sexta-feira, março 31, 2017

Toyota apresenta Hilux Tonka Concept, feita em parceria com empresa que produz brinquedos


A Toyota está apresentando um conceito da picape Hilux feito em parceria com a Tonka, que produz brinquedos. Apresentada na Austrália, a Hilux Tonka Concept faz uma homenagem tanto a fabricantes de triciclos e carrinhos de brinquedo que comemora seus 70 anos enquanto a Toyota comemora seus 80 anos. Sem chances de produção em série, traz suspensão 15 cm mais alta que a da picape de produção. Os engenheiros conseguiram esse aumento por meio de mudanças na suspensão, de pneus de 35" em rodas de aro 17" e de suspensão customizada com uso de um kit especial. O motor é o mesmo turbodiesel 2.8 que equipa o modelo brasileiro, com 177cv e 42,8kgfm. Há ainda luzes de LED no para-choque dianteiro e no teto, um peito de aço (na verdade, de alumínio) de 6 mm, snorkel, estribos, guincho e extensores de para-lamas. O capô e a tampa da caçamba são de fibra de carbono. Mas a cereja do bolo é a pintura amarela e preta com a marca Tonka, que hoje pertence à Hasbro. "Inspirada pelos carrinhos e picapes Tonka com que as crianças brincam nos quintais, a Hilux Tonka Concept vai além das grandes habilidades que a Hilux apresenta para atravessar terrenos com pedras e outros obstáculos complicados", disse o chefe de design de produto da Toyota, Nicolas Hogio.



Fiat lança Mobi GSR no Brasil por R$44.780, o automatizado mais barato do nosso mercado


Com lançamento anunciado no Salão do Automóvel de São Paulo, a Fiat está apresentando o Mobi com opção de câmbio automatizado Dualogic Plus, que chega ao nosso mercado como o automatizado mais em conta do país. Usando o mesmo câmbio GSR do Uno, com botões, o Mobi chega com a opção de câmbio apenas na versão Drive. Essa versão usa motor 1.0 6v FireFly Flex que desenvolve 77/72cv de potência com torque de 10,9/10,4kgfm. A transmissão GSR (de Gear Smart Ride) segue o padrão da usada no Uno Dualogic, com comandos do câmbio por botões no console, no lugar da tradicional alavanca. Segundo a Fiat, o câmbio é o GSR-Comfort, uma versão evoluída do Dualogic Plus usada nos outros carros da marca, que segundo a empresa “unifica a conveniência de um câmbio automatizado à eficiência e desempenho do motor Firefly 1.0, elevando ainda mais a economia de combustível, principalmente, em situações de tráfego intenso nas grandes cidades”. Com cinco velocidades, o câmbio conta com a função Sport, que aciona um modo de condução mais esportivo. Há também paddle shifts atrás do volante, que permitem ao motorista fazer a troca manual de marcha, mesmo quando o câmbio estiver na posição automática. O câmbio dispõe ainda da função Creeping, que facilita os arranques e manobras, inclusive em rampas de até 8% de inclinação. Com ele, basta tirar o pé do freio que o carro se movimenta, a exemplo de um automático convencional. Há ainda o Auto-up Shift Abort, um sistema que identifica uma rápida retomada de velocidade e aborta a troca para uma marcha superior, mantendo acelerações mais vigorosas, inclusive em ultrapassagens, com o motor em rotação mais elevada.


Preços

  • Fiat Mobi Easy 1.0 8v Fire Flex - R$33.700
  • Fiat Mobi Like 1.0 8v Fire Flex - R$39.190
  • Fiat Mobi Way 1.0 8v Fire Flex - R$40.650
  • Fiat Mobi Drive 1.0 6v FireFly Flex - R$40.650
  • Fiat Mobi Drive 1.0 6v FireFly Flex Dualogic Plus - R$44.780



quinta-feira, março 30, 2017

Volkswagen Voyage chega a marca de 1,5 milhão de unidades produzidas desde 1981 no Brasil


