consumo seja bastante contido. Segundo os padrões japoneses de medição, o Note e-Power consome 37,2km/l em média. Segundo o site britânico Auto Express, a nova geração terá uma aparência mais trivial, incorporando a nova identidade dos modelos Nissan (visto no último Qashqai), mas sem perder a identidade. Outra novidade será a plataforma CMF-B, que deixará o modelo com entre-eixos maior e mais espaçoso por dentro, um dos pontos fracos do modelo atual. Baseado no Gripz Concept, a segunda geração deve ganhar motor 1.0 12v Turbo a gasolina e o 1.5 Diesel, além do 1.6 Turbo a gasolina, restrito a versão topo de linha e com potência na casa dos 190cv. A expectativa da Nissan é vender cerca de 100.000 unidades anuais da nova geração do Juke.


Ford reajusta os preços de Ka e Ka+ em Janeiro e linha 2018 deve ser lançada em breve


A Ford está por lançar a linha 2018 de Ka e Ka+ no nosso mercado. O lançamento oficial deve acontecer em breve junto com a chegada da versão aventureira Trail, a aventureira que chega para concorrer com Volkswagen CrossFox, Renault Sandero StepWay, Chevrolet Onix Activ, entre outros. A Ford ainda deve reforçar os modernos e econômicos motores, os itens de série de conectividade, alto nível de equipaentos de segurança e satisfação entre os clientes. O Ford Ka 2018 agora terá tapete de borracha de série, mas isso vem acompanhado de um aumento de preços. Confira abaixo os preços da linha 2018.


Tabela de Preços

  • Ford Ka 1.0 SE – R$ 43.760
  • Ford Ka 1.0 SE Plus – R$ 46.390
  • Ford Ka 1.0 SEL – R$ 50.590
  • Ford Ka 1.5 SE – R$ 48.090
  • Ford Ka 1.5 SE Plus – R$ 50.490
  • Ford Ka 1.5 SEL – R$ 54.690
  • Ford Ka+ 1.0 SE – R$ 46.790
  • Ford Ka+ 1.0 SE Plus – R$ 49.590
  • Ford Ka+ 1.0 SEL – R$ 53.590
  • Ford Ka+ 1.5 SE – R$ 51.290
  • Ford Ka+ 1.5 SE Plus – R$ 53.790
  • Ford Ka+ 1.5 SEL – R$ 57.890
  • Ford Ka+ 1.5 SEL Plus – R$ 60.690

Reestilizado, Mercedes-Benz Classe A completa um ano de mercado brasileiro e espera quarta geração


A Mercedes-Benz apresentou há um ano o face-lift do Classe A reestilizado no mercado brasileiro. Veículo de entrada da Mercedes, o Classe A ganha mudanças sutis, um pequeno face-lift para deixá-lo moderno até a chegada de uma nova geração. O Classe A ainda ganha mudanças no interior, novo motor diesel e revitalização do motor 2.0 Turbo do 45 AMG. No design externo, a novidade fica por conta da nova grade dianteira, novo para-choque dianteiro (nova entrada de ar) e traseiro, faróis e lanternas com novo layout e com LEDs, LEDs diurnos nos faróis, nova saída do escape e novas rodas de liga leve. No interior, destaque para o novo quadro de instrumentos, novos materiais usados no acabamento, bancos com novo formato e uma nova geração da central multimídia, agora de 8" polegadas touch screen, que traz conectividade com Apple CarPlay e Mirror Link. O Classe A continua sendo oferecido com três motorizações. A primeiras delas é o 1.6 Turbo da versão 200, que desenvolve 156cv de potência e torque de 25,5kgfm, acoplado a um câmbio automático de 7 velocidades com dupla embreagem e opção de trocas as marchas manualmente. A versão 250 conta com motor 2.0 Turbo que rende 211cv de potência, com torque de 35,69kgfm de torque, aliado a um câmbio automático de dupla embreagem de 7 marchas. Esse motor é responsável por levar o Classe A de 0 à 100km/h em apenas 6,6 segundos, chegando aos 240km/h. A topo de linha é a poderosa 45 AMG que possui o motor 2.0 Turbo que rende 381cv e um belo torque de 48,3kgfm é a principal atração do modelo, que está 21cv mais potente e 3,3kgfm mais forte. Além disso, com esse motor leva o modelo de 0 à 100km/h em apenas 4,2 segundos (0,4 segundo mais rápido), mostrando ser um legítimo foguete de bolso, apesar do preço não colaborar muito. Falando neles, o hatch começa em R$136.900 e chega a R$292.900. Atualmente é o vice-líder do segmento, atrás apenas do BMW Série 1.

segunda-feira, janeiro 30, 2017

Nova geração do Seat Ibiza é antecipado por teaser e seu lançamento deve ocorrer amanhã


Com o lançamento marcado para amanhã na Europa, a nova geração do Seat Ibiza foi antecipada para um teaser. O design do modelo ainda é uma incógnita, mas sabe-se que ele deve antecipar novidades para as novas gerações de Volkswagen Polo, Skoda Fabia e Volkswagen Gol. O hatch espanhol deve ser o primeiro compacto a vir com plataforma MQB-A0 e deve ser o primo distante do nosso novo Volkswagen Gol. A nova geração promete ser mais espaçosa e trazer materiais de melhor qualidade no interior, sem contar a redução de peso pela plataforma MQB. O design ainda é uma incógnita, mas espera-se que ele tenha inspiração no irmão maior Leon, com linhas mais retas que o modelo atual, além da característica grade frontal e faróis redesenhados. Em breve, este novo Ibiza também dará origem a um crossover compacto. Posicionado abaixo do Ateca, o pequeno utilitário enfrentará rivais como o Nissan Juke e Peugeot 2008. Lançado em 1984, o Ibiza é um dos automóveis mais antigos ainda em produção pela Seat e já vendeu mais de 5,4 milhões de unidades. A chegada da nova geração pode marcar uma nova fase para a Seat e as vendas do hatch começam ainda no primeiro trimestre na Europa.


Vídeo-Teaser

Especial Lançamentos 2017 #29: o que esperar da Renault para o Brasil neste ano?


A Renault parece determinada para crescer no nosso mercado. Querendo atingir 10% de mercado até o final desta década, a marca pode ter um ano de 2017 bastante agitado. Pelo menos, três modelos inéditos chegam ao mercado, além da nova geração de um velho utilitário e o face-lift da linha de compactos. Fora os modelos que podem ser lançados ou em 2017 ou podem ficar para o ano que vem, como é o caso de Alaskan, Megane e Kadjar. KWID: Lançamento mais esperado da Renault em 2017 é o popular Kwid. Concorrente de Volkswagen up! e Fiat Mobi, ele substitui o Clio e chega com design, itens de série e mecânica atualizada para se tornar líder deste segmento. Com lançamento ainda para o primeiro semestre, ele deve ser produzido na fábrica de São José dos Pinhais (PR). Segundo a Renault, em relação ao modelo indiano, o nosso Kwid se difere por mudanças na estrutura geral do modelo, maior refinamento na cabine e a primazia de oferecer airbags laterais como itens de série desde a versão de entrada. Com isso, a marca espera melhorar os baixos índices de proteção aos passageiros alcançados pelo Kwid “original” no exterior. No visual, as principais mudanças estão relacionadas ao desenho das rodas, que mantém os três furos”, e dos retrovisores, herdados do Sandero. Já o Outsider Concept traz algumas novidades como apliques em verde e interior com detalhes em laranja, mas já adianta o acabamento interno em plástico rígido, bancos no mesmo formato de Mobi e up! e pouco espaço interno, como seus futuros concorrentes. No conceito, ele traz a mesma central multimídia de Sandero e Logan, com tela de 7″ sensível ao toque, algo que deverá ser oferecido pelo menos nas versões mais caras. Com peso na faixa dos 800kg, o consumo deve ser o principal argumento de vendas do Kwid. Segundo a revista Auto Esporte, o hatch ainda deve contar com menos potência que os 82/79cv e 10,5/10,2kgfm de Sandero e Logan.


Ele deve ter uma versão dotada de comando de válvulas mais simples e alguns cavalinhos a menos de potência. Como o Kwid é mais leve, o 1.0 12 válvulas não precisa de variação dupla no comando de válvulas. Ainda não temos os números oficiais. Justamente por ser mais leve, o Kwid deve contar com cerca de 76cv e torque de 9,9kgfm (estimados), o que ainda assim deve ser satisfatório para sua proposta. CAPTUR: Já o Captur, outro modelo interessante da marca, deve ser lançado no mês que vem. Posicionado acima do Duster, o Captur foi uma das estrelas da marca para o Salão do Automóvel de São Paulo, fazendo a Renault voltar a ter automóveis oriundos da marca francesa e não mais da Dacia. Porém, diferente do modelo europeu, o nosso deve usar a mesma plataforma B0, a mesma do Duster. O lançamento oficial deve acontecer em Fevereiro de 2017, quando as primeiras unidades deverão ser entregues. Na pré-venda será preciso dar um sinal de R$3.000 no prazo de dois dias úteis na rede Renault. O Novo Renault Captur vem com LEDs diurnos, rodas de liga leve aro 17 polegadas, ar-condicionado automático, multimídia com navegador GPS, quatro airbags de série, controles de tração e estabilidade, piloto automático, assistente de partida em rampa, chave cartão, retrovisores com rebatimento elétrico, entre outros. A marca francesa ainda informou que o nosso Captur deve ser vendido em duas versões e motorizações: a Zen com motor 1.6 16v Flex que desenvolve 120/118cv de potência acoplado ao câmbio manual de 6 marchas ou automático CVT e a versão Intense com o conhecido conjunto motriz 2.0 16v Flex que desenvolve 148/145cv de potência e torque de 20,9/20,3kgfm, acoplado ao antiquado câmbio automático de 4 velocidades. Para colaborar com o consumo, traz direção elétrica e alternador pilotado, que aproveita desacelerações para recarregar a bateria.