Lançado em 1981 no Brasil, o Volkswagen Voyage está chegando a marca de 1,5 milhão de unidades produzidas no país. Lançado há 36 anos, o sedã do Gol celebrou o feito histórico na fábrica de Taubaté (SP), na versão Highline pintada na cor Azul Lagoon. Um membros mais importantes da família Gol e da Volkswagen, o sedã foi desenvolvido para o Brasil, produzindo 465.176 unidades até 1996, quando foi substituído pelo "mico" Polo Classic. Ausente por 12 anos, o sedã voltou em 2008 junto com a terceira geração do hatch. O modelo é também um dos mais exportados da história da VW no país, tendo mais de 420 mil unidades enviadas para 61 países, incluindo nações das Américas do Sul, Central e África. Entre as décadas de 1980 e 1990 também fez relativo sucesso nos Estados Unidos, sendo vendido como Volkswagen Fox. O sedã é vendido com motores 1.0 12v MPI Flex, 1.6 8v e 1.6 16v Flex, acoplado ao câmbio manual de 5 ou 6 marchas e ao automatizado de dupla embreagem. Os preços começa em R$45.350 na versão Trendline e vão a R$63.760 na Highline. Em 2016 foram 26.074 unidades vendidas.


Nova geração do Mitsubishi Pajero Dakar estreia no segundo semestre deste ano, com motor 2.4 Diesel


 A Mitsubishi deve apresentar novidades para o mercado brasileiro em breve. Trata-se da nova geração do Pajero Dakar, que será lançada no segundo semestre deste ano. Lançado em 2015 na Tailândia, a terceira geração virá ao nosso mercado, primeiramente importado. Com opção de 5 ou 7 lugares, a nova geração está mais sofisticada, atraente e segura. Com profundas mudanças, a nova geração da Pajero Sport tem dianteira com gradeem forma de "X", assim como o novo Outlander, envolvida por barras cromadas, que chamam a atenção. Os novos faróis trazem LEDs, assim como as lanternas. A nova geração ainda conta com características da antiga encarnação do SUV, como para-lamas mais volumosos , com para-choques robustos e as vigias traseiras que sobem de forma abrupta, que dão um toque de fluidez ao Pajero Sport. Na traseira, as lanternas podem causar certa estranheza, dando a impressão que "derreteram", mas o conjunto de uma forma não é todo feio. O prolongamento da lanterna, ao que muito pensam, não é um aplique, pois contam com luzes de LEDs. No interior, a Mitsubishi caprichou e deixou o habitáculo bem mais moderno, com traços que lembram o Outlander. Destacam-se os apliques prateados nos puxadores das portas, painel e console central. O volante está mais moderno, que mesmo com aspecto simples é bonito. O quadro de instrumentos segue a mesma receita. O motor do Mitsubishi Pajero Sport é um 2.4 MIVEC Clean Diesel de 181cv e 43,7kgfm. A transmissão automática de 8 velocidades. Além do diesel, a Mitsubishi pode oferecer o motor 3.5 V6 possa deixar de ser oferecido, podendo ganhar uma adaptação do 3.0 V6 do Outlander, que atualmente desenvolve 240cv e torque de 31kgfm, em favor da economia de combustível, que pode se tornar Flex.



Hyundai lança promoção para o ix35 nesse final de semana para concorrer do o líder Jeep Compass


A Hyundai está anunciando uma promoção para o seu utilitário esportivo ix35. Ainda de geração anterior, o ix35 nada mais é que a segunda geração do Tucson. Conforme adianta o grupo, até o final desta semana o crossover produzido em Anápolis (GO) pode ser adquirido com entrada de 60% e financiamento com taxa zero em 18 parcelas. A ação é válida para a versão de entrada, que tem preço sugerido de R$99.990. O ix35 mantém o motor 2.0 16v Flex, mas esse perde potência. Antes ele desenvolvia 178/169cv de potência com torque de 21,5/20kgfm de força, com o mesmo câmbio automático de 6 velocidades. Com a nova regra de emissões, a Hyundai teve de diminuir a potência do SUV. Agora ele desenvolve 168cv de potência com Etanol e 157cv de potência com Gasolina. O torque também diminuiu. Passou de 21,5kgfm com Etanol para 20,6kgfm, enquanto abastecido com Gasolina diminuiu de 20 para 19,2kgfm, associado ao câmbio automático de 6 velocidades. A Hyundai passa a oferecer o "New ix35" em três versões contra a versão única comercializada até então. Desde a versão de acesso, ele conta com farol com projeto e fita de LED, ar-condicionado, rádio CD/AUX/MP3/USB/Bluetooth com comandos integrados no volante, sensor de estacionamento traseiro, bancos parcialmente em couro, roda com aro de 18" polegadas, ar condicionado, chave canivete, acendimento automático dos faróis, rebatimento elétrico dos retrovisores e setas em LEDs integradas nos retrovisores.


Nissan apresenta GT-R Track Edition para o Salão do Automóvel de Nova York, previsto para Abril


A Nissan deve apresentar no Salão do Automóvel de Nova York, o GT-R Track Edition é uma série especial do Godzilla. O Track Edition deve ficar acima do Premium e do Nismo, se diferenciando por uma série de aprimoramentos no conjunto mecânico, além de novos detalhes no acabamento interno. O Track Edition apresenta alguns detalhes do Nismo, a fim de entregar aprimoramentos mecânicos além de novos detalhes do acabamento interno. O motor é o conhecido V6 biturbo que desenvolve 570cv de potência com fitas adesivas industriais, ao invés dos pontos de solda convencionais, que segundo a fabricante melhoram significativamente a rigidez torcional do automóvel. Há ainda suspensão com materiais mais leves e calibrada pela Nismo, rodas forjadas de 20 polegadas, spoiler traseiro de fibra de carbono e sistema de escape de titânio de série. O visual é praticamente o mesmo da variante de entrada, enquanto o interior recebeu acabamento em dois tons (vermelho e preto) e bancos Recaro reforçados. O preço é de US$127.990 e será vendido apenas sob encomenda nos EUA.



Skoda se prepara para ter seu SUV Coupé no Salão do Automóvel de Xangai, como conceito


Pronto para fazer sua estreia no Salão do Automóvel de Xangai, na China em Abril, o Skoda Vision E Concept deve antecipar um novo conceito que deve trazer um utilitário esportivo coupé nos próximos anos. Ele tomará a forma de um SUV cupê de cinco portas com design bem agressivo - embora só tenhamos esboços do projeto e todos sabemos que estes costumam ser mais atraentes do que a coisa real. No design, destaque para os balanços dianteiro/traseiro bem curtos, as típicas rodas grandes que você encontra na maioria dos conceitos recentes e a falta de uma coluna B convencional. Graças à boa distância entreeixos de 2,85 metros, o Vision E tem como objetivo fornecer um interior espaçoso, como se espera de um Skoda. O design deve ser uma amostra do Kodiaq Coupé, já foi confirmado para estrear em 2019, ao menos na China. No coração do showcar, o SUV será totalmente elétrico de 300cv, proporcionando ao SUV Coupé a uma velocidade máxima de 180km/h. A Skoda não falou sobre a aceleração de 0 a 100 km/h, mas menciona que o conceito “acelera instantaneamente e dinamicamente”. Ela detalha ainda que o veículo possui configuração de tração integral e vem com uma bateria de íon-lítio que garante autonomia suficiente para 500km. Um modelo de produção que chegará antes do primeiro 100% elétrico da Skoda será o carro-chefe Superb, que está destinado a receber um trem de força plug-in híbrido em 2019. Um ano depois, um 100% elétrico será feito sobre a nova plataforma MEB do Grupo Volkswagen.



BMW deve apresentar elétricos e híbridos plug-in no Salão do Automóvel de Nova York, em Abril


A BMW deve ir ao Salão do Automóvel de Nova York, que acontece de 14 a 23 de Abril, a apresentação de sua nova linha de carros híbridos plug-in. Haverá novos modelos da família BMW iPerformance. Isso inclui o Série 5 530e iPerformance, o Série 7 740e xDrive iPerformance, o Série 3 330e iPerformance e X5 xDrive40e iPerformance, além dos recentes Série 5 M550i xDrive e Série 7 M760i xDrive. O novo 530e Performance é dotado de um motor a gasolina de quatro cilindros e outro elétrico eDrive, capaz de desenvolve 248cv e 42,8kgfm. Segundo a marca, o modelo vai de 0 a 100km/h em 6,1 segundos e consegue entregar autonomia de 24km no modo elétrico. Entre os equipamentos, há controle por gestos, head-up display, visão 3D, estacionamento por controle remoto e sistema de assistência ao motorista. Por sua vez, o 740e xDrive iPerformance terá um 2.0 TwinPower Turbo de quatro cilindros a gasolina e outro elétrico, que rendem 322cv, associados ao câmbio automático de 8 velocidades. A BMW diz que o sedã topo de linha tem autonomia de 22km e atinge máxima de 140km/h no modo elétrico. O 330e iPerformance tem um 2.0 TwinPower Turbo e outro elétrico, com 248cv e 42,8kgfm, que leva o sedã de 0 a 100km/h em 5,9 segundos e faz atingir velocidade máxima de 225km/h. No modo elétrico, o carro percorre até 22km e atinge máxima de 120km/h. Por fim, o X5 xDrive40e iPerformance conta com um 2.0 TwinPower Turbo e outro elétrico, com bateria de íon de lítio, câmbio de oito velocidades e tração nas quatro rodas xDrive. O modelo rende 308cv e 42,9kgfm, suficiente para faze-lo ir de 0 a 100km/h em 6,5 segundos. No modo elétrico, há autonomia é de 22km.