Na parte de estilo, investe no uso de duas cores, uma para carroceria e outra para o teto, personalizáveis. Antes cogitada, a suspensão multilink não deve ser oferecida para o utilitário esportivo, que deve ter eixo de torção assim como o Duster. O Captur conta com 4,33 metros de comprimento (21cm a mais que o Captur europeu), 1,81m de largura (4cm a mais), 1,61m de altura (5cm extras) e 2,67 metros de distância entre os eixos (cerca de 7cm a mais). Além disso, o porta-malas também cresceu (387 litros, 10 litros a mais) e o vão livre em relação ao solo saltou para 204mm. Com os bancos traseiros rebatidos, o espaço traseiro salta para 1.200 litros. KOLEOS: Também apresentado no Salão de SP, o Koleos deve ser lançado ainda no primeiro semestre, entre os meses de Abril a Maio. O Koleos deverá ser até o momento, o Renault mais caro a venda no país, concorrendo com Hyundai SantaFé, Kia Sorento, Volvo XC60, Land Rover Discovery Sport, entre outros. Ao todo o novo Koleos mede 4,67 metros de comprimento, 1,84 m de largura e 2,71 metros de distância entre os eixos. A Renault garante que o modelo será um dos líderes em oferta de espaço no segmento, especialmente no banco traseiro. O design é típico dos últimos Renault e traz uma enorme grade na dianteira, com o logotipo losango da marca em evidencia na parte central e filetes cromados horizontais, formando conjunto com os faróis, estes com um prolongamento em formato de bumerangue. Há ainda vincos marcantes no capô e nas laterais e rodas diamantadas. A plataforma será a conhecida Common Module Family (CMF). Como dito, aqui ele deve ser oferecido com motor 2.5 16v a gasolina que desenvolve 175cv de potência com torque de 23,8kgfm, acoplado a um câmbio automático CVT. No país os preços do Koleos devem ficar entre R$150.000 a R$170.000.


SANDERO E LOGAN: Já os compactos Sandero e Logan ainda não tiveram um modelo para seguir o face-lift, mas as chances recaem para o modelo do leste europeu (apresentado com o Logan na unidade branca). Com Brasil e Rússia querendo fazer os compactos da Dacia ganharem autonomia nestes mercados com mudanças próprias. As fotos, reveladas pelo site Automagg, mostram o Logan/Symbol com localização da placa na traseira, que sai do para-choque para a tampa do porta-malas, acompanhada de um friso fino e cromado. As lanternas ganham novo desenho no contato com a tampa do porta-malas ficando mais retilíneias, além de um novo layout. O para-choque traseiro ainda conta com refletores e um aplique preto. Na dianteira, o Logan russo segue quase o mesmo design do modelo romeno ao trazer novos faróis com novo layout e LEDs diurnos integrados, assim como nova grade dianteira, novo para-choque dianteiro, novos faróis de neblina redondos (ao invés dos quadrados dos modelos da Dacia) e novas rodas são o destaque da lateral. No interior ele ganha o mesmo interior do modelo da Dacia, com volante com 4 raios e detalhes cromados nas saídas de ar e puxadores de porta e itens, como descanso de braço central e vidros com sistema de um toque. O novo design do console central incorpora um suporte para garrafa na parte traseira. Também nova é uma tomada de 12 volts que permite aos passageiros traseiros para carregar dispositivos móveis. A mecânica, bastante nova, deve ser a mesma dos modelos atuais: 1.0 12v SCe e 1.6 16v SCe Flex. KANGOO: Esperada desde meados de 2015, o Dokker deve chegar a América do Sul nos próximos anos. Seu lançamento é esperado entre o final de 2017 e o início de 2018, marcando uma reestruturação dentro da Renault. O investimento de US$800 milhões na fábrica da Argentina, em Santa Isabel, região de Córdoba deve servir para três projetos. O montante de dinheiro foi destinado primeiramente a produção de Logan, Sandero e Sandero StepWay na Argentina, que deve desafogar a produção paranaense.