Tesla confirma que Model 3 não terá cockpit e sim apenas um head-up display com informações essenciais


A Tesla não ser apenas vista como uma marca padrão entre as elétricas. A marca de Elon Musk veio para quebrar fronteiras e deve lançar o seu modelo mais em conta, o Model 3 em breve. O sedã teve suas formas definitivas reveladas pouco antes do seu lançamento. O destaque deve ficar para o painel, que não deve trazer um cockpit, mas sim uma grande tela no meio do painel, que também cumprirá a missão de central multimídia. No lugar tradicional quadro de instrumentos, a aposta é que haverá um head-up display (HUD) com informações como a velocidade e indicações do GPS. Ao centro, uma grande tela sensível ao toque será responsável pelo controle da parte de multimídia, ar-condicionado e outros sistemas. A justificativa de Elon Musk é que, em um carro autônomo, não há necessidade de um painel tradicional, levando à conclusão de que o modelo terá os sistemas já presentes no Model S e Model X. Ele ainda terá o seu lançamento adiantado. Depois de fazer os consumidores esperarem mais de um ano para o seu lançamento, o modelo deve ser apresentado ainda em 2017 nos EUA. Segundo Elon Musk, CEO da marca, confirmou que deve pular a última fase de testes com os protótipos e colocará diretamente nas mãos dos funcionários da marca já nas próximas semanas, como forma de um lançamento antecipado. Segundo um investidor da marca teria afirmado que a produção do sedã mais barato da Tesla terá volumes menores que os dos modelos mais antigos por causa de um "evento de força maior", sem especificar do que se trata. Com a produção em massa em Julho, seu lançamento seria na metade do segundo semestre de 2017.


Novo Land Rover Discovery deve ganhar versão aventureira SVX em breve, com maior aptidão offroad


A nova geração do Land Rover Discovery, que chegou recentemente ao Brasil, deve ganhar uma nova versão no exterior. Trata-se da versão SVX, focada em off-road. A chegada da nova versão é esperada para os próximos meses e tem chances de estrear nos próximos grandes eventos mundiais: Salão de Xangai, Nova York e Frankfurt. A nova opção está sendo desenvolvida pela SVO, divisão de esportivos e offroad da JLR, cujo chefe é John Edwards, que confirmou que a nova versão será algo entre "Paris Dakar e Camel Trophy", versões especiais antigas. Entre as novidades, espera-se que o Discovery ganhe suspensão ligeiramente mais alta e reajustada, pneus off-road, para-choques com proteções adicionais, estribos bem proeminentes, bagageiro no teto exclusivo, faróis auxiliares em LED, entre outros. Com maior capacidade off-road, o novo Discovery SVX deve usar o motor 3.0 V6 Turbo Diesel que desenvolve 258cv de potência e 61,2kgfm de torque, aliado ao câmbio automático de 8 velocidades e tração integral, com mais opções de modo de terreno.


Fonte: AutoExpress

Lamborghini diz que não tem prioridade para que o Urus seja o SUV mais rápido, mas aposta em vocação SUV


A Lamborghini deve apresentar o Urus no Salão do Automóvel de Xangai, na China, em Abril. Porém em recente entrevista, a marca ter o SUV mais rápido de Nürburgring, na Alemanha, não é uma das suas prioridades. Segundo o chefão da marca na região Ásia-Pacífico, Andrea Baldi, revelou que o utilitário esportivo realizará "uma gama mais ampla de tarefas" e que foi desenvolvido com base em um conceito diferente dos esportivos tradicionais da empresa. O executivo ainda confirmou que o Urus terá uma boa relação de altura em relação ao solo como todo bom SUV e tração 4x4 e vários modos de condução, que devem incluir areia, neve, lama e cascalho. Com estilo de "SUV-Coupé", o Urus deve manter boa parte do design antecipado em 2012, mas com algumas modificações. Ele foi flagrado rodando na Dinamarca e deve ser concorrente direto de Bentley Bentayga e Rolls-Royce Cullinan. Ele deve começar a ser produzido na fábrica de Sant'Ágata, na Itália, em meados de Abril. Segundo o executivo, as operações na planta italiana serão tocadas em regime de pré-série e os primeiros exemplares a sair da linha de montagem serão, portanto, protótipos. A ideia é avaliar a qualidade da montagem e adequar o ritmo da fábrica ao novo volume de produção programado. Com a chegada do Urus, a Lamborghini pretende dobrar o número de vendas das atuais 3.500 para 7.000 unidades anuais. Recentemente também foi descoberto que terá um Urus híbrido foi dada pela revista Autocar por Maurizio Reggiani, chefe de pesquisa e desenvolvimento, que adiantou também o motor 4.0 V8 como parte integrante do conjunto, junto a um elétrico, se tornando o primeiro híbrido da marca de superesportivos alemã.


Fonte: CarPix

Parceria entre JAC e Volkswagen é aceita pelo governo chinês, com foco no desenvolvimento de elétricos


O governo chinês autorizou a parceria de Volkswagen com a JAC para a produção de elétricos no país. O acordo prevê a fabricação de dois novos modelos, sendo que o primeiro deve ser um SUV. Após um anúncio da parceria entre as duas marcas, não se sabe quantos produtos surgiriam de um desenvolvimento em conjunto. A Volkswagen confirmou seis lançamentos de carros elétricos na China, utilizando as plataformas MQB, MLB e MEB. Além disso, a parceria de Volkswagen e JAC deve dar origem a plataforma BEV, ainda sem detalhes de quais automóveis devem usar tal plataforma - muito menos seu segmento. No caso da MQB, haverá um Tiguan L Plug-In Hybrid e o e-Golf. Já na MLB, os modelos Volkswagen Phideon e Audi A6L e-tron terão versões híbridas plug-in. Na MEB, um crossover Audi e-tron e o conceito ID hatch devem preencher a lacuna. É importante dizer ainda que outros modelos com bases MQB e MEB devem ser produzidos na China, mas ainda não foram definidos. Nesse caso, o número de lançamentos sobe de seis para 12. Eles podem envolver modelos VW exclusivos da China.


BMW investe no pós-venda do Brasil e da Alemanha com serviços de funilaria e pintura


Parece que a BMW também quer melhorar a sua imagem no nosso mercado ao investir mais em pós-venda. A marca confirmou a conclisão de mais uma etapa do programa de melhoramento do pós-venda, que vem desenvolvendo nas concessionárias do Brasil. Com R$5 milhões aplicados desde 2014, a ação prevê o enquadramento das revendas dentro do programa global de certificação e auditoria em funilaria e pintura, válido também para a BMW como para a MINI. Em parceria com a Dekra, a companhia auditou e certificou 3 grupos empresariais: Eurobike (Ribeirão Preto, interior de São Paulo), Grand Brasil e Osten (ambos na capital São Paulo). Outras 4 concessionárias já haviam sido certificadas em 2015: Autostar (São Paulo), Germânica (Sorocaba), Autokraft (Rio de Janeiro) e Euro Import (Curitiba). Com a iniciativa, a BMW pretende atrair clientes e alavancar os serviços da área de funilaria e pintura,  desenvolvendo padrões e treinamento para os profissionais. Segundo a "Bimmer", as revendas que foram auditadas melhoraram em 12% o faturamento em 7% a passagem de clientes e em 67% o aproveitamento de mercado. Para este ano, a meta é ampliar o programa de auditoria para toda a rede, com o objetivo de equiparar o serviço oferecido pelas revendas brasileiras ao entregue pela rede da marca na Alemanha. “A qualidade dos serviços no pós-vendas é fundamental para fortalecer o relacionamento com o consumidor premium, proporcionando uma experiência nova, cada vez mais conectada e digital, como por exemplo, aplicativos em que o cliente obtém informações sobre pós-vendas e compromissos online. No futuro, os clientes do BMW Group continuarão desfrutando dos serviços mais inteligentes, personalizados e únicos de acordo com sua conveniência, individualidade e uso”, enfatiza Niklas Wagner, vice-presidente sênior de Gestão de Negócios de Pós-Vendas do BMW Group.