Isso custou US$100 milhões para a Renault. Já a produção das picapes Renault-Nissan-Mercedes-Benz custou US$600 milhões. Para fechar todo o investimento, o restante deve ser investido no substituto do Kangoo. A nova geração do comercial leve deve ser um Dacia Dokker com novo logo e nome. Como usa a mesma plataforma B0 de Sandero e Logan, isso reduz os custos de produção local e o investimento de US$100 milhões deve ser para maquinário e outras partes da produção. No Brasil, a nova Kangoo deve ser equipada já com o novo motor 1.6 16v Flex que entrega 118/116cv de potência com câmbio manual de 5 marchas. A nova Kangoo deve mirar especialmente na Fiat Fiorino e a meta da Renault é avançar sobre a rival italiana assim como a Master fez com a Ducato. Os preços devem ficar no mesmo patamar do Kangoo atual, mas com a vantagem de oferecer maior tecnologia, espaço interno, maior quantidade de carga graças ao ganhos em largura e altura. ALASKAN: A Renault pode antecipar o lançamento da picape Alaskan para o Brasil no segundo semestre de 2017. A picape média baseada na Nissan Frontier pode ser lançada em meados de Outubro de 2017 segundo a revista Auto Esporte. Ainda não se sabe de onde a picape seria importada, mas há chances dela vir da Espanha, primeiramente nas versões topo de linha e logo em seguida, em 2018, passar a vir da Argentina com as versões mais simples, algo que a Nissan também deve fazer com a nova geração da Frontier. Vindo primeiramente nas versões topo de linha, ela deve ser vendida com motor motor 2.3 dCi que desenvolve 190cv de potência e torque de 45,9kgfm, acoplado ao câmbio automático de 7 velocidades em conjunto com tração integral, enquanto a suspensão traseira traz eixo rígido com sistema multilink. Em 2018 seria a vez da chegada das versões de entrada com o mesmo motor, mas entregando 160cv. O modelo tem capacidade para 1,1 tonelada e pode rebocar 3,5 toneladas. A suspensão traseira tem cinco braços com eixo rígido e molas helicoidais na versão com cabine dupla.


A picape ostenta um design próprio na dianteira, mas a lateral e a traseira não negam os parentescos com a Frontier. Destaque para os faróis com LEDs diurnos e no interior, painel com tela LCD de 5" além do sistema multimídia com tela de 7" e GPS. Ainda sem detalhes revelados sobre versões, terá no pacote itens como bancos em couro e ajustes elétricos, assistentes de partida em rampa e de descida, alem de câmera 360º. Caso ela for lançada no Brasil em 2017, espere por preços na faixa dos R$160.000 a R$180.000. MEGANE E KADJAR: A Renault ainda pode importar ou produzir o Megane na Argentina. A marca está disposta a "torrar" sua cota mensal de 1.000 unidades, mas como ainda não conta com nenhum importado a venda no nosso mercado, ela pode trazer um leque de automóveis para o Brasil. Até o momento, apenas a segunda geração do Koleos foi "confirmada" a ser vendida no Brasil no ano de 2017, concorrendo com Hyundai SantaFé e Kia Sorento. Porém o SUV, pelo seu preço estimado (entre R$150.000 a R$180.000) deverão vender cerca de 150 a 250 unidades mensais. Ou seja, a Renault ainda teria cerca de 750 a 850 unidades mensais para trazer ao Brasil sem pagar IPI. Para cobrir essa fatia restante, a Renault pensa em importar outros dois automóveis para o Brasil até o fim de 2017: a nova geração do Megane e o Kadjar. O hatch médio poderia aproveitar o momento "ruim" que vive o segmento e poderia ganhar destaque. O hatch chegaria ao mercado em duas ou três versões, com duas motorizações distintas. A primeira seria a versão de acesso, que poderia ser vendida com o motor 1.2 TCe que entrega 130cv, com câmbio manual ou automático além de uma opção com o motor 1.6 TCe que poderia desenvolver cerca de 160cv de potência (deveria ter trabalho para diminuir a potência de 205cv para cerca de 160cv, mas que cairia como uma luva no nosso mercado) com Gasolina, com opção de câmbio manual de 6 marchas ou um automático de dupla embreagem e 7 velocidades EDC7  e a versão GT, que desenvolve 205cv de potência com torque de 26kgfm e com câmbio automático de dupla embreagem. Os preços ficariam na casa dos R$85.000 aos R$115.000, enquanto o Kadjar chegaria ao mercado com motor 1.6 TCe que entrega 200cv de potência, com as mesmas opções de câmbio do Megane e opção de tração 4x2, 4x4 ou 4x4 com reduzida com preços que iriam variar entre R$120.000 a R$145.000. Porém em ambos os casos a Renault está repensando sobre a vinda ao nosso mercado, apesar de ambos serem produtos interessantes.