quarta-feira, março 29, 2017

Ford apresenta Ka Trail por R$47.690 iniciais e hatch ganha novidades além do visual para encarar rivais


A Ford está lançando no mercado brasileiro mais uma versão do Ka. Trata-se da Trail, que volta ao hatch com roupagem levemente aventureira e com chegada bastante tardia (cerca de 3 anos de atraso). Baseado na versão SE, o Trail se destaca por trazer apliques nos para-choques dianteiro e traseiro, molduras aplicadas nas caixas de roda, rack no teto com acabamento em alumínio, rodas de liga leve aro 15" com pintura na cor grafite, lanternas traseiras com acabamento fumê, faróis dianteiros com máscara negra, acabamento exclusivo dos faróis de neblina (com o detalhe da versão Trail em relevo) e os adesivos espalhados nas laterais e tampa do porta-malas. No interior, destaque para a nova padronagem dos bancos que, além de receberem tratamento que repele sujeira (mas não são impermeáveis), trazem acabamento que mescla couro sintético com tecido, faixas e costuras aparentes nas cores laranja e mais dois tons de verde. Há também sobretapetes de borracha, soleiras com o logo da versão e pedais com acabamento em alumínio. As molas ficaram mais firmes, os amortecedores são maiores (e com curva específica para o modelo), a barra estabilizadora é maior e o eixo traseiro ficou mais rígido. Os pneus também são novos, de uso misto, Pirelli Scorpion ATR 185/65 R15 (50% estrada, 50% offroad), além da altura em relação ao solo aumentada em 31mm, com 20 centímetros em relação ao solo. A Ford também incluiu coxim hidráulico para o motor e aplicou melhorias no isolamento acústico, necessário para reduzir o nível de ruído causado pelos novos pneus. A versão Trail deve ser vendida com motor 1.0 12v Flex que desenvolve 85/80cv de potência com torque de 10,7/10,2kgfm e o 1.5 16v Flex que desenvolve 110/107cv de potência com 14,9/14,7kgfm, acoplado sempre ao câmbio manual de 5 marchas. O 1.0 tem um consumo na cidade de 8,8/12,5km/l (etanol/ gasolina) e na estrada de 9,9/14,3km/l (etanol/gasolina). O 1.5 faz 7,5/10,8km/l na cidade e 9,0/13,2km/l na estrada (também com etanol/gasolina). Com isso, o Ford Ka Trail 1.0 acelera de 0 a 100km/h em 15,1/15,3 segundos e tem velocidade máxima de 160/156km/h (com etanol/gasolina). A versão 1.5 vai de 0 a 100km/h em 10,7/10,8 segundos e atinge a máxima de 173/171km/h (também com etanol/gasolina). O modelo tem airbag duplo e freios ABS com EBD. O modelo chega nas cores vermelho Arpoador, preto Ebony e branco Ártico, e na metálica prata Dublin.


Preços

  • Ford Ka Trail 1.0 12v Flex - R$47.690
  • Ford Ka Trail 1.5 16v Flex - R$51.990



MINI lança a nova geração do Countryman, que chega ao nosso mercado maior e parte de R$144.950


A MINI está apresentando a sua principal novidade desse ano: a nova geração do Countryman. A segunda geração do utilitário esportivo compacto da marca chega com bala na cartela para concorrer com Audi Q3, BMW X1 e Mercedes-Benz GLA. Com lançamento quase que no mesmo tempo que o mundial, o MINI Countryman chega ao Brasil com duas opções de motor e em três versões de acabamento: Cooper, Cooper S e Cooper S ALL4. Baseado na plataforma UKL2 (mesma do BMW Série 2 Active Tourer), ele está 20cm mais comprido e 3 cm mais largo, o que bastou para aumentar seu porta-malas de ridículos 220 litros para 450 litros – que podem chegar aos 1309L com o banco traseiro rebatido. No design, destaque para uma geração mais esportiva, mas com um design um tanto carregado, enquanto a primeira geração detinha de um design bem mais limpo. O novo Countryman ganha fatóis e lanternas maiores, uma grade dianteira menor e uma entrada de ar inferior bem maior, além de grandes molduras dos faróis de neblina e vidros laterais que continuam se interligando em todos os lados, ficando mais fácil pintar a carroceria de uma cor e o teto de outra, como ocorre desde a primeira geração. Na traseira, destaque para as lanternas que lembram as do Cooper e o novo para-choque traseiro, que assim como o dianteiro conta com um aplique preto brilhante.


Nas dimensões, o novo Countryman possui 4,29 metros de comprimento, 2,67 metros de entre-eixos, 1,82 metro de largura e 1,55 metro de altura, além do porta-malas de 450 litros de capacidade. Em relação ao anterior, são 20 centímetros a mais no comprimento e 100 litros a mais no porta-malas. "Este não é só o maior Mini que já construímos, mas também o mais versátil e tecnologicamente avançado", revela Julian Mallea, diretor da MINI do Brasil. "O Countryman é de extrema importância para nós, por ser responsável pela venda de 25% da linha MINI", segundo Helder Boavida, CEO da BMW do Brasil. Na mecânica, o novo Countryman passa a oferecer o motor 1.5 12v TwinTurbo que desenvolve 136cv de potência e torque de 22,4kgfm, além do 2.0 16v Turbo que entrega 192cv de potência e 28,6kgfm de torque. O câmbio é sempre automático de 8 velocidades, mas apenas a versão topo de linha conta com tração integral 4ALL. Segundo a BMW, o novo MINI Countryman acelera de 0 a 100km/h em 7,4 e 7,2 respectivamente com motores 1.5 e 2.0, com velocidade máxima de 225km/h e 222km/h. A BMW ainda promove uma oferta especial: os 150 primeiros compradores do novo Countryman terão direito de usufruir do Mini Service Inclusive, programa que consiste em um plano único de manutenção dos três primeiros anos (ou 40.000km) com peças e mão-de-obra com preços especiais.


Countryman Cooper
De série com volante esportivo em couro e botões multifuncionais; bancos com ajuste elétrico e memória; sensor de estacionamento traseiro; ar-condicionado digital Dual Zone; rodas de 17 polegadas “Imprint Spoke” (pneus 225/55 R17); faróis full LED; rádio MINI Visual Boost com tela de 6,5 polegadas e bancos de couro sintético Leatherette.


Countryman Cooper S
Adiciona motor 2.0 Turbo, mais bancos em couro “Cross Punch”, rodas de 18 polegadas “Pair Spoke” (pneus 225/50 R18) e teto solar panorâmico.

Countryman Cooper S ALL4
Adiciona volante JCW com Paddle Shift; sistema de entretenimento com tela de 8,8 polegadas, HD de 20GB e a inédita função “touchscreen” (tela sensível ao toque); sistema de som Hi-Fi Harman/Kardon; rodas de 19 polegadas “Edged Spoke” (pneus 225/45 R19); head-up display; câmera de ré e suspensão adaptativa e tração nas quatro rodas, dotada de um sistema inteligente que calcula automaticamente a distribuição de força em cada roda.


Preços

  • MINI Countryman Cooper 1.5 12v Turbo AT8 - R$144.950
  • MINI Countryman Cooper S 2.0 16v Turbo AT8 - R$164.950
  • MINI Countryman Cooper S 4ALL 2.0 16v Turbo AT8 - R$189.950



Com a crise no segmento, BMW Série 1 passa a ser vendido apenas na versão topo de linha M140i