Antes de começar a ser produzido em Sumaré, Honda WR-V começa a ser produzido na Índia


Parece que o Brasil não deve ser o primeiro país a começar a produzir o Honda WR-V. Apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2016, o WR-V começou a ser produzido na Índia e deve ser lançado em Março. Segundo um leitor do site Team BHP flagrou o modelo em uma cerimônia na fábrica da Honda em Tapukara, Rajasthan. Desenvolvido pelo time de Pesquisa e Desenvolvimento da Honda Automóveis no Brasil, o WR-V é apresentado pela Honda como “um mini-crossover” baseado no Fit que se difere pela dianteira alta e mais robusta e faróis com luzes de uso diurno (DLR) em LED, enquanto a traseira traz um  desenho mais horizontal na traseira, com lanternas que invadem a tampa do porta-malas. Além do Brasil, o WR-V deve ser vendido na maioria dos países da América do Sul. Ele deve ter preços entre R$70.000 a R$80.000 e como mostra seu design, ele teve certa inspiração na nova geração do Civic, graças a nova grade dianteira com faróis interligados e a grande grade frontal com estilo aventureiro. As portas são as mesmas do Fit, tanto que o vinco é o mesmo. Além da nova grade e faróis, o Honda WR-V vai se diferencia do seu modelo de base pelos para-choques com formato mais robusto, molduras plásticas nas caixas de roda, estribos laterais, rodas exclusivas, rack de teto, lanternas escurecidas e suspensão elevada. O interior é o mesmo do Fit. Na Índia, ele deve ser vendido com motores 1.2 i-VTEC a gasolina e o 1.5 i-DTEC Turbo Diesel, com câmbio manual de 5 marchas ou automático CVT. Com motor diesel, o câmbio será automático de 6 velocidades.


Fotos: GaadiWaadi

Ford Everest é registrado em imagens em patente do INPI e utilitário pode vir para o nosso mercado


Lançado em 2015, a Ford Everest era cogitada para ser lançada no Brasil em 2016 para concorrer com Chevrolet TrailBlazer e Toyota SW4. Porém, na época a marca confirmou que a escolha certa seria o Edge, na época ainda na primeira geração. Com a chegada da segunda geração, o utilitário Edge viu seus preços subirem para ficar acima dos R$230.000 e abriu um buraco entre o EcoSport e o Edge ainda maior. Com Escape podendo vir ao Brasil na nova geração, ainda assim teria um espaço em branco, que pode ser preenchido pela Everest. Tudo isso depois que o SUV foi registrado em patente no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), podendo dar ao entender que a Ford mudou de ideia (ou não). Com certa facilidade do SUV ser produzido na Argentina junto a picape Ranger (de qual deriva), o modelo poderia ser vendido com motores 2.0 EcoBoost e 3.2 Turbo Diesel. Baseado na picape Ranger, o SUV conta com visual "premium" desde a versão mais simples até a topo de linha. Traz como destaque visual, as luzes diurnas de LED, proteção inferior, frontal e traseira, em alumínio e uma grande grade dianteira hexagonal cromada. Segundo a Ford, o Everest possui distância em relação ao solo de 22,5cm, podendo passar em terrenos alagados em até 800mm, com ângulo de entrada de 29º e de saída de 25º. Podendo levar até 7 ocupantes, o Everest pode levar 2.010 litros no porta-malas com as duas últimas fileiras rebatidas. Entre os itens de série ele conta com o sistema multimídia SYNC II com tela touchscreen de 8" polegadas, duas portas USB, tomada de 240V para a segunda fileira de bancos, tomadas de 12V na frente, na segunda fila e no porta-malas, além de controle de curva em subidas e descidas, aviso de saída de faixa, auxílio de permanência na faixa, sistema de ponto cego com alerta de tráfego, Adaptive Cruise Control, Roll Stability Control e ESP. Na mecânica, o Everest poderia ser vendido com motores 2.0 EcoBoost que desenvolve 240cv de potência e o 3.2 Turbo Diesel de 200cv, ambos com câmbio automático de 6 velocidades e com opção de tração 4x4. Preços ficariam entre R$150.000 a R$200.000.


As imagens de patente...


Fonte: CARRO