A BMW só não desistiu de vender o Série 1 no nosso mercado pela versão M140i. A marca bávara confirmou que deixou de vender as versões de acesso e intermediária do hatch médio premium, ou seja, as versões 120i e 125i M Sport não são mais oferecidas. Resta saber o por quê. Até pouco tempo montados na fábrica de Araquari (SC), as versões deixaram de ser produzidas em 2016 sem muito alarde, quando as vendas do Série 1 começaram a despencar. Atualmente a única versão a venda do Série 1 é a topo de linha, vendida pelo preço de R$279.950. Antigo BMW mais em conta do nosso mercado (agora é o Série 3), o Série 1 na versão M140i é vendido com motor 3.0 de 6 cilindros TwinTurbo que desenvolve 340cv de potência com torque de 50,9kgfm, mas fica muito mais caro que os rivais. Mesmo nas versões de entrada o Série 1 era um modelo que encantava o consumidor com a tração traseira e abria as portas para o mundo BMW. Em Araquari (SC), agora são fabricados os Série 3 e os SUVs X1, X3 e X4. Com a chegada do novo Mini Countryman, ele também entra na lista dos importados pelo grupo. A produção é ajustada automaticamente conforme a demanda e, como os hatchbacks médios estão "em crise", foi um caminho natural. O X1 brasileiro, inclusive, é exportado para os Estados Unidos, suprindo a necessidade daquele mercado. A próxima geração do Série 1 está no forno, virá com a plataforma modular UKL1, com tração dianteira e deve trazer a inédita carroceria sedã, para concorrer com o Audi A3 Sedan, já apresentado na China e cogitado no Brasil. Quem sabe na nova geração a BMW volta a oferecer as versões de entrada do hatch, com preços mais condizentes e competitivo frente aos rivais.


Toyota Corolla GLi manual e CVT, focado para PcD, deve ser entregue apenas no final do ano


Apresentado há menos de três semanas, o novo Toyota Corolla ganhou novidades importantes no seu lineup e com itens de série a mais. Além disso, as versões GLi manual e CVT foram mantidas, mas com preferência para PcD (Pessoas com Deficiência). Porém a Toyota confirma que qualquer um pode comprar as versões, mas é preciso se acostumar com o chá de banco pela demora. Vendida sob encomenda, a demora pode chegar a oito meses! De fato, a prioridade dessas versões é para os consumidores com alguma deficiência e que têm direito a isenção de impostos. Por tal razão, quem for a uma concessionária e manifestar interesse por elas entrará numa fila de espera, que costuma variar de seis a oito meses. Em contato com a Toyota, a revista Auto Esporte disse que “As versões GLi também estão disponíveis no portfólio da família Corolla. No entanto, a produção continuará atendendo praticamente pessoas com deficiência. Por este motivo, a Toyota decidiu concentrar todo o canal de informação e processo de vendas dessas configurações prioritariamente em sua rede de distribuidores, tendo sempre em vista oferecer um atendimento personalizado, primando pela satisfação dos clientes da marca”, afirmou a assessoria em nota. A lista de itens de série também é bem mais enchuta, com  rodas de 16 polegadas, por exemplo, são de aço e trazem calotas. O volante não é multifuncional, faltam entradas USB e auxiliar, sistema de som, banco traseiro bipartido, computador de bordo, indicador de direção econômica no quadro de instrumentos, além de descansa-braços central no espaço de trás e porta copos. O acabamento do volante e da manopla do câmbio não é de couro, assim como o do painel.


Fonte: Auto Esporte

SsangYong apresenta nova geração do Rexton no Salão do Automóvel de Seul, totalmente reformulado


A SsangYong revelou as primeiras imagens da nova geração do Rexton, seu utilitário esportivo de porte grande. O modelo, concorrente de Hyundai SantaFe e Kia Sorento, ganha uma geração inteiramente nova, chega a sua quarta geração. Com apresentação confirmada para o Salão do Automóvel de Seul, o novo Rexton conta com espaço para sete ocupantes e possui 4,85 metros de comprimento, 10cm a mais que o modelo vendido no Brasil. Com visual mais sofisticado, o SsangYong Rexton 2018 chama atenção pelo estilo bem resolvido na parte frontal, tendo faróis de LED com LEDs diurnos e faróis de neblina em LED como destaque. No design externo, ainda é destaque as colunas C e vincos bem elevados e pronunciados sobre os eixos dão um aspecto mais robusto ao modelo, que não teve a traseira revelada. No interior, o SsangYong Rexton apresenta um ambiente muito melhor, destacando um acabamento em couro com costuras trançadas no painel e portas, além de detalhes prateados e em preto brilhante. Ainda segundo com a marca sul-coreana, o novo Rexton conta com banco do motorista tem três memórias e os assentos são revestidos em couro. O ar-condicionado é dual zone, mas com saídas de ar para os bancos traseiros. O SsangYong Rexton 2018 dispõe de multimídia com tela de 9,2 polegadas, bem como Android Auto e Car Play. Há também um sistema de monitoramento de 360 graus durante o estacionamento. A traseira do utilitário e sua motorização não foram reveladas, ainda